Como lidar com uma perda repentina de autoconfiança

Você já passou por um momento estressante ou desafiador e repentinamente perdeu a sua confiança? Pode ser ou não um grande evento, no entanto, é o ponto de inflexão. Antes disso acontecer a sua atitude normalmente confiante mergulha em dúvidas e ansiedade. Esta crise de confiança geralmente é desorientadora, e na pior das hipóteses assustadora.

Este artigo vai dar-lhe ideias sobre o que pode fazer para recuperar a autoconfiança, ficar a saber como lidar com as emoções associadas à sua vulnerabilidade e entender o lado positivo de temporariamente perder a sua confiança. 

EMOÇÕES FORTES NÃO SÃO O SEU INIMIGO

Emoções fortes são parte do nosso sistema de alerta produto da evolução do ser humano. Todas as emoções têm uma razão positiva e produtiva fazendo parte do nosso repertório humano. O sistema às vezes pode lançar um alerta exagerado, por sobrecarga (por exemplo, como no caso de ataques de pânico ou depressão). No entanto, fundamentalmente, as suas emoções existem para ajudá-lo e orientá-lo nas suas escolhas, preferências, objetivos e sonhos.

AS SUAS EMOÇÕES SÃO UM ALARME FALSO, UM ALARME VERDADEIRO OU UMA MISTURA?

Quando as pessoas experimentam uma súbita perda de confiança, às vezes há uma razão válida por trás disso. Por exemplo, você está perto da conclusão de um projeto onde investiu muitas horas e capital financeiro, você está aproximando-se de um prazo de entrega de algo e percebe que está atrasado na sua finalização, ou o novo desafio a que se propôs é uma novidade para si.

Todos nós estamos biologicamente preparados para reagir a qualquer tipo de incerteza ou sinais de alerta com manifestações de ansiedade. Digamos que você está analizando a viabilidade sobre uma ideia que teve para a concretização de um objetivo importante e nove reações são pelo menos moderadamente positivas, e uma é negativa. Essa resposta negativa provavelmente irá prejudicá-lo desproporcionalmente. Isso é realmente útil em geral, mas não em todas as instâncias específicas.

Vejamos: Se a avaliação negativa faz ignorar todas as positivas até ao ponto de você colocar as suas habilidade e capacidades em causa, então podemos falar de um alarme falso. Mas como o alarme foi disparado no seu organismo na forma de ansiedade, e esta faz-se sentir em sintomas físicos (como batimento cardíaco acelerado, incómodo no estômago ou agitação), e em sintomas cognitivos (ruminação de cenários catastróficos) você é “forçado” a prestar-lhe mais atenção, conduzindo-o a uma perda repentina de autoconfiança.

autoconfiança

Nós fomos projetados pela evolução biológica para encontrar sinais de perigo potencial (físico ou social) difícil de ignorar. Ou seja, à nascença vimos preparados para nos focar no que nos pode provocar dano ou ser prejudicial ao desenvolvimento e crescimento.

Quando você sente uma perda de confiança, tente descobrir se é um falso alarme, ou um alarme verdadeiro ou justificado (por exemplo, uma situação em que você percebe que está completamente no caminho errado), ou uma mistura destes.

Se você está muito empenhado em algo, ou precisa de fazer acontecer ou obter alguma coisa importante, e percebe sinais que indicam não conseguir alcançar isso, arrisca-se de repente a perder a confiança. Isso pode ser um sinal para se certificar se está devidamente preparado, ou rever um determinado procedimento, ou fazer um pequeno ajuste no seu comportamento.

RECONHECER UM ALARME “MISTO” PODE IMPEDI-LO DE CATASTROFIZAR

Da próxima vez que sentir uma súbita perda de confiança, interprete isso como um sinal que precisa priorizar melhor, ou dar um passo atrás e ver as situações com mais clareza. Provavelmente, é um sinal intuitivo que lhe informa que aquilo que está a fazer não está bem ou precisa de ser melhorado.

Dica: Você precisa relembrar para si mesmo que esse sinal não quer dizer que é incapaz de fazer algo ou se fizer que vai ser um completo desastre.

FAÇA ALGO PRODUTIVO

A resposta emocional à perda de confiança geralmente enquadra-se nas categorias de “paralisação” (por exemplo, chorando, evitando), “fuga” (por exemplo, negação de um problema, troca de tarefas) ou “luta” (por exemplo, trabalhar mais, argumentar, defender-se). Qual é o seu estilo dominante?

O pior que pode acontecer quando perdemos a autoconfiança é ficar completamente congelado e paralisado. Fazer qualquer coisa que seja produtiva pode ajudar a impedir que isso aconteça, mesmo que seja testar um procedimento ou uma tarefa que você adotou.

Há um ponto ótimo onde você pode ser produtivo na medida em que não fica paralisado nas suas ações. Mas no que diz respeito aos comportamentos de fuga ou luta (usando atividade produtivas ou não) em resposta à ansiedade sentida perante a situação que enfrenta, esse ponto nem sempre é suficientemente claro. Isso acontece porque os comportamentos de fuga ou luta em resposta à ansiedade sentida podem tornar-se num problema paralelo ao problema original que provocou a perda de confiança.

Ganhe consciência nas atitudes e comportamentos que você adotou após a repentina perda de confiança. Verifique se estão ajudando ou piorando a situação, e sobretudo se você está orientando esses comportamentos em relação à sua ansiedade e receios ou em alinhamento com a melhoria da situação ou problema original?

Se estiver agindo em resposta à ansiedade gerada, cuidado, arranje formas de diminuir a ansiedade e foque a sua atenção de volta ao problema ou situação que necessita do seu empenho e energia para recuperar a sua confiança.

TOME MEDIDAS PARA VER O QUADRO GERAL

Use as suas emoções incómodas como um sinal para dar um passo atrás e ver o quadro geral. Em seguida apresento algumas sugestões simples para fazer isso:

  • Obter feedback. Se você não tem certeza de que está no caminho certo, solicite opiniões que valorize.
  • Verifique alguns números. Os números são uma boa maneira de ver as situações objetivamente.
  • Faça pausas e deixe a sua mente tranquilizar-se, por exemplo, dar uma volta, tomar banho ou dirigir.
  • Não se confunda com os sentimentos de insegurança. Relembre-se das suas capacidades, habilidades e forças.

A reter: Reconheça que sentir-se sem confiança pode levar a resultados positivos, incluindo ótimos trabalhos, epifanias e fortalecimento de conexões sociais.

Na grande maioria da vezes, se bem interpretado, a perda temporária de autoconfiança pode levar a resultados positivos. Em seguida apresento alguns retornos positivos da perda temporária de confiança:

  • Voltar ao trabalho ou tarefas que ficaram por realizar e terminar coisas que foram iniciadas e nunca terminadas.
  • Instituir métricas/medições para testar se as estratégias estão funcionando, em vez de continuar a sentir-se inseguro devido à falta de avaliação.
  • Falar sobre o sentimento de vulnerabilidade e fortalecer os relacionamentos através desse compartilhamento.
  • Pedir comentários críticos e ideias sobre o trabalho que está em andamento.
  • Tipos positivos de verificação. Naturalmente, temos um desejo de verificação em resposta à ansiedade. Subtipos de Transtorno Obsessivo Compulsivo com verificação compulsiva dizem-nos que esse impulso passou a ser um estado de hiper-vigilância inútil. Mas em doses mais leves, este impulso de verificação pode ser muito produtivo. Por exemplo, solicitando feedback com colegas ou conexões de negócios para se certificar de que algo que você está preocupado está no caminho certo.

Se você se tem vindo a debater-se com a perda de confiança e até ao momento não conseguiu voltar a sentir-se confiante e seguro nas suas habilidades e capacidades, conheça a minha palestra:

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Menu

%d blogueiros gostam disto: