As nove lições mais importantes que deveriam nos ter ensinado na escola – Osho

AS NOVE LIÇÕES MAIS IMPORTANTES
QUE DEVERIAM NOS TER ENSINADO NA ESCOLA
Por Osho
21 de Maio de 2018

Através de Edward Morgan

Shree Rajneesh é um líder místico e espiritual indiano.
Muito conhecido como Osho, Rajneesh ensinou sobre meditação, amor e coragem.

Para ele, todo ser humano é capaz de iluminação, o que pode ser alcançado através do desapego do condicionamento social e do falso senso de identidade.

Ele sugeriu que, em vez de reagir, a pessoa deveria responder à vida totalmente sem se permitir estar limitada por pequenos padrões de pensamento.

As contribuições de Osho para a iluminação são vistas nas seguintes lições que ele ensina.

1 – Experiencie a vida plenamente

Experiencie a vida de todas as maneiras possíveis, boas e ruins, amargas e doces, sombrias e iluminadas, no verão e no inverno. Experiencie todas as dualidades. Não tema a experiência, porque quanto mais experiência você tem, mais amadurecido você se torna.

Experienciar a vida em todas as suas facetas é gostar do seu destino, o amor-fati (amor ao destino) de que Friedrich Nietzsche falou.

Quando você se absorve totalmente com a experiência, você entende mais os sentimentos em vez de ter idéias vagas sobre eles.

Como a Terra, que permite que cada estação passe suavemente, você também tem a opção de deixar que todas as estações da sua vida o transformem na melhor versão de si mesmo.

2 – Seja você mesmo

Desligue-se da ideia de ser alguém, porque você já é uma obra-prima. Você não pode ser melhorado. Você só tem que chegar a isto, conhecê-lo e percebê-lo.

Todos nós temos as nossas assinaturas energéticas únicas. Se outros brilharem mais intensamente, é porque eles compreenderam o seu pleno potencial.

A presença deles não significa que você deva se comparar ou a sua vida com a deles. Eles estão aí para incentivá-lo a reconhecer a sua luz e compreender o seu pleno potencial, também.

3 – Não leve a vida muito a sério


Assuma o comando de sua vida. Veja que toda a existência é celebração. Estas árvores não são sérias,estes pássaros não são sérios. Os rios e os oceanos são selvagens, e em toda parte há diversão, há alegria e encanto. Observe a existência, ouça a existência e torne-se parte dela.

A vida é para ser vivida. Você pode planejar, você pode definir metas, mas não deve se perder no processo.

Divertir-se não significa tornar-se passivo ou feliz,significa soltar-se um pouco e se permitir celebrar a vida a cada momento.

4 – Liberte aquele que você ama

Se você ama uma flor, não a colha. Porque se você a pegar, ela morre e deixa de ser o que você ama. Assim, se você ama uma flor, deixe estar. Amor não se trata de posse. Amor se trata de apreciação.

É tentador manter ou possuir aquele que você ama. Mas se você fizer isto, você não está apenas o matando, mas, também se matando no processo.

O amor perderá o sentido quando algo ou alguém não conseguir respirar, por causa da firmeza com que você o mantém.

Mas quando você permite que ele seja ele mesmo, quando o deixa ir quando for necessário, o amor fica cheio de significado, especialmente quando ele escolhe ficar porque ele o está amando.

5 – Ouça a sua intuição

“Ouça o seu ser. Ele está continuamente dando-lhe dicas, é ainda uma voz suave e tranquila. Não grita com você, isso é verdade. E se você estiver um pouco silencioso, começará a sentir o seu caminho. ”

Sua intuição é a voz tranquila e suave que constantemente o lembra do seu verdadeiro ser. Quando você a ouve, você nunca poderá estar errado.

Tudo o que você precisa fazer é ficar tranquilo em silêncio, e é quando sua voz interior fala em voz alta.

6 – A escolha de ser feliz ou triste depende exclusivamente de você.

Você se sente bem, você se sente mal e esses sentimentos estão borbulhando a partir de sua própria inconsciência, de seu próprio passado. Ninguém é responsável exceto você. Ninguém pode deixá-lo com raiva, e ninguém pode fazê-lo feliz.

Culpar outras pessoas pela forma como elas faziam com que você se sentisse é tirar o poder de si mesmo. Suas emoções não dependem de como os outros o tratam ou de como uma situação acontece, mas sim de suas percepções de pessoas e situações.

Na maioria das vezes, suas emoções são desencadeadas por situações semelhantes no passado em que você foi muito magoado. Mas então o passado é o passado.

Você está no momento atual em que tem o poder de mudar sua percepção ou sua realidade.

7 – Seja Amor

Ao se apaixonar você permanece uma criança, ao amar você amadurece.

Amar é precisar de um objeto para ser o destinatário deste amor. Mas quando você se torna amor, você não precisa de nada ou de qualquer pessoa para expressar este amor. Você só sente amor porque isto é o que você é.

8 – Todos são únicos a sua maneira

“Ninguém é superior, ninguém é inferior, mas ninguém é igual, também. As pessoas são simplesmente únicas, incomparáveis. Você é você, eu sou eu. Eu tenho que contribuir com meu potencial para a vida. Você tem que contribuir com seu potencial para a vida. Eu tenho que descobrir meu próprio ser. Você tem que descobrir seu próprio ser.”

Cada pessoa tem o mesmo produto químico em seus corpos. No entanto, cada um carrega um modelo que é único em si.

Nesta evolução coletiva, ver o outro como separado, limita nossa capacidade de nos tornarmos quem realmente somos.

Tudo porque estamos conectados a apenas uma Fonte que deseja que contribuamos para o mundo com nossos dons individuais sem nos sentirmos acima ou abaixo dos outros.

9 – Seu conceito de si mesmo não é seu

Toda a sua ideia sobre você é emprestada, emprestada daqueles que não têm ideia de quem eles são.

Não acredite quando os outros dizem que você é bom ou não é ninguém.

Toda idéia que vem de uma pessoa é uma projeção de quem ela é. Eles falam coisas que estão dentro de seus corações e mentes e a partir das experiências pelas quais passaram.

Ninguém sabe quem é a pessoa real dentro de você, exceto você. Esforce-se para saber quem você é, para que você tenha uma ideia clara de si mesmo e não precise emprestar ideias de outras pessoas.

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO 
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
Fonte: https://www.lifecoachcode.com/2018/05/03/most-important-lessons-by-osho/
Agradecimentos à: https://rayviolet.blogspot.ca/2018/05/the-9-most-important-lessons-by-osho.html
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Generosidade

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e atividades ao ar livre

” A GENEROSIDADE é a verdadeira riqueza. E para ser generoso, para partilhar, você não precisa de muita coisa. Para ser generoso, você só precisa partilhar qualquer coisa que tenha.
Você pode não ter muito – essa não é a questão. Quem tem muito? Quem pode alguma vez ter o bastante? Nunca é muito, nunca é o bastante. Você pode não ser absolutamente nada, pode ser apenas um mendigo da rua, mas ainda assim pode ser generoso.

Você não pode sorrir quando um estranho passa? Você pode sorrir, pode dividir seu ser com o estranho, e então você é generoso. Você não pode cantar quando alguém está triste? Você pode ser generoso – os sorrisos nada custam.
Mas você ficou tão miserável que, mesmo antes de sorrir, pensa três vezes: sorrir ou não sorrir? Cantar ou não cantar? Dançar ou não dançar – aliás, ser ou não ser?
Partilhe seu ser, se você não tiver nada; essa é a maior riqueza – todos nascem com ela. Partilhe seu ser! Estenda sua mão, dirija-se ao outro com amor no coração.

Não considere ninguém como um estranho. Ninguém o é; ou todos são. Se você partilha, ninguém é; se não partilha, todos são.”

Osho Na Minha Vida

Não há atalho

atalho.jpg

NÃO HÁ ATALHO
por Rajneesh Osho

Você me pergunta, mais uma vez, se posso fazer algo para que o seu progresso espiritual seja mais rápido.

Eu posso entender seu desejo, posso entender sua sede, posso entender sua ânsia, mas nada pode ser feito rapidamente nesse sentido. Não há atalho. Atalhos são prometidos apenas por falsos instrutores.

Não há atalho.

O crescimento é árduo e nada pode ser feito mais rápido do que você possa absorver.
Há um certo limite para a sua absorção, há um certo limite para o seu intelecto.

Uma vez que você tenha absorvido algo, suas capacidades se tornam maiores, aí alguma coisa a mais será possível. E quando você tiver absorvido esse algo a mais, suas capacidades se tornarão ainda maiores e algo mais poderá ser feito de novo. E é assim que a coisa anda.

O crescimento é lento.

O crescimento não é como as flores da estação. É como as grandes árvores que tomam centenas de anos para crescer. Mas aí, elas podem dialogar com as estrelas. Flores sazonais existem apenas por poucas semanas. Elas vêm rapidamente, e vão rapidamente. Elas são como sonhos, não são totalmente reais. Elas apenas simulam estar aqui.

Seja um verdadeiro “Cedro do Líbano”.
Isso leva tempo, isso é duro.

Quando você começa a subir em direção ao céu e às nuvens e à Lua e às estrelas, é árduo.
É árduo porque você tem que desenvolver raízes, profundas raízes terra adentro.

A árvore cresce na mesma proporção que as raízes, se ela tem que crescer trinta metros para o céu, ela tem que crescer trinta metros por sob a terra. Essas raízes tomam tempo.

Você não vê as raízes.
Raízes não são visíveis.

Se você repentinamente cresce rápido e as raízes não estão prontas para sustentar a você grande dessa maneira, você cairá, você desabará. E uma vez que você tenha caído, se tornará muito difícil se tornar enraizado novamente.

Essa mania de velocidade precisa ser abandonada.
Não há necessidade.

Cada passo deve ser desfrutado e celebrado.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://despertarcoletivo.com/nao-ha-atalho/

Pais

 

pai e filho bebê - FB.jpgPAIS
É sempre bom chegar a um entendimento com seus pais.

Gurdjieff costumava dizer: ” A menos que você esteja em boa comunhão com seus pais, você perdeu a sua vida.” Se alguma raiva persiste entre você e seus pais, você nunca se sentirá à vontade. Onde você estiver, você se sentirá um pouco culpado. Você nunca será capaz de perdoar e esquecer. Os pais não são apenas um relacionamento social, pois foi deles que você veio. Você é parte deles, um ramo da árvore deles. Você ainda está enraizado neles.
Quando os pais morrem, morre algo muito profundamente enraizado dentro de você. Quando os pais morrem, pela primeira vez você se sente sozinho, sem raízes. Assim, enquanto eles estiverem vivos faça tudo para que uma compreensão possa surgir e você possa se comunicar com eles e eles possam se comunicar com você. Assim, as coisas se ajustam e as coisas se encerram, e, quando eles deixarem o mundo – e algum dia deixarão -, você não se sentirá culpado, não se arrependerá e saberá que as dificuldades se resolveram. Eles ficarão felizes com você, e você ficará feliz com eles.

OSHO TODOS OS DIAS – 365 meditações diárias

O corpo é sua casa!

A imagem pode conter: céu

“As religiões vêm ensinando às pessoas a serem antagônicas a seus corpos, a torturá-los – elas chamam isso de ascese.
Isso é estupidez aguda.
E eles acham que torturando o corpo vão ser capazes de transcendê-lo.
Eles estão completamente errados.
A única maneira de transcender é pela lucidez, e não pela tortura.
O corpo é sua casa.
Não há razão para a tortura.
Você não tortura a sua casa, você sabe que você não é ela, é simplesmente a sua casa.
Apenas a lucidez é necessária.
Não há necessidade de fazer jejum, não há necessidade de ficar de cabeça para baixo, de contorcer ou forçar o seu corpo em milhares de posturas diferentes.
Apenas observando, se tornando lúcido, é o suficiente.” 


~ Osho

Osho

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, oceano, céu, pássaro, atividades ao ar livre, água e natureza

 

“Qualquer que seja o seu rosto verdadeiro, mostre-o, custe o que custar.
Lembre-se: isso não significa que você tenha de desmascarar os outros; se eles estão felizes com as mentiras deles, compete a eles se decidir.
Não saia desmascarando ninguém, porque as pessoas são como são.
Seja verdadeiro consigo mesmo.
Não é preciso que você corrija ninguém no mundo.
Se você puder crescer sozinho, será o bastante como mensagem.”

Osho

Seja delicado

não seja duro.jpg

Não seja duro; seja delicado.
Cuide de si mesmo.
Aprenda como se perdoar, cada vez mais e novamente; sete vezes, setenta e sete vezes, setecentos e setenta e sete vezes. Aprenda como perdoar a si próprio. Não seja duro; não seja hostil consigo mesmo. Assim você irá florescer.
Nesse florescimento você atrairá alguma outra flor.
Isso é natural.
Pedras atraem pedras; flores atraem flores.

(Osho)

Postado por Vera Lúcia no Vale de Luz
 

 

Osho – inspiração

caminho de flores.jpg

“Não peça reconhecimento. Se ele vier, aceite-o tranquilamente; se ele não vier não pense a respeito.

Existiram poucas pessoas como Vincent Van Gogh, capazes de escapar da armadilha que a sociedade lhes impingiu. Ele continuou pintando – com fome, sem casa, sem agasalhos, sem remédios, doente – mas ele continuou pintando. Nem uma pintura sequer estava sendo vendida, não havia reconhecimento de parte alguma, mas o estranho era que em tais condições ele ainda era feliz – feliz porque era capaz de pintar o que queria pintar. Reconhecido ou não, o seu trabalho era intrinsecamente valioso.

Aos trinta e três anos ele cometeu suicídio – não por causa de alguma miséria ou angústia, mas simplesmente porque ele havia pintado o seu último quadro, um pôr-do-sol, no qual havia trabalhado por quase um ano. Ele tentou dezenas de vezes e destruiu, porque não havia atingido aquele seu padrão. Finalmente ele conseguiu pintar o pôr-do-sol da maneira como desejava.
(…)
Agora, após quase um século, cada uma de suas pinturas vale milhões de dólares. Existem apenas duzentas pinturas disponíveis. Ele deve ter pintado milhares, mas elas foram destruídas; e ninguém prestou atenção nelas.

Agora, ter um quadro de Van Gogh significa que você tem um senso estético. O quadro dele traz um reconhecimento para você. O mundo não deu qualquer reconhecimento ao trabalho dele, mas ele nunca se preocupou com isso. E esta deve ser a maneira de ver as coisas: você deve trabalhar se amar aquele trabalho.

Não peça reconhecimento. Se ele vier, aceite-o tranqüilamente; se ele não vier não pense a respeito. A sua realização deve estar no próprio trabalho. E se todos aprendessem esta simples arte de amar o seu trabalho, seja qual ele for, curtindo-o sem pedir por qualquer reconhecimento, nós teríamos um mundo mais belo e mais celebrante. Do jeito que o mundo é, vocês têm estado presos num padrão miserável. O que você faz é bom, não porque você ama fazê-lo, não porque você o faz perfeitamente, mas porque o mundo o reconhece, lhe dá uma premiação, lhe dá medalhas de ouro, prêmios Nobel.

Qualquer homem, que tem algum senso de sua individualidade, vive pelo seu próprio amor, pelo seu próprio trabalho, sem se preocupar com o que os outros pensam a respeito. Quanto mais valioso for o seu trabalho, menor será a chance de obter alguma respeitabilidade para com ele. E se o seu trabalho for o trabalho de um gênio, então você não verá nenhum respeito enquanto viver. Você será condenado enquanto viver… Depois de dois ou três séculos, erguerão estátuas para você, os seus livros serão respeitados – porque demora quase dois ou três séculos para a humanidade compreender o tamanho da inteligência que um gênio tem hoje. O espaço de tempo é grande.

Sendo respeitado por idiotas, você terá que se comportar de acordo com suas maneiras e expectativas. Para ser respeitado por essa humanidade doente, você terá que ser mais doente que ela. Então eles irão respeitá-lo. Mas, o que você irá ganhar? Você perderá a sua alma e nada ganhará.”

– Osho –

Somos convidados

convidados.jpg

“Você é um convidado.
Deixe esta terra um pouco mais bonita,
um pouco mais humana,
um pouco mais amorosa,
com uma fragrância um pouco mais bela para aqueles que virão depois de você.”

Osho**

Livre-se da mania de ser infeliz

 

Livre-se da mania de ser infelizHá muitas coisas para se entender – sem entendê-las é muito difícil se livrar da mania de ser infeliz. A primeira coisa é: ninguém está prendendo você; é você que decidiu ficar na prisão da infelicidade.

Ninguém prende ninguém. O homem que está pronto para sair dela, pode sair quando quiser. Ninguém mais é responsável. Se uma pessoa é infeliz, é ela mesma a responsável. Mas a pessoa infeliz nunca aceita a responsabilidade – é por isso que continua infeliz. Ela diz: “Estão me fazendo infeliz”.

Se outra pessoa está fazendo com que você seja infeliz, naturalmente não há nada que você possa fazer. Se você mesmo está causando a sua infelicidade, alguma coisa pode ser feita, alguma coisa pode ser feita imediatamente. Então, ser ou não ser infeliz está nas suas mãos.

Um homem torna-se realmente um homem quando aceita a responsabilidade total – é responsável pelo quer que seja. Essa é a primeira forma de coragem, a maior delas. É muito difícil aceitá-la porque a mente vai continuar dizendo: “Se você é responsável, porque criou isso?”.

Para evitar isso, dizemos que os outros são responsáveis: “O que eu posso fazer? Não tem jeito… sou uma vítima! Sou jogado daqui para ali por forças maiores e eu não posso fazer nada. Posso no máximo chorar porque sou infeliz e ficar ainda mais infeliz chorando”. E tudo cresce – se você cultiva uma coisa, ela cresce. Então, você vai cada vez mais fundo… mergulha cada vez mais fundo.

Ninguém, nenhuma outra força, está fazendo nada a você. É você e só você. Isso resume toda a filosofia do karma – que é o seu fazer; karma significa ‘fazer’. Você fez e pode desfazer. E não é preciso esperar, postergar. Não é preciso tempo – você pode simplesmente pular fora disso.

Mas nós nos habituamos. Se pararmos de ser infelizes, nos sentiremos muito sozinhos, perderemos nossa maior companhia. A infelicidade virou nossa sombra – nos segue por toda a parte. Quando não há ninguém por perto, pelo menos a infelicidade está ali presente – você se casa com ela. E trata-se de um casamento muito, muito longo; você está casado com a sua infelicidade há muitas vidas.

Agora chegou a hora de se divorciar dela. Isto é o que eu chamo de a grande coragem – divorciar-se da infelicidade, perder o hábito mais antigo da mente humana, a companhia mais fiel.

Osho

https://universonatural.wordpress.com/2015/01/31/livre-se-da-mania-de-ser-infeliz/