No Caminho do Furacão – uma prece

furacão.jpg

NO CAMINHO DO FURACÃO – UMA PRECE
Mensagem de Julie Redstone
7 de Setembro de 2017

Vamos orar por aqueles que estão no caminho dos padrões climáticos extremos – o recente furacão Harvey e a aproximação do furacão Irma – e vamos ao mesmo tempo orar pela amada Terra cujos ecossistemas entrelaçados de terra, ar e água estiveram tão desestabilizados que padrões climáticos extremos se tornaram a norma e não a exceção.

Sentimos a devastação causada àqueles que amamos e àqueles que são desconhecidos para nós, por quem sentimos profunda dor – aqueles cujas vidas são destruídas pela intensidade da natureza e pelas consequências dos eventos que estão além do nosso controle.

No entanto, devemos assumir a responsabilidade ao mesmo tempo pela devastação que causamos à Terra amada que nos abrigou, alimentou-nos, vestiu-nos e nos amou ao longo do tempo. Pois o Ser da Terra experiencia a dor da ruptura de maneiras que são desconhecidas para nós, e de que agora devemos nos conscientizar.

Ó Terra abençoada que sofreu tanta negligência nas mãos dos seus filhos, estes filhos que a consideraram como uma coisa a ser explorada para os seus próprios propósitos, oramos pelo seu bem-estar, assim como oramos pelo nosso.

Buscamos o seu bem-estar à medida que buscamos o nosso. Que compreendamos enquanto testemunhamos a dor e o sofrimento causados pela intensificação de padrões climáticos extremos, que ajudamos a criar estes padrões, e que somos um com você, da maneira mais básica e compartilhamos um destino comum.

Nós, que testemunhamos recentemente as tragédias e as perdas em Houston, Texas e áreas próximas, e que estão agora se preparando para as emergências e mudanças de local, de muitos na Flórida e Carolina do Sul, estamos com aqueles que sofrem nas mãos destas tempestades, de qualquer maneira que podemos.

No entanto, no mesmo sentido, devemos permanecer com a Terra e saber que o que está acontecendo não está sendo feito para nós, mas sim que ajudamos a criar as circunstâncias que estamos agora testemunhando.

A partir destas tragédias e devastações, que a compaixão possa despertar mais plenamente dentro de nós. Que a ideia de que estamos separados uns dos outros seja erradicada de nossos corações. Que permaneçamos juntos, erguendo-nos, não somente em momentos de dor e de tragédia, mas também em momentos mais tranquilos.

E que possamos também ficar com a amada Terra, sem esquecê-la quando este último furacão passar, mas dela cuidando dia a dia, semana a semana e ano após ano, até que a tenhamos ajudado a entrar em equilíbrio de todas as formas que forem necessárias.

Que todos os filhos da Terra sejam abençoados por este conhecimento de unidade com a amada Terra. Neste conhecimento e com este conhecimento, que toda a vida possa prosperar.

Hari Om Tat Sat – O que está dentro da forma e aquilo que está além da forma é Um.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar

DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://lightomega.org
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata Regina!

Anúncios

Meditação para Liberar as Energias da Confusão

meditação.jpg

MEDITAÇÃO PARA LIBERAR
AS ENERGIAS DA CONFUSÃO
Mensagem de Julie Redstone
4 de Agosto de 2017

Esta meditação guiada é dada para nos ajudar a liberar as energias que criam a confusão na mente e no corpo, e uma desconexão com a sabedoria do nosso coração. Estas energias podem causar um esquecimento temporário de nosso amor, de nossos corações e do sentido de propósito da alma.

A luz espiritual e a ancoragem com as energias da luz na Nova Terra podem nos ajudar a restabelecer a nossa conexão com o amor, a verdade e o conhecimento interno de nossos corações.

É importante que ao fazer esta meditação encontre uma maneira de se conectar com os seus pés e com a terra. Se não for possível ficar de pé, é útil se sentar com os seus pés muito ancorados no chão. Se puder estar fora e realmente ter os seus pés conectados com a Terra, isto será especialmente útil, mas o mais importante é ser capaz de sentir os seus pés.

Assim, reserve um momento aqui para respirar e permitir que a sua consciência comece a relaxar. Muitas vezes, as energias da confusão criam tensão e ampliam o medo. Assim, permita-se começar a relaxar.

Ao inspirar, imagine que você está recebendo o sopro da Terra. A bela e sagrada Terra que está cheia de nutrição e amor. Ele está entrando suavemente enquanto você inspira e, então, está circulando através do seu corpo. Quando você expira, você está se permitindo muito natural e suavemente liberar tudo o que possa ter acontecido há alguns minutos.

Permita-se liberar toda a tensão, inspirando e expirando. Mova agora a sua consciência para o seu coração. Permita que todos os pensamentos apenas aí estejam, sem envolvê-los. Esteja com o seu coração, que tem uma simplicidade e uma paz.

Inspire. Receba a nutrição da sagrada Terra. Expire e libere toda a tensão mental. Inspire. Expire. Agora, permita que a sua consciência desça muito suavemente. Do seu coração, através de suas pernas, e para os seus pés, nas solas dos seus pés.

Quando a sua consciência descer aos seus pés, para as solas dos seus pés, imagine que nas solas dos seus pés estão crescendo raízes sagradas que estão chegando à Terra. Sinta estas raízes sagradas que são parte do seu ser, alcançando com o mesmo vigor e a força vital que as raízes das plantas têm.

Toda esta vitalidade do seu ser, chega à Terra. Ancora-o com a Terra. Conecta-o com a Terra e, então, permita-se agora receber realmente ainda mais a energia da Terra.

Respire. Relaxe. Dê a si mesmo tudo o que é necessário neste momento. Permita a estas sagradas raízes que penetrem ainda mais profundamente na Terra, no próprio centro da Terra.

Respire, encontre as suas raízes profundamente ancoradas na sagrada Terra. Apoiando-o, ancorando-o, nutrindo-o. Inspire. Expire. Sinta as suas raízes agora, entrando em contato com o próprio centro da Terra. Reserve um momento para realmente se sentir fazendo o contato, fazendo o contato com o próprio centro da Terra.

Inspire. Expire. Permita que estas raízes que fizeram contato com o próprio centro da Terra comecem a circular ao redor do centro da Terra. Permita que estas raízes envolvam e se conectem com o centro da Terra. Inspire. Expire.

Imagine agora que no centro da Terra existe exatamente a qualidade que você precisa agora em sua vida, a qualidade divina da alma que você mais precisa para desenvolver em si mesmo, está localizada ali mesmo no centro da Terra.

Enquanto as suas raízes estão envolvendo o centro da Terra, esta qualidade que você mais precisa, talvez seja o perdão ou a compaixão, a confiança, a paz – seja lá o que for, permita que as suas raízes circulem e envolvam esta qualidade no centro da Terra.

Então, imagine que as suas raízes estão atraindo esta qualidade para você. Suas raízes estão atraindo para você exatamente o que você mais precisa. Movendo-se para cima, assim como a seiva em uma árvore. Sinta estas qualidades entrando através das solas dos seus pés e subindo em seu corpo físico e energético.

Entrando em sua estrutura celular, nutrindo a sua estrutura celular. Entrando em seu campo áurico. Entrando em seus corpos energéticos. Dando-lhe tudo o que você precisa para conectá-lo ainda mais profundamente com o seu propósito divino, com a sua missão nesta vida e com a sua própria vibração de amor, que você está aqui na Terra para compartilhar.

Querido Deus, nós lhe pedimos a sua bênção para todos aqueles que estão ouvindo esta meditação. Que cada um de nós possa receber exatamente as qualidades que mais precisamos, que possamos resplandecer a nossa luz ainda mais intensamente nesta Terra.

Pedimos que todos estes impedimentos as nossas conexões com nós mesmos sejam aliviados, transformados e dissipados, enquanto recebemos as qualidades que mais precisamos agora, a fim de estarmos plenamente presentes na Terra com clareza em nossas mentes, em nossos corações e em nossos corpos energéticos.

Inspire esta oração. Permita que o seu coração flua para Deus tudo o que for o seu mais profundo desejo. Permita que o seu coração se expanda e brilhe para o mundo, com o seu grande desejo de amar e de servir.

Pedimos, querido Deus, que abençoe todos aqueles que ouvem esta meditação. Pedimos que derrame em nós o seu Sagrado amor e luz, a paz e bênçãos. Pedimos clareza e paz em nossas mentes, em nossos corpos energéticos, em nossos corações e almas. pedimos isto em seu Santo nome, Amém.

Permita que esta prece esteja com você, para abençoá-lo. Receba-a em cada célula de seu corpo. Muito suavemente, tenha um tempo para se sentar tranquilamente pelo tempo que for preciso. Aproveite todo o tempo que precisar para receber a luz e a paz. Reserve todo o tempo que precisar para compartilhar a sua prece com o Divino.

Inspire, expire. Inspire, expire. Agora, muito suavemente, permita que a sua consciência volte suavemente para o seu coração. Com muita suavidade, leve com você todas as bênçãos da meditação. Leve com você todas as dádivas e bênçãos que recebeu da sagrada Terra.

Você pode querer colocar as suas mãos em seu coração e sentir a bênção daqueles que o guiam, que estão com você em todos os momentos. Inspire. Expire. E agora se permita imaginar uma luz brilhante ao seu redor, de qualquer cor, que o envolve como um ovo.

É um ovo protetor que permite que todas as suas partes integrem as bênçãos desta meditação, e a luz que você recebeu daqueles que o estão guiando, bem como a luz que você recebeu da sagrada Terra.

Dê-se a sugestão de que este belo ovo protetor estará com você em seu corpo e em seu corpo energético em sua mente, suas emoções, todas as suas partes, por tanto tempo que for necessário para permitir a assimilação destas frequências de vibração em seu ser.

Inspire. Expire. Inspire em seu coração, expire.

Agora diremos uma prece de encerramento para concluir esta meditação.

Querido Deus, eu lhe agradeço muito por todas as bênçãos que nos deu através desta meditação. Pedimos que o nosso amor ajude a trazer a cura para nós mesmos,  para a sagrada Terra e para todos os seres. Amém.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
https://www.worldblessings.net
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Crianças, Luz e Trevas

crianças.jpg

CRIANÇAS, LUZ E TREVAS
Mensagem de Julie Redstone

Há crianças que estão vindo à Terra agora, que mantêm mais luz em seus corpos, do que aquelas do passado. Estas crianças têm sido chamadas por vários nomes enquanto estiveram chegando. O que caracteriza a sua encarnação, é uma maior sensibilidade às energias, um maior alinhamento com os objetivos de luz, paz e amor, e muitas vezes uma maior vulnerabilidade, especialmente quando muito jovens, com as energias das trevas.

Em particular, aquelas que estão encarnando neste momento, estão chegando em circunstâncias em que não só uma maior quantidade de luz está presente na terra, mas também uma maior quantidade de escuridão. E assim, as crianças que são sensíveis, estarão sentindo os efeitos de ambos em seus corpos de energia e, algumas vezes, terão dificuldade em absorver as energias escuras que podem estar se movendo através delas, atraídas para a luz que há nelas.

Infelizmente, ainda é um momento de diminuição de consciência dos efeitos da energia na consciência humana e, portanto, na consciência das crianças.

Por esta razão, as crianças cujos sistemas são facilmente super estimulados pelo impacto do excesso de entrada de energia de uma só vez, bem como aquelas crianças que são vulneráveis ao influxo das correntes escuras por causa da sua composição energética, podem ser mal entendidas ou mal diagnosticadas, quando elas exibem sintomas de angústia por causa de uma sobrecarga do seu sistema de energia e de emoções que elas não conseguem processar.

Crianças que carregam mais luz em seus corpos precisam ser ajudadas ao longo deste tempo, uma vez que não têm nenhuma maneira de saber o que lhes está acontecendo, quando elas começam a parecer que estão fugindo, desobedecendo à autoridade dos adultos, ou agindo de formas rebeldes que não tinham sido típicas delas anteriormente.

Para ajudá-las, é necessário entender como traduzir o seu comportamento, não através de um prisma psicológico, mas através de uma compreensão da relação entre a luz e a escuridão e da capacidade de cada ser encarnado de se separar das energias intrusas.

Em primeiro lugar, a escuridão é, muitas vezes, atraída para a luz, como um combatente é atraído para aquilo que percebe como se opondo a ele. Desta forma, as energias das trevas são, muitas vezes, eletromagneticamente atraídas para a luz, a fim de diminui-la ou extingui-la. Estas energias, quando entram nos muito jovens, podem causar uma agitação inexplicável, dificuldade em dormir, explosões súbitas de comportamento negativo, ameaças de violência, bem como tensão corporal geral.

Na maioria das vezes, os pais que experimentam esses episódios súbitos em seus filhos, não sabem o que está acontecendo e procuram uma explicação psicológica que poderia estar causando isto.

Embora os fatores psicológicos estejam sempre presentes, operando em sua maior parte em um nível inconsciente e não necessariamente visível através do comportamento de uma criança antes deste momento, eles não são ativados até serem agitados pelas energias das trevas que passam por uma criança, ligados a qualquer tendência existente, em um nível inconsciente ou subconsciente.

Então, os pais podem começar a testemunhar explosões inexplicáveis de negatividade, mesmo em crianças que estão mantendo predominantemente uma grande quantidade de luz. Precisamos entender que esta não é a forma como uma criança se comportaria se não fosse influenciada por energias das trevas. É como elas se comportam, porque elas não têm a consciência necessária ou o controle para saber o que está acontecendo, a fim de impedir tais ocorrências.

Como pais, a responsabilidade que temos de ensinarmos às crianças não somente a forma de agir, mas sobre quem elas são, torna-se fundamental, em um momento em que o comportamento de um filho parece fora de controle, ou quando nos sentimos perplexos sobre por que eles estão agindo da maneira que o fazem.

O que vemos é uma mudança súbita de serem angélicos em um momento, para serem rudes e agressivos no seguinte, uma mudança que é surpreendente e inexplicável. Enquanto testemunhamos isso, muitas vezes acontece que nós não temos nenhuma base através da nossa própria observação para a localização de qualquer coisa externa e óbvia que aconteceu, para causar o que parecem episódios recorrentes de explosão.

Nós, como pais, podemos transmitir às crianças que existem energias que se deslocam através delas, que não são “elas”, e que estas energias estão causando impulsos ao passarem através delas. Elas começam a desenvolver uma “linguagem da energia” que é facilmente compreensível, uma vez que corresponde à experiência interior real de uma criança.

Esta “linguagem da energia”, é muitas vezes mais difícil para os adultos aprenderem do que para as crianças, uma vez que os adultos já têm outras maneiras profundamente arraigadas de explicar as coisas para si mesmos, ao passo que para uma criança, qualquer coisa poderia ser verdade e é mais facilmente percebida como verdadeira, se ela corresponder ao que elas conhecem interiormente.

O ensinamento de que as energias podem se mover através dos jovens, e que “não são eles”, que estas energias podem parecer estar no controle por algum tempo, mas que passarão através do corpo por um breve período, trazendo as coisas novamente ao normal, é muito importante.

É importante porque ele começa a evocar a cooperação de uma criança, na tentativa de se separar de um impulso, para agir de determinada maneira, usando a força da mente e da compreensão de que não é ela, para criar uma separação. A partir desta separação, pode vir um esforço conjunto do pai e da criança de não deixar “as rédeas soltas” às expressões da escuridão, de praticar a contenção de tais energias, e saber como tolerar a sua mudança repentina na expressão, sem culpar a criança.

Esta última é de grande importância. Se pensarmos no comportamento perturbador como pertencente ou proveniente principalmente da motivação interna de nossos filhos, somos muito mais propensos a ficarmos com raiva ou chateados com eles, quando eles se comportam mal, ou não fazem o que lhes pedimos.

Se considerarmos o comportamento perturbador como algo relacionado a uma fonte de energia externa sobre a qual a criança tem pouco controle, em determinado momento – não até que mais compreensão ocorra no que diz respeito ao que está acontecendo – estaremos muito mais propensos a culparmos, ou nos perguntarmos o que fizemos para provocar tal ocorrência. Isto não quer dizer que não haja um suporte psicológico para a ligação com as energias escuras. A expressão de tais tendências se torna muito ampliada pelas forças que não são inerentes ao corpo da criança.

Compreender o súbito comportamento impulsivo e agressivo das crianças desta maneira, segue um longo caminho no sentido de reduzir o impacto emocional de tal comportamento, e nos permite ajudar ao máximo aos nossos filhos através de tais episódios e para que retornem rapidamente a um estado mais comum, uma vez que eles terminem.

Este retorno à normalidade é também importante como parte de nossa compreensão da energia. Há um curto período de tempo em que um fluxo de questões de energia apresenta comportamentos difíceis e inexplicáveis, e, então, há um fim para o episódio, e se os pais não carregarem qualquer animosidade ou raiva persistente, há um final para a perturbação.

Muitas vezes, apesar do maior conhecimento que possamos ter sobre o que está acontecendo e as maiores incursões que possamos ter feito para transmitirmos esta compreensão para os nossos filhos, acontecerá ainda que os filhos precisarão ser “contidos”, até que uma onda de energias da escuridão passe. Muitas vezes, isto é claramente necessário quando um comportamento violento irrompe, como bater, empurrar, jogar coisas, ou outros atos de violência.

Às vezes, a melhor maneira de contenção para o jovem, é a maneira de segurá-lo fisicamente em um abraço amoroso, mas forte, de modo que a criança se sinta envolvida e mantida sob controle, ao mesmo tempo. No entanto, isto não pode ser apenas o controle externo, sem o afeto e o amor. Ele também deve transmitir o amor que temos pelos nossos filhos e a compreensão compassiva do que eles estão passando.

A contenção para crianças mais velhas é mais difícil, desde que os seus corpos físicos são maiores e mais difíceis de manter sob controle. Onde isto não for mais possível, outros meios precisam ser encontrados para tentar efetuar a mesma coisa. Para os jovens, a mistura de envolver, o que impede mais impulsos de comportamento agressivo, além do amor que perdoa e aceita ao mesmo tempo, segue um longo caminho para ajudar uma criança a se acalmar, de modo que o resto da energia que está passando através dela possa ser absorvida mais rapidamente.

As crianças não terão dificuldade em entender tudo isto, se os pais não tiverem dificuldade em entendê-lo. Eles saberão que algo indesejável está acontecendo, que eles têm uma parte a desempenhar em aprender a lidar com isto, e que os pais são aliados a este respeito – aliados que podem ser considerados para ajudar a gerenciar o que não pode ser gerenciado na própria criança.

Durante momentos de extrema incursão de energias da escuridão, acontece, muitas vezes, que uma criança não veja o pai como um aliado, mas, depois, este será o caso quando as coisas se acalmarem e quando o perdão e a compaixão ocorrerem.

Crianças que vieram com mais luz em seus corpos, que passaram por estes encontros com as energias da escuridão, estão fazendo isto, não por acaso, mas porque as suas almas escolheram passar por este aprendizado antes de encarnarem. Algumas o escolheram por causa da natureza de seu futuro trabalho espiritual, a serviço da luz e da Terra. Outras o podem ter escolhido por causa de sua própria necessidade para a cura neste domínio.

Embora possa não ser aparente àqueles que observam o comportamento de uma criança durante estes momentos difíceis que algo está sendo curado, é, no entanto, um curso de cura que está acontecendo a cada vez que uma criança experiencia a escuridão e retorna à luz. A cura se encontra na liberação da escuridão para a consciência e no retorno à luz. Um sem o outro não constituiria a cura eficaz. Isto não significa que agir seja necessário, a fim de que a cura ocorra. Significa que a consciência seja necessária para que isto ocorra.

É verdade que nas famílias e para as crianças também, nós desejaríamos que estes episódios e sentimentos que eles despertam, não ocorressem. No entanto, no período em que estamos na Terra, e o equilíbrio da luz e da escuridão durante este tempo, faz com que aconteça mais comportamentos que refletem a escuridão do que estariam presentes em outro momento, ou que estarão presentes no futuro.

Com amor e compaixão, e com o crescimento intrínseco à luz que irá ocorrer, as crianças irão superar estes episódios e chegarão a um espaço de cura e de maior equilíbrio, de modo que estas energias não mais perturbem a psique ou as relações entre os membros da família.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://lightomega.org
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Confie em seu coração

confie.jpg

CONFIE EM SEU CORAÇÃO
Mensagem de Julie Redstone
6 de Julho de 2017

As energias da Luz e da escuridão estão se manifestando na Terra com grande intensidade neste momento, causando um conflito, às vezes, sobre que direção seguir e o que seguir.

Através da verdade do coração conectado à alma está a mais segura direção para ir; esta verdade é geralmente coberta pelo debate da mente sobre o que é verdade e o que é menos verdadeiro ou falso.

As energias da dúvida, operando agora no nível mental, disfarçam a certeza sobre que direção mantém mais luz, mais verdade, e a maior sensação de “justiça”.

Na presença deste dilema, é mais importante confiar em seu coração. Pois a desvalorização do coração leva a uma vulnerabilidade com forças que operam mais fortemente na mente, muitas vezes, criando razões persuasivas para o que não é correto possa parecer “certo”.

O coração, se alinhado com o seu sentido mais profundo, é um guia mais confiável para a “retidão”. Confie em seu coração, amado. Confie em si mesmo.

É um momento de grandes desafios para muitos, hoje, quando as crenças sedutoras da mente procuram tirar a pessoa do coração. No entanto, se este movimento for reconhecido, então, a firmeza poderá ocorrer, assim como uma determinação de permanecer fiel às motivações do amor, da bondade, da compaixão e da confiança – todos os valores do coração.

Vivemos um momento em que não é fácil discernir a verdade com as nossas mentes. Em um nível externo, não é mais tão claro o que é um “fato”, desde que fatos para alguns são vistos como meras “opiniões” por outros. Isto pode se relacionar com pequenas coisas na vida, mas, também, pode se relacionar com grandes questões que afetam a vida de todo o nosso planeta.

Portanto, na presença de disfarces criados pelas energias que se mascaram como verdade, não se deve ser enganado porque um argumento parece convincente. Deve-se apenas se convencer se o coração registrar uma energia de bondade, de compaixão e de amor.

A habilidade da escuridão de se mascarar como luz está surgindo em primeiro plano agora.

Entretanto, na presença deste desenvolvimento, o despertar do coração está também ocorrendo, de modo que cada um, se assim o desejar, possa se tornar mais sensível ao que parece certo, verdadeiro e amoroso.

As energias do engano podem parecer mais proeminentes, mas o movimento da vida da alma na vida cotidiana pode contrariar estas forças, anulando o seu efeito. Isto ocorre se alguém permanecer firme ao procurar a luz da verdade, do amor e se esforçando a cada momento para permanecer fiel a ela.

Às vezes, a energia do amor recém-desperta, que surge da alma, encontra o seu caminho exteriormente, em um desejo de ajudar os outros e defender os ideais que respondem às necessidades de muitos. Esta é uma parte necessária e bela do que precisa acontecer enquanto o coração desperta.

No entanto, é também importante saber que à medida que o amor desperta, todas as áreas em que o amor próprio foi bloqueado devem também ser vistas, pedindo atenção e exigindo cura. Estes espaços que estiveram escondidos ou cobertos anteriormente, agora, na presença de mais luz, pedem para ser abordados, de modo que a totalidade do ser possa ser alcançada.

O Amor, enquanto ele desperta, precisa incluir o ser e não apenas ser direcionado para os outros. Pois o amor é um estado de ser e um fluxo que circunda toda a vida, fluindo exteriormente e interiormente em todos os momentos. Se parte deste circulo for bloqueado através da falta de amor em qualquer área, o resto do fluxo é impedido.

Portanto, amado, confie no tempo em que estamos, confie em seu coração, confie na luz para que lhe revele as áreas que precisam de cura e permita que a sua consciência crescente da luz lhe mostre o caminho a seguir.

Obstruções e forças contrárias podem estar presentes, mas a luz da verdade que é a sua natureza mais profunda, irá leva-lo ao espaço da verdade, se você tentar segui-la.

Que todas as bênçãos sejam suas durante este momento importante da transição na Terra.

Com o amor mais profundo,

Julie Redstone

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://lightomega.org
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

O Caminho para a Paz

paz.jpgO CAMINHO PARA A PAZ
Mensagem de Julie Redstone

A Paz virá à Terra, no entanto, ela poderá vir mais cedo a cada decisão de cada coração que liberar o seu próprio medo e atitude defensiva, e buscar colocar o amor no centro de todas as suas ações.

Muitos perderam a esperança pela criação da paz no mundo, porque não podemos ver ainda o caminho através do conflito – não os conflitos que são momentâneos, mas aqueles que continuam por anos, décadas e até séculos.

Temos ainda que descobrir que o caminho para a paz se encontra dentro de nós. Isto não se baseia em estratégias, tratados ou poder militar. Baseia-se no único desejo do coração de substituir o medo pela presença do amor.

Amor ao próximo. Amor pela Terra, cujo sangue é derramado a cada encarnação. Amor pela vida sagrada de Deus, que permeia todos os seres. É somente este amor que pode trazer a paz ao mundo, pois em um mundo de unidade, a guerra e o assassinato não fazem sentido, sob qualquer condição.

Onde está esta paz?
Onde ela está no mundo?

Ela não pode ainda ser encontrada no mundo, porque as forças que levam ao desejo pelo poder e o domínio, em vez do amor, ainda influenciam, e estas forças devem ser desmontadas, a fim de ver a paz ser manifestada.

Mas cada um de nós pode procurar viver na paz de nossa natureza mais profunda, conosco e com os outros, abandonando o julgamento onde quer que ele ocorra, incluindo a nós mesmos, abandonando a atitude defensiva onde quer que isto ocorra, sabendo que a firmeza e a atitude defensiva não são a mesma coisa.

A firmeza envolve pretender algo, ser responsável pelos princípios da luz e da verdade. A atitude defensiva envolve se posicionar contra algo, contra a força do que se julga uma ameaça, ou um risco.

Podemos ser firmes e tranquilos ao mesmo tempo, desde que o que é realizado na luz Divina pode conter toda a verdade dentro de si mesmo. No entanto, esta verdade deve ser a verdade da luz, que inclui o amor.

Não pode ser a verdade de nossa separação dos outros. Não pode ser a verdade do argumento e da raiva. A Luz inclui o amor e pode ser mantida em nossos corações com firmeza. O alinhamento com uma verdade superior inclui o amor, que pode incluir a paz.

Por que, então, encontramos tanta dificuldade nisto?

Encontramos dificuldade quando não somos capazes de nos alinharmos com este princípio mais profundo da verdade, que é fundada no amor. Quando procuramos nos opor a algo que parece errado ou prejudicial para nós, mas não sabemos como localizar o amor dentro de nós mesmos que concilia tudo, que mantém todos.

Então, a fim de evitarmos o que consideramos errado, nós contra-atacamos, defendemo-nos, criamos ataques preventivos, manifestamos o nosso poder e a nossa força. Todos estes são armamentos de guerra, porque não sabemos como nos alinharmos com a Luz que contém amor e paz e que mantém tudo em si mesmo.

A Humanidade ainda tem que descobrir este princípio da auto-afirmação que não exclui o outro, que não impede o outro de seu próprio direito de existir. O extremismo de qualquer forma corre o risco de erradicar o direito do outro da auto-afirmação, portanto, o extremismo não pode ser uma prática que detém a luz.

Nossas políticas, bem como as nossas práticas, devem ser inclusivas dos direitos de todos, das almas de todos, a fim de se alinharem à luz. Elas não podem excluir ninguém do nosso amor abrangente.

E se o outro quiser nos prejudicar?
O que fazemos, então?

Este “outro” precisa ser ajudado para ver que ele não precisa ter medo de nós. Que não procuramos tirar nada dele, mas sim, ajudá-lo a realizar os seus próprios objetivos. Esta é a verdade da reconciliação, mas esta reconciliação deve ser praticada com o coração.

Ela não pode ser uma diretriz eficaz, no sentido exterior, a menos que o coração esteja disposto a manter interiormente os seus próprios desejos, não só o que realiza os próprios objetivos, mas o que realiza os objetivos dos outros ao mesmo tempo.

Onde houver a atitude defensiva, onde houver o ódio, há um medo subjacente do que poderia acontecer se estes fossem deixados de lado. Este medo é impulsionado pelas forças negativas que buscam inflamar o conflito e a separação, e a maneira de remover a sua influência é retornando novamente ao desejo do coração de realizar os objetivos de todos e não apenas os próprios objetivos.

A Paz virá à Terra quando o coração se expandir em sua capacidade de amar a todos, e quando todos se conscientizarem de seu relacionamento com o resto da vida que existe como Unidade.

A Paz virá, no entanto, ela virá mais cedo a cada decisão de cada coração que liberar o seu próprio medo e a sua atitude defensiva, e procurar colocar o amor no centro de todas as suas ações.

Este é o chamado para o nosso tempo. É o chamado do despertar espiritual que busca transformar todo um planeta em um planeta de luz e de paz.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://lightomega.org
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Natureza do Pensamento: Razão e Intuição

razão.jpg

NATUREZA DO PENSAMENTO
RAZÃO E INTUIÇÃO
Mensagem de Julie Redstone
6 de Março de 2017

O que pensamos e o que sabemos são duas coisas diferentes.
O pensamento é condicional, baseado em mudanças nos níveis de informação.
O verdadeiro conhecimento é permanente, baseado em um sentido eterno da verdade.

Nossos pensamentos têm múltiplas fontes. Eles podem vir do nível da mente e estarem baseados na razão, ou podem vir do nível do corpo ou da alma e serem baseados na intuição.

A qual destas fontes nós prestamos atenção é uma escolha que fazemos, e a natureza desta escolha pode nos levar ou a nos unirmos com outros que pensam visivelmente o que pensamos, ou nos tornarmos mais autoconfiantes, porque somente nós podemos saber o que sabemos.

Há o pensamento com a mente e o pensamento com o coração. Há o conhecimento de algo porque isto se conforma ao conhecimento geral, e conhecemos algo porque nós o sentimos como verdade.

Os pensamentos que direcionam a nossa vida têm fontes diferentes, com aqueles que estão mais próximos às percepções da alma, oferecendo a possibilidade de maior certeza e para a maior infusão da inspiração Divina. No entanto, estes pensamentos da alma são os menos preocupados com informações e o conhecimento geral.

Com frequência, em relação às impressões ou intuições que vêm de um plano mais elevado de nosso ser, podemos apenas dizer que “sabemos de alguma coisa”, não como o conhecemos, ou porque o conhecemos, apenas que sentimos algo como verdadeiro.

Porque não podemos encontrar evidência para estes pensamentos, nós, às vezes, duvidamos de sua origem. Se nós iremos seguir as mensagens que chegam a nós desta maneira, é responsabilidade nossa. Em grande medida, isto tem a ver com se estamos prontos para fazê-lo.

A prontidão tem a ver com a nossa capacidade de perceber a verdade – verdade que é fundamentalmente uma percepção da luz que envolve algo. No curso de nos tornarmos mais conscientes, a clareza sobre o que é mais verdadeiro ou o que é menos verdadeiro cresce dentro de nós, e a vida, muitas vezes, pede-nos para escolher entre os dois.

A fim de fazermos isto, devemos decidir qual é a base da verdade, se os pensamentos de nossa mente que têm razões e explicações, ou os pensamentos de nosso corpo e de nossa alma que são mais sutis e difusos. O problema imediato que isto apresenta é o da confiança – se seguimos o nosso próprio caminho, confiando no que pensamos e sentimos, ou se buscamos o conforto de saber que pensamos o que os outros pensam.

O pensamento que vem da intuição não pode ser validado por outros. Se optarmos por seguir a sua orientação, devemos aprender como confiar nisto e como mantê-lo de forma protetora, de modo que as opiniões dos outros não nos afastem do que sabemos. Muitas vezes, o que vem a nós como percepção intuitiva é profundo ou sagrado e somos convidados a reconhecer a sua sacralidade, mesmo sem qualquer referência ou apoio externo.

A capacidade de nos movermos da razão para a intuição como uma fonte de conhecimento acontece como um resultado da abertura da intuição no curso do desenvolvimento da alma, trazendo com ela maior sensibilidade com outros planos de experiência. Antes disto, podemos ter momentos mais difíceis, de detectar o que sabemos, quando não vem da mente.

Conforme progredimos, no entanto, o problema não é o de saber, mas de confiar. 

O processo prossegue quando ouvimos mais a nossa própria voz interior, e quando seguimos a sua orientação mais fielmente. Então, as intuições que nos chegam são sentidas mais fortemente e percebidas com mais confiança. Se nos afastamos destas intuições, no entanto, a voz que estamos ouvindo se tornará mais fraca e menos audível.

A expansão da intuição na vida não tem a intenção de eliminar a razão, ou mesmo de limitar as esferas em que ela é útil e necessária. No entanto, a capacidade racional, para muitos indivíduos, foi desenvolvida à custa do intuitivo.

É o momento agora, enquanto a consciência se expande na luz, que cada um de nós preste mais atenção aos sussurros da alma que chegam no silêncio da noite, ou na tranquilidade do dia, trazendo com eles mensagens e insights que são destinados a ajudar e a inspirar.

Com o aumento da experiência, a capacidade de confiar em nosso conhecimento interior, irá aumentar até que ele se torne tão natural quanto o pensamento com a nossa mente. Neste ponto, a intuição se tornará parte de uma vida que não é mais comum, mas cheia de pequenos milagres de inspiração e de percepção que nos chegam, sem que sejam convocadas ao longo de cada dia.

INSPIRAÇÃO E INSIGHT

A inspiração ou a percepção vêm frequentemente durante a noite quando estamos dormindo. Pouco antes de ir se deitar, peça ao seu Eu Superior (seu eu unido à Deus) que lhe revele a resposta a uma questão sobre a qual você tem refletido. Tenha um lápis e papel por perto, de modo que possa anotar qualquer coisa que lhe ocorra quando você acordar pela manhã.

PRÁTICA DE ALINHAMENTO

Para começar, sente-se com as suas costas eretas, olhos fechados, e respire lenta e tranquilamente, com as suas mãos, palmas para baixo, sobre o seu centro cardíaco, no centro do seu peito. Deixe que a sua respiração se aprofunde e relaxe.

Agora, visualize uma coluna de luz, descendo do cosmos sobre a sua cabeça, descendo através do alto de sua cabeça e pela sua coluna, preenchendo o seu coração, e se estendendo para baixo, para as solas dos seus pés. Sinta que esta coluna de luz é interminável. É o apoio ilimitado de Deus e dos reinos da Luz.

Inspire a luz através do alto de sua cabeça. A cada inspiração, saiba que você está inspirando a Luz de Deus e que cada respiração está fortalecendo esta conexão. Esta Luz é ilimitada. Ela pode ser atraída inúmeras vezes. Sinta o calor de sua mão em seu coração e inspire a luz em seu coração também.

Descanse, respire, sinta a luz movendo-se através de você, infundindo-lhe o sopro de Deus.
Respire assim por alguns momentos.

Agora, preste atenção à expiração de cada respiração.

Enquanto você exala, libere tudo o que não seja a luz dentro de você, tudo o que o limita, tudo o que o impede de se aproximar mais de Deus.

Libere o medo, a raiva, o desespero, a tristeza – libere toda a limitação na luz maior de Deus que pode absorvê-la e na qual se dissolve. Exale tudo o que o retém, tudo o que o separa…

Continue respirando por mais alguns momentos, concentrando-se na inspiração que atrai mais luz ao seu corpo e consciência, e à expiração que deixa ir tudo o que precisa ser liberado.

Conscientize-se de sua inspiração e de sua expiração.
Conscientize-se do sopro de Deus, movendo-se através de você.

Quando esta meditação for concluída, agradeça à Deus pela dádiva da luz e da respiração e pela ajuda que é dada.

Nota: Esta prática deveria ser feita diariamente para o benefício máximo, preferivelmente no mesmo momento do dia, ou pode ser feita na forma mais curta ao longo do dia. O Alinhamento é o eixo central de uma prática espiritual que busca incorporar mais luz ao ser, com propósitos de transformação individual e serviço à Terra. Quanto mais ela for praticada, mais será criado um caminho de luz através de todos os níveis do ser.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar

DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://www.lightomega.org
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

As roupas que usamos – Novas escolhas para um novo tempo

roupas.jpg

AS ROUPAS QUE USAMOS
NOVAS ESCOLHAS PARA UM NOVO TEMPO
Mensagem de Julie Redstone
4 de Março de 2017

Cada item que usamos é feito pelas mãos de outra pessoa… A roupa, em particular, exige que os trabalhadores do vestuário trabalhem, com frequência, longas horas a um grande custo para as suas próprias vidas pessoais. Não vamos mais separar as “coisas” do seu custo humano ou do custo para a Terra em nosso uso delas.

Não é uma tarefa fácil para aqueles que desejam estar conscientes de não criar danos aos outros, encontrar e usar roupas que não façam isto. Nosso vestuário, em países desenvolvidos, e especialmente nos Estados Unidos, vem daqueles países que abrigam os mais pobres dos pobres, países em que muitos se escravizam em empregos que pagam tão pouco, que teríamos dificuldade em acreditar que uma família pudesse ser sustentada por estes baixos salários. Sabemos e não sabemos com o que contribuímos para esta situação. Sabemos e não sabemos.

Quando a produção de roupas é terceirizada para áreas do mundo, tais como Bangladesh, onde os trabalhadores tinham poucos direitos e eram vítimas da pobreza extrema e de péssimas condições de trabalho (Exemplo: O desabamento do edifício Rana Plaza, em 2013, onde mais de mil pessoas morreram) não podemos entender como os outros poderiam viver em tais condições.

No entanto, não vemos os meios para alterar a nossa participação em um processo que leva a um lucro extremo no topo da cadeia de produção, e debilitando a pobreza, embaixo.

O que devemos fazer?
O que podemos fazer?

Devemos nos tornar mais conscientes. Este é o começo de nossa “ação”. Devemos reavaliar o que realmente precisamos, de modo que não contribuamos com os efeitos nocivos do consumismo – de compra, porque isto nos traz prazer ou uma sensação ilusória de liberdade.

Devemos saber que o nosso consumismo tem um custo – a indústria do vestuário produz mais resíduos que a Terra deve abrigar e absorver, do que qualquer outra indústria. Pilhas sobre pilhas de roupas não recicláveis são acumuladas em todo o mundo, aguardando a eventual decomposição após centenas de anos, se não mais, enquanto emitem gases que poluem o céu.

Devemos ter conhecimento disto, devemos sentir isto – que desde a década de 70, a quantidade de roupas produzidas neste país, de acordo com uma fonte, aumentou em 400 por cento. Isto é, estamos usando e descartando mais roupas, fazendo mais compras, livrando-nos dos estilos do ano passado com mais frequência, em 400 por cento.

Quando damos as nossas roupas às instituições de caridade, com um desejo de sermos generosos, bem como de reciclarmos, somente uma pequena parte é usada em lojas. O resto se torna parte de um aterro sanitário, ou é distribuído em países do terceiro mundo, como o Haiti, onde começa a substituir a economia indígena de produção de vestuário deste país.

Não há uma resposta fácil a esta questão, do que podemos “fazer” neste momento, pois isto envolve uma mudança em nossa consciência, que se baseia em nossa compreensão de nossa unidade com todos os outros.

Um lugar para começar, no entanto, é a motivação de não fazermos mal. A partir desta motivação pode vir a decisão de seguir vários princípios centrais que ajudarão a trazer mais integridade as nossas compras e ao nosso modo de vida. A partir desta motivação pode vir a expressão mais completa de nosso cuidado com as necessidades de todos.

Ao nos vestirmos, preocupando-nos com as pessoas e com a Terra, estejamos atentos aos seguintes princípios:

1 – Use bem as roupas. Compre roupas que durem e permita que elas durem, em vez de ter que descartá-la, porque os estilos mudam. O princípio da valorização das coisas que duram, foi substituído hoje pelo princípio de responder à “tendência” do momento, estimulado pela publicidade e pelo nosso desejo de atração e de aceitação. Podemos optar por retornar a uma forma mais integrada de responder as nossas próprias necessidades.

2 – Reavalie o que realmente precisa e retorne à simplicidade como um princípio fundamental. “O que precisamos” é uma ideia que temos, não uma realidade. Apenas há algumas gerações as pessoas sentiam que precisavam muito menos de roupas do que hoje.

3 – Seja criativo nas escolhas que faz sobre como criar mais de menos, isto é, como desenvolver um estilo individual que não se baseie em ter mais roupas, mas em usar o que temos com inspiração e criatividade.

4 – Não mais trate as coisas como se estivessem separadas das pessoas. Cada item que usamos é feito pelas mãos de alguém, ainda que alguma parte da produção seja automatizada. As roupas, em particular, exigem que os trabalhadores do vestuário, muitas vezes, trabalhem longas horas, a um grande custo para as suas próprias vidas pessoais. Não vamos mais separar as “coisas” de seu custo humano, ou do custo para a Terra em nosso uso delas.

Estes princípios são apenas um início e não abordam todo o problema da mudança de valores que é necessária, de modo que a nossa economia se torne mais motivada pelo coração e menos motivada pelo lucro, mas já é um começo.

Que todos os seres se beneficiem desta mudança em nossa consciência e das mudanças que estamos dispostos a fazer em nossas próprias vidas.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://lightomega.org
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br