Você está se tornando um professor

VOCÊ ESTÁ SE TORNANDO UM PROFESSOR
Mensagem de Jeshua
Canalizada por Pamela Kribbe
janeiro de 2020

Queridos amigos,

Eu Sou Jeshua. Meu coração se enche de alegria por compartilhar este dia com vocês. Isto é como um encontro entre velhos amigos. Estamos conectados pelo coração e temos uma missão em comum. Desejo que me reconheçam como irmão, como igual e como amigo.

Estou aqui para celebrarmos juntos o fato de estarem se tornando professores. Vocês estão passando por uma transição, entrando em um novo estágio do caminho de suas almas. Sintam isto em seus corações… vocês estão prontos para seguir adiante.

Estou saudando-os como meus iguais e não como meus discípulos. Estou aqui para lhes entregar a tocha de luz que vocês devem espalhar por todo o mundo. Vocês têm se voltado para mim e outros mestres em busca de orientação e respostas, mas agora carregam a tocha de luz e sabedoria em seus próprios corações. É claro que ainda têm perguntas; ainda têm questões a resolver.

Vocês são seres humanos e passarão por altos e baixos durante toda a vida. Mas cada um possui uma parte que já ultrapassou esses altos e baixos; uma parte que conhece todos os altos e baixos da vida na Terra como ser humano. Peço, então, que cada um de vocês se conecte com essa sua parte agora, com mais consciência. Esta é uma parte sua que é tranquila e sábia.

Peço-lhe que penetre nessa parte, imaginando que você é um homem ou mulher muito velhos. Fite os olhos desse homem ou mulher. Esses olhos possuem uma grande profundidade, pois já viram uma infinidade de coisas. Sinta o coração desse ancião ou anciã que você é. Ele é compassivo, sabe como ver as coisas de ambos os lados, é capaz de se desapegar e perdoar… então reconheça essa parte de você.

E reconheça também que estamos todos aqui reunidos como almas afins, como pessoas afins. Todos vocês estão no mesmo caminho e, embora você esteja sozinho, como ser único e individual, está também conectado com todos os outros. Sinta a força da sua família de alma. Você está conectado com este grupo de almas que está passando pela mesma transição que você está. Você nunca está só.

Peço-lhe uma coisa agora. Quero que imagine que está segurando uma tocha de luz que é você, e que você dá um passo à frente. Estou lhe pedindo que se torne mais visível neste mundo. Sei que muitos estão lidando com antigos medos relacionados com isto. Compartilhar sua luz, seu verdadeiro conhecimento e sabedoria, não é uma coisa fácil para você. É preciso coragem!

Às vezes você se identifica demais com a vítima, com o sofredor; sente-se oprimido pelas energias mais baixas deste mundo e preferiria fugir e deixar tudo isso para trás. Mas você está aqui para trazer luz, para trazer mudança e uma nova consciência na Terra.

Você tem uma missão a cumprir, e eu entendo seu medo, mas estou lhe pedindo que, como ato de compaixão, dê um passo à frente e mostre ao mundo quem você é, embora, de certa forma, não precise fazer isto. Você pode permanecer concentrado em si mesmo, em curar e viver sua própria vida.

Não existe nenhuma obrigação cármica de sair para o mundo, mas estou apelando ao seu amor e compaixão pela humanidade. Há um grande sofrimento neste mundo. Muitas pessoas se sentem perdidas em suas dores, elas se afundam em seus sofrimentos e não conseguem enxergar a saída. E embora você carregue seus próprios fardos, você já atingiu um outro nível de consciência, e é capaz de aliviar o sofrimento dos outros.

Justamente por ter consciência da sua própria dor, sua compaixão cresceu e você não tem nenhum julgamento sobre as outras pessoas. Seu próprio sofrimento pode agir como ponte entre você e os outros. E quando você se doa, quando compartilha sua luz, a energia da sua alma, você também é curado. Ao compartilhar sua energia e oferecer o melhor de si para a humanidade, você se sentirá cada vez mais profundamente conectado com ela.

Por isto estou lhe pedindo que faça o que eu tentei fazer há mais de 2000 anos, porque nós somos iguais. Por favor, abandone suas dúvidas e inseguranças sobre quem você realmente é, sobre suas capacidades. Imagine que, no seu dia-a-dia, você carrega a tocha de luz em seu coração, deixando-a brilhar intensamente, sem a encobrir nem a ocultar. Sinta o que mudaria se você fizesse isto.

Quero lhe dizer também que é seguro deixar sua luz brilhar, mostra-la para os outros. Este mundo está em transição. Quando vivi na Terra, havia apenas alguns princípios de mudança, mas a consciência cresceu neste meio tempo, e agora o mundo e a humanidade estão prontos para mudar. Você é bem-vindo aqui como o mestre que você é; não mais será castigado ou crucificado por fazer isto.

Inclusive, você também está aqui, agora, nesta vida, para completar sua própria jornada na Terra; para experimentar o que é ter paz e alegria tranquila na Terra. Por isto, quando lhe peço para se doar e deixar sua luz brilhar no mundo, não estou lhe pedindo para ser um guerreiro. Você não precisa convencer as pessoas de nada. O que traz a mudança é simplesmente a sua vibração, a sua energia… se não as esconder. Sua compaixão, o calor do seu coração, o seu carinho é que fazem a diferença.

E, às vezes, irradiar sua luz significa tomar decisões firmes em sua vida. Você pode, por exemplo, abandonar um relacionamento ou um emprego, ou mudar-se. Permitir que a energia da sua alma se expresse na sua vida pode lhe trazer grandes mudanças. Mas se confiar no fluxo, verá que o Universo e a vida irão apoia-lo, sustenta-lo, ajuda-lo. Esta vida não se refere a combates e lutas, mas a receber a graça de viver de acordo com a sua alma.

Então, finalmente, conecte-se mais uma vez com aquela pessoa muito idosa dentro de si mesmo, e veja a energia do Cristo nos olhos dela. Perceba, inclusive, que você consegue ver o eterno nesses olhos, pois esses olhos não são velhos, eles são eternos.

Obrigado por estar aqui.

© Pamela Kribbe – www.jeshua.net
https://www.jeshua.net/channelings/you-are-becoming-a-teacher/
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com – www.jeshua.net/por

O Jardim do Éden

O JARDIM DO ÉDEN
Mensagem de Jeshua
Canalizada por Pamela Kribbe
em novembro, 2019

Queridos amigos, saúdo todos vocês do coração da energia Crística. Falo a partir da energia Crística, que se move dentro de vocês e os leva a um tipo diferente de realidade, a um campo de consciência coletiva que difere da consciência que prevalece atualmente na Terra.

Vocês são diferentes da massa da humanidade. São os pioneiros de uma nova era, e estão procurando criar um caminho para um novo território. O trabalho que estão realizando é importante e exige muito de vocês. Vocês criam trilhas energéticas para que outros sigam em direção a uma nova forma de consciência.

Sabemos que esse é um caminho solitário. Nele, vocês se deparam com medos que desconhecem e não sabem lidar bem com eles. Inclusive, por pertencer à vanguarda, a um grupo de pioneiros, vocês não podem recorrer a nada que lhes seja familiar. Vocês são valentes e corajosos, entretanto, ao mesmo tempo, encontram dúvidas sombrias neste caminho solitário para algo novo. Para deixar bem claro de onde vocês vieram e como chegaram neste caminho, eu os levarei de volta a um passado distante.

Gostaria de leva-los de volta à época do Paraíso, ao qual a Bíblia se refere como “Jardim do Éden”, onde viveram os primeiros seres humanos, Adão e Eva. Peço-lhes que deixem de lado tudo o que sua tradição lhes contou sobre este período e lugar.

Nesse jardim, havia muita vida que brotava e procurava novas formas. Todos os tipos de formas se desenvolviam nos reinos vegetal e animal, assim como no reino das pedras e dos minerais. E vocês estavam lá nesse jardim. A Terra era abundante e cheia de vida, e vocês faziam parte disso – não como seres humanos, mas como seres etéreos em forma de anjos. Vocês pairavam sobre a Terra e, com suas formas-pensamentos, inspiravam-na a tornar-se fértil.

Como vocês chegaram a fazer isso? Vocês mesmos estavam em um caminho; vocês tinham empreendido uma aventura. Em sua essência de anjo, havia uma necessidade de explorar, uma curiosidade de viajar para o novo. Então, em algum ponto de sua longa jornada, vocês chegaram no planeta Terra. Sentiram que algo novo estava se iniciando aqui, alguma coisa especial, alguma coisa rica.

Como seres angélicos, vocês se sentiram atraídos pela Terra. O fato de poder estar aqui e explorar as possibilidades presentes neste planeta lhes dava uma sensação de felicidade. E foi assim que, ao circular pela Terra, vocês foram inspirados a penetrar em uma pedra ou uma planta ou uma árvore, ou em um pássaro. Cuidadosamente, vocês infundiam essas formas materiais com sua consciência, e entravam e saiam delas.

Se fossem capazes de rir, teriam rido também, mas ainda não tinham um corpo com o qual fazer isso. Vocês eram como crianças: brincalhões, cheios de confiança, cheios de amor. Sentiram-se convidados a participar de um grande processo de criação que estava ocorrendo na Terra; e foram co-criadores daquela realidade.

Conseguem imaginar o quanto foi grandioso aquele momento… todo aquele período em que vocês estiveram envolvidos com o Terra e o processo de criação? Vocês enviavam sua energia em direção à Terra; energia luminosa que inspirava as formas materiais da Terra a se desenvolverem em todo tipo de seres vivos. Esta evolução foi influenciada externamente pelos seres etéreos, angélicos, que vocês eram.

Em algum ponto, vocês decidiram vivenciar internamente essas criaturas feitas de matéria, e assim tomaram a decisão de se tornar parte da Terra. Vocês realmente escolheram encarnar em uma forma densa, um corpo, e permanecer dentro dele do nascimento à morte. Isto foi um salto bem grande em sua evolução.

Passou-se muito tempo nesse processo – agora omito muitos dos passos envolvidos – mas chegou um momento em que vocês quiseram experimentar como seria estar encarnado como ser humano. Depois de terem praticado com corpos de outras formas de vida, a culminação desse processo veio como a encarnação em corpos humanos.

É importante que imaginem e entendam como o anjo, que vive em vocês, é leve, flutuante, flexível e livre, e como ele não conhece nenhuma escassez. Um anjo vive da abundância e tem pouca experiência de resistência. Ele vai para os lugares, para as realidades onde se sente convidado.

Ele segue seu coração sem esforço e sem dúvida, e sempre descobre e experimenta coisas novas. Então, quando vocês entraram em corpos humanos, novas emoções de incompreensão e inexperiência certamente surgiram com a vida nessa nova forma material; e essa experiência era nova também.

Com suas mentes questionadoras, curiosas, abertas, vocês absorveram tudo. Mas, com o tempo – e aqui, mais uma vez, estou falando de períodos muito longos – vocês perderam parte de sua luz. Parte da liberdade que haviam conhecido enquanto anjos, tornou-se velada pela vida na matéria; de repente, vocês começaram a experimentar a realidade limitada por um corpo – com seus olhos, vocês enxergavam uma coisa; com suas narinas, cheiravam outras; com suas mãos, sentiam isto ou aquilo.

Todos esses sentidos resultavam numa percepção fragmentada da realidade. A experiência do mundo parecia muito diferente através de uma consciência terrena, de uma consciência humana. A luz, sempre presente, já não era mais tão facilmente acessível e tangível para vocês. Entretanto, vocês sempre carregaram uma lembrança dessa luz dentro de si, mesmo enquanto avançavam na jornada da encarnação, manifestando-se na matéria, em um corpo e, desta forma, construindo, funcionando e vivendo em uma nova realidade energética.

Todos vocês atingiram o ponto mais profundo do seu processo de encarnação e estão agora no caminho de volta. Esse ponto mais fundo também representa o ponto mais escuro.

Chega um momento em que a alma está tão mergulhada na matéria, que não reconhece mais seu próprio ser angélico… não o sente mais. Ela pensa que a realidade física é tudo que existe: “Eu sou meu corpo, sou meu cérebro. Meu pensamento, minhas atitudes, minhas ações são guiadas pela matéria, não pelo espírito.”

Como resultado, vocês também podem começar a se sentir impotentes, tristes e angustiados. As coisas podem perder o sentido, porque vocês não sentem mais orientação, não têm mais a sensação de estar imbuídos daquela luz interior que é seu Lar, sua origem e fonte.

Chega um momento, na jornada de toda alma, em que o ser humano atinge o ponto mais distante possível do seu Eu Angélico. Sinta, por um instante, como você reconhece isso pela sua própria experiência. É aquela situação em que você sabe: “Alcancei o ponto e o tempo mais distantes. Conheci as mais profundas trevas, e isto faz parte da minha jornada, da minha exploração, da minha aventura. Isto não é ruim nem bom; é simplesmente assim que é.”

E agora você está fazendo seu caminho de volta.

Entretanto, no processo de “des-encarnação”, de deixar as partes mais densas da matéria, você sente dificuldade em se libertar das trevas e do medo que encontrou dentro de si mesmo, os quais surgiram porque você se sentiu rejeitado pela sua luz interior, pelo ser que você é em essência. Eu o incentivo a olhar profundamente para esses medos. Está na hora de abandoná-los, de desapegar-se deles. Eles lhe foram úteis de alguma forma, e você aprendeu bastante com eles.

A consciência Crística não é nada além daquela que experimentou e vivenciou todas as facetas do ser na matéria. A partir dessa experiência surge uma compreensão e compaixão por tudo o que existe, respira e sente. Vivenciar isso a partir do íntimo de todas as facetas da vida é riqueza interior. Você já fez tudo isso, embora ainda esteja se esforçando nesse sentido.

Estamos em um momento de mudança e transição, e você está entre os primeiros a lutar com isso; particularmente no campo do trabalho, onde está em contato com a sociedade e suas ideias coletivas e padrões de pensamento. É exatamente aí que você se encontra. Por um lado, porque deseja seguir um caminho diferente, e, por outro lado, porque é aí que aqueles velhos medos são ativados.

Seu passado lhe ensinou muito sobre o que é “bom” e o que é “ruim”, sobre o que pode ser e o que não pode ser. Entretanto, a única coisa que é realmente boa para você, que o conduz ao seu destino, é a voz interior do seu eu autêntico.

Ser autêntico significa ouvir a si mesmo e não se distrair com todas as informações que lhe chegam “de fora”, que lhe dizem o que fazer e o que não fazer. O “segredo” que se refere a você é que o seu pensamento e os seus medos também são informações “de fora”, que não vêm do seu âmago, do seu conhecimento interior. É tudo informação externa.

No momento em que você começa verdadeiramente a reconhecer que você não é seus medos, que você não é seus julgamentos internos, sua percepção muda. E então você passa a se manter centrado na sede do seu coração, no centro do seu ser.

O sol que você é sempre esteve aí, mas agora ele está verdadeiramente incorporado na matéria, de onde deseja irradiar sua luz. Ele deseja voltar a inspirar a Terra com sua luz, só que agora, no sentido real, tangível da palavra – a partir da matéria em um corpo. Não como um anjo etéreo, mas como um ser humano, um anjo encarnado.

Esta é a luz que você veio trazer para cá. É isto que significa ser um trabalhador da luz – é encontrar sua origem em meio à realidade terrena, que está envolvida numa luta, onde existem muitos medos, bloqueios e julgamentos. Você se torna livre quando se identifica com esse anjo dentro de si. E, para isto, eu gostaria de lhe oferecer algumas abordagens alternativas.

Na Terra, você foi treinado para pensar e fazer… ao extremo! Desde a mais tenra idade, sua educação se concentrou em manifestações externas: O que você é capaz de fazer? O que você é capaz de produzir? A que nível chega a sua capacidade de colocar as coisas em palavras, conceituar, categorizar e rotular?… Tudo isso são construções externas.

Pensar e fazer são basicamente instrumentos terrenos para permitir que a energia da sua alma se expresse externamente; mas o que geralmente acontece é que a energia da sua alma acaba sendo sufocada por esses instrumentos.

Se o pensamento for considerado importante por si só e não for alimentado pelo coração, pela intuição, ele começará a levar uma vida própria, tornando-se caótico e apavorado, porque o pensamento por si só não possui unidade. Muitos processos de pensamento podem passar por sua mente ao mesmo tempo – informações de diversas fontes – resultando, assim, em energia fragmentada.

A única coisa que pode verdadeiramente unificar é o coração. Pensamentos são úteis e funcionais, pois ajudam a fazer a energia da sua alma fluir para fora. O mesmo se aplica às ações. Mas, em sua sociedade, impera uma espécie de obsessão por fazer. Vocês estão sempre trabalhando em alguma coisa. Acreditam que muito pode ser conseguido através da ação, e ficam desapontados quando isto os leva a um beco sem saída.

O que desejo lhe dizer com isto é que muito provavelmente você foi ensinado a agir depressa demais, e não seguir o ritmo da sua alma, daquele conhecimento íntimo de que algumas coisas avançam mais lentamente e requerem mais tempo para se desenvolver do que simplesmente pensar e agir. As exigências externas lhe pedem que realize as coisas rapidamente, que conquiste algo imediatamente, que execute logo, que não deixe para mais tarde.

Existem todos esses requisitos e regras que “devem ser seguidos”, mas todos eles são mecanismos de controle tentando tomar conta da sua vida. A vida não está mais sendo inspirada pela energia ágil e fluida do anjo do seu Eu Superior. E assim, desta maneira, o anjo fica preso em processos de pensar e fazer. Você sente isto quando se frustra se as coisas não funcionam.

Isto se torna ainda mais difícil quando há informação externa do tipo: “Você tem que trabalhar mais duro – dar o melhor de si!” Ou quando você precisa estabelecer novas regras para si mesmo, como: “Seja mais disciplinado.” É assim que as soluções da mente funcionam, mas não é aí que se encontra a verdadeira solução. A solução não reside em estruturas, planejamento e pensamento. Essa solução, essa resposta, encontra-se internamente, na fonte do seu ser. É lá que tudo nasce.

Aprecie seus pensamentos e ações, mas não permita que eles comandem tudo. Encontre momentos para experimentar a calma, e permita que seus pensamentos e ações fiquem em silêncio. Tente não se obcecar por resultados – siga seu coração. Se ele lhe der a entender que está na hora de fazer determinada coisa, faça-a. Se lhe disser para não fazer isto e aquilo, ouça essa voz.

Podemos perceber esta maneira de reagir nas crianças. Elas seguem o fluxo natural com muito mais facilidade do que os adultos. É por isto que, como pai, mãe ou professor, sentimos que muitas vezes as crianças podem ser teimosas e irritantes. Mas elas seguem seu fluxo natural, seu ritmo natural. Uma criança aprende no seu próprio tempo e no seu próprio ritmo. Ela cria coisas a partir de dentro do seu próprio ser.

Este também era o caso do ser angélico que você era originalmente, naquele Jardim do Éden, naquele tempo remoto. Você era brincalhão e livre como uma criança e criava maravilhas. Era mágico!

E se alguém perguntasse a esse anjo: “Como você faz isso? Como você sabe o que tem que fazer?”, ele responderia: “Não faço nada; eu apenas brinco. Faço o que me dá vontade, o que me inspira.”

E, no entanto, a partir dessa sabedoria interior e do amor, o anjo sabia qual era o caminho. Tudo isto também está presente em você… agora! O único propósito do exercício que estamos fazendo aqui é ajudá-lo a despertar. Você é aquele ser angélico; solte as rédeas desse anjo. Encontre momentos em que possa sentir aquela descontração, aquela alegria. Desta forma, sua energia começará a fluir novamente.

Quando você se envolve em “coisas” e se sente frustrado, ansioso ou desanimado, acaba ficando preso no “pensar” e “fazer”; um “fazer” que se tornou estagnado. Quando seus pensamentos seguem padrões do tipo: “Tenho que fazer isto, mas parece que não consigo que funcione.”, você está preso no modo “fazer”.

O que você precisa, então, é abandonar essas duas energias – pensar e fazer – junto com a compulsão inerente a ambas, de modo a se libertar delas e voltar àquela criança que existe dentro de você, seu ser angélico. A criança e o anjo estão conectados.

Agora peço a todos vocês que experimentem esse sentimento enquanto estamos sentados aqui, cada pessoa simplesmente sendo ela mesma sem seu próprio acervo de problemas ou questionamentos. Minha energia está aqui com todos vocês. E quero pedir que cada um confie nessa consciência angélica em seu interior.

Ela o conduzirá ao ponto em que encontrará sua própria liberdade e sentirá: “Estou aqui pela minha própria vontade. No âmago do meu ser, eu sou um mestre. Eu crio esta aventura para mim mesmo e recebo tudo de que necessito – eu sou completo”

Diga “Sim” para esta consciência e veja seus medos e dúvidas a partir desse lugar dentro de si.

Mantenha em mente esse jardim, esse paraíso, no qual você viveu um dia, e acredite que pode trazer essa energia para o aqui e agora. Você pode fazer maravilhas, mas não precisa saber como. Apenas se abra para essa consciência interior que você pode carregar consigo para sempre, e permita que todas as coisas aconteçam espontânea e naturalmente.

Muito obrigado.

© Pamela Kribbe – www.jeshua.net
Fonte: https://www.jeshua.net/mornings/mornings29.htm
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com – www.jeshua.net/por

O Grande e o Pequeno você

O GRANDE E O PEQUENO EM VOCÊ
Mensagem de Maria Madalena
canalizada por Pamela Kribbe
outubro de 2019

Queridos homens e mulheres, Sou Maria Madalena.

Venho de um passado distante, mas venho também do futuro. Sou mais do que a mulher que esteve aqui na Terra. Faço parte de um campo de energia maior, que se renova e renasce a cada momento. Estou viva e forte! Não estou presa ao tempo e à forma na qual estive encarnada tantos séculos atrás.

Falo a partir de uma fonte de energia inexaurível, que envolve todos vocês, que flui ao redor de vocês e deseja despertá-los para a vida – ela é a fonte da própria vida!

Cada um de vocês tem o direito inato de saber que é mantido em segurança por essa fonte, e de ser levado por esse fluxo de energia, criatividade, tranquilidade, bem-estar e despreocupação. É isto que você realmente é! Tudo o mais é uma ilusão, um véu temporário obscurecendo a sua consciência.

Sinta o campo de energia que eu represento. Faço parte dele, assim como você faz – um campo de energia vibrante e eterno, que se renova e alegremente encontra novas maneiras de se manifestar. Reconheça-se nele. Você é livre, você é independente da sua forma terrena, independente de tempo e espaço. Você é um ser eterno, embora tenha tendência a se esquecer disto no seu dia-a-dia aqui na Terra.

Você está propenso a diminuir sua consciência, a limitar-se a acreditar no que as pessoas lhe disseram, a acreditar na sua formação, no sistema em que foi criado, a acreditar nas imagens que vê ao seu redor na cultura em que vive. Muitas vezes essas imagens restringem a sua consciência até você finalmente acreditar que não é mais do que seu corpo, suas células, ou seu gênero, sua profissão, seu papel na sociedade, ou sua função como pai, mãe, homem ou mulher.

Sem que o perceba, sua consciência se contrai e você se esquece de onde veio e quem você realmente é. Lembrar-se da sua verdadeira identidade é fundamental para tudo o que você quer ser e deseja na sua vida. Esta é a base de onde tudo emerge. Quando se lembra de quem você é, sua vida flui com facilidade e paz, a partir da sua força natural, sem esforço.

Você está presente aqui porque, de alguma forma, sentiu que deseja canalizar; que deseja abrir-se para a corrente de energia que quer fluir através de você; que deseja dar uma voz a ela, e ser um canal para ela. No fundo, este sentimento, este desejo que você tem, é uma espécie de saudades do Lar, um desejo de voltar para o Lar.

Ao canalizar esse fluxo que lhe pertence, você se sente em casa consigo mesmo e na Terra; você repousa no âmago do seu próprio ser e se conecta com o Céu e a Terra. Em essência, este é o significado de canalizar – dar uma forma à energia da sua alma, àquilo que transcende o seu eu terreno, àquilo que é maior do que a forma humana terrena e que não é contido em um corpo num estado contraído. É isto que deseja chegar a você e fluir através de você.

Você possui uma personalidade terrena, moldada pelo passado e pelo que aprendeu através do corpo que você tem (sua predisposição genética), e há também uma corrente que vem da Eternidade, da sua alma. Esse fluxo quer dançar com a sua forma terrena. Poderíamos dizer que é um fluxo do passado, e é determinado pelo passado, mas que deseja fazer contato como o poder de algo maior… e que poderíamos chamar de futuro.

O futuro não é uma coisa fixa; é uma infinidade de possibilidades, de potenciais. A palavra “futuro” representa uma grande e vasta possibilidade em potencial, e liberdade! E você deseja fazer contato com esse futuro, como ser humano que carrega em si sua herança do passado. E este desejo é o chamado da sua alma.

A interação é a seguinte: de um lado, o que é pequeno e limitado em você, o que se contraiu devido ao salto para a esfera terrena; e, do outro lado, a abertura para aquilo que é grande, que é vasto para além da compreensão – o Misterioso – aquilo que você verdadeiramente é, independentemente da forma no tempo. Esta é a dança que você pode chamar de canalização.

Portanto, é inevitável que haja um encontro entre o que é grande e o que é pequeno. Em algum momento, sua personalidade terrena é chamada pela alma e desafiada a abandonar as crenças antigas, restritivas e negativas sobre si mesma. Só então o canal pode se abrir e permitir que a energia vasta e magnífica de quem você realmente é flua através de você.

Isto é canalização, e este processo ancora-o na Terra. Significa, basicamente, que você abandona seu eu antigo e emerge do seu casulo como uma borboleta. É por isto que você tem vontade de canalizar ou de fortalecer sua conexão com seus guias espirituais.

Na verdade, isto é um chamado da sua alma, que lhe diz: “Quero trazer para a Terra mais daquilo que eu realmente sou.” Quando você diz isto, dá um passo para o desconhecido, porque você só pode abrir este canal se também estiver disposto a ver o que foi velado. O passo que lhe está sendo solicitado é: “você está disposto a mudar e se entregar a um processo que não pode compreender?”

Quero lhe facilitar a percepção e compreensão desse processo de encontro entre o eu grande e o eu pequeno, por meio da imagem dos centros de energia localizados ao longo da sua coluna vertebral, também chamados de chacras. Você pode visualizar sua coluna vertebral como um canal.

No topo dela está seu chacra coronário, o centro de energia que se abre para o cósmico, o universal e, através do qual, você se sente conectado com o Todo e com sua alma. Na base da sua coluna, encontra-se o cóccix ou chacra raiz. Lá, a energia é mais compactada, ou “sólida”, e você é completamente parte da Terra, do material, do físico.

Sinta, por um momento, a diferença entre a energia da coroa, no topo da sua cabeça, e a do cóccix, na parte inferior da sua coluna. Você pode perceber como estamos nos referindo a níveis bem diferentes de ser.

Para canalizar a energia do seu eu mais profundo através do seu corpo, esta energia precisa, por assim dizer, descer os degraus de uma escada que vai do seu chacra mais elevado – a coroa – para o mais baixo – o do cóccix. Você pode visualizar literalmente uma escada descendo pela sua coluna, mas saiba que estou usando essa imagem de forma simbólica, porque, na verdade, trata-se de integrar seu Eu Cósmico com seu eu terreno.

É verdade que muitos de vocês conseguem facilmente fazer contato entre seus chacras ou centros de energia “superiores”, e o que podemos chamar de Cósmico, aquela dimensão além da Terra, que pode se manifestar na forma de um mestre amoroso, um guia, anjos, ou seu próprio Eu Superior.

Sinta, em si mesmo, os centros de energia que se encontram no topo da sua cabeça e entre seus olhos (nesse ponto localiza-se o terceiro olho); e sinta também aqueles que estão na sua garganta e no seu coração. Estes são os chacras localizados na parte superior do seu corpo. Tente entrar em contato apenas com essa área superior do seu corpo. Não precisa fazer nada, simplesmente observe-a e perceba uma vastidão, a partir da qual você se conecta quando canaliza.

Olhe para si mesmo de um modo calmo e neutro, para ver o que acontece na região superior do seu corpo quando faz contato com um guia ou mestre, ou seu Eu Superior. Veja como a energia o preenche: no seu coração, na sua garganta, cabeça e coroa. Apenas observe a si mesmo de uma certa distância e veja como esse contato acontece.

Vamos agora descer para os chacras “inferiores”. Existem três centros de energia localizados na parte inferior do seu corpo: um no estômago, também chamado de plexo solar; outro mais abaixo, no seu abdome, chamado chacra umbilical, e o mais baixo, o chacra do cóccix [raiz]. Entre em contato com essa área descendo conscientemente para dentro dela. Você só precisa estar lá, não precisa fazer nem mudar nada.

Desça até seu ventre e, então, veja se consegue ir ainda mais fundo, até seu cóccix. Uma vez que tenha entrado em contato com essa região, olhe para si mesmo e veja-se canalizando, e não tenha nenhuma dúvida de que está canalizando. Todos vocês canalizam em momentos de inspiração e confiança. Simplesmente imagine que você está agora em um momento desses.

Você já viu como a energia flui nos chacras superiores. Agora observe como a energia flui nos chacras inferiores no momento em que você se conecta como o Eu maior que deseja vir a você. Essa energia consegue fluir completamente para dentro dos seus chacras inferiores? Ela pode ser recebida inclusive pelo chacra do seu cóccix? Esta é a pergunta que desejo fazer-lhe hoje.

Existe um lugar no seu corpo, que geralmente é a linha divisória entre seus chacras superiores e inferiores, e ele está localizado entre os chacras cardíaco e plexo solar. Esse é o lugar de encontro entre a fonte superior que você deseja incorporar, e seu eu inferior, terreno, contraído.

Nos chacras inferiores encontram-se os medos que você teve no passado, o desencorajamento e a insegurança. Veja se consegue observar isso em si mesmo. Hoje todos vocês entraram em contato com uma fonte de energia no templo que visitaram [NT: referindo-se a uma vivência realizada antes desta canalização]. Lá cada um de vocês encontrou seu guia ou uma parte do seu Eu Superior.

Invoque mais uma vez esse sentimento que você teve, o contato que você fez lá. Essa energia deseja pertencer a você, deseja vir a você. Veja em que ponto do seu corpo esse fluxo de energia está tendo dificuldade. Imagine, por um momento, que essa energia entra pelo seu chacra coronário. E então desce pelo seu terceiro olho, sua garganta e para dentro do seu coração.

Agora, dê uma boa olhada em como seu plexo solar reage a essa energia. Existe alguma forma de resistência, protesto ou medo na linha divisória entre os chakras superiores e inferiores? Em seguida, observe seu ventre e veja como a energia é recebida aí. Percebe alguma sensação ou ideia do tipo “isso não pode”, “isso não deve” ou “eu não consigo”? Observe também o seu cóccix. Sinta o que pode haver ali que bloqueie o recebimento dessa energia – e peço-lhe que observe esse bloqueio com aceitação e carinho, sem julgamento nem crítica.

A essência do processo de canalização é exatamente esta: o antigo encontra o novo, o passado encontra a energia do futuro; o que está contraído encontra a energia da liberdade. Isto acontece em você, no momento em que se abre e quer ser um canal para o seu eu mais profundo, seu Eu maior. Saiba que algo que foi reprimido no passado sempre se rebelará em você e virá à tona sob a forma de um pensamento ou emoção negativos. Não condene isso. Orgulhe-se de si mesmo por ousar assumir esse processo! Isto é ser corajoso, e isto é grandioso!

Quando tiver encontrado aquele ponto bloqueado em si mesmo, leve sua atenção até ele. É provável que possa sentir fisicamente esse lugar onde lhe é difícil abrir-se à sua própria grandiosidade, ao que é livre, imperecível e pertence ao novo e ao futuro. Muito delicadamente, envolva essa parte bloqueada com uma energia amistosa e receptiva, e simplesmente envie-lhe um convite, sussurrando-lhe com suavidade, doçura e sem nenhum tom de exigência: “Venha comigo”.

Lembre-se da energia que você sentiu hoje, no encontro com seu Eu Superior ou com seu guia [NT: mais uma vez, referindo-se à vivência anterior à canalização]. Permita que essa mesma energia esteja com a sua parte mais bloqueada, e sinta o calor fluir por ela. Tudo é permitido aí, inclusive o medo, a raiva, e a dúvida. Se conseguir manter-se presente com amor e abertura, você abrirá o canal mais amplamente. O canal se abre tão amplamente quanto lhe for permitido pela sua parte que estiver mais fechada.

Seja paciente e delicado com o que o bloqueia; pois está aí por alguma razão e é bem-vindo. No fundo, todos vocês, sem exceção, guardam um sentimento de indignidade que herdaram da energia que prevaleceu durante muito tempo na Terra – uma energia de poder manipulador e opressão – e todos vocês lutam com esse legado. Em algum lugar de seus chakras inferiores, cada um de vocês encontrará esta convicção: “Eu não sou digno; não sou suficientemente bom“; “Ainda não sou merecedor, porque ainda não fiz tudo perfeito”; e é aqui que está a chave para todos vocês.

Onde encontrar essa crença, você se defrontará com seu principal bloqueio. Mas, no momento em que encontrá-lo e vivenciá-lo, poderá irradiar sua luz sobre ele. E fará isto com o oposto daquelas afirmações imerecidas, confirmando seu próprio valor: “Eu sou digno; eu sou bom do jeito que sou, completamente! Eu sou belo e poderoso!”

Ouse elogiar-se! Ouse ter orgulho de quem você é e de tudo o que já realizou! E assim o canal se abrirá com amor – sim!

Grata por sua atenção.

Maria Madalena

© Pamela Kribbe – www.jeshua.net
Fonte: http://www.jeshua.net/MM/MM3.htm
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com – www.jeshua.net/por

 

Pensamentos amedrontadores

PENSAMENTOS AMEDRONTADORES
Mensagem de Jeshua
canalizada por Pamela Kribbe
outubro/ 2019.

Queridos, Eu Sou Jeshua e estou feliz de estar aqui com vocês.

Vocês estão construindo um novo caminho, que é um caminho interior, um caminho da consciência. Pelos caminhos e trilhas que vocês criam em suas mentes, outros seguirão, porque é mais fácil caminhar por um chão batido.

Vocês são aqueles que conquistam territórios inexplorados, criam novos caminhos e, assim, criam trilhas para os outros seguirem. Este é o trabalho de cada um de vocês, é a “missão” que cada um assumiu no nível da alma, antes de começar esta vida na Terra.

Ao realizar esse trabalho, você fica verdadeiramente feliz, e não se satisfaz com nada menos do que isso. Só quando sente que tem esse novo caminho sob seus pés, e que está criando o que sua alma queria, só então você se sente intimamente realizado e profundamente conectado com a Terra. Para você, não existe nenhuma existência cômoda, nenhum meio-termo e nenhum conformismo. Você escolheu ser diferente, e isto o fez experimentar a dor de ser rejeitado pelos outros.

Mas lembre-se também das alegrias e triunfos da experiência de cada novo progresso em sua consciência, e da experiência do amor que se eleva acima do medo. Esses são momentos de profunda alegria para a alma, quando você se lembra quem você é em essência, enquanto vive aqui na Terra entre formas-pensamentos que geralmente são alimentadas pelo medo. É nesses momentos de triunfo, que sua alma toca a Terra e você cumpre o seu destino.

O que acontece nesses momentos em que você é preenchido com a essência da sua alma, e com a missão que você pretendia cumprir aqui na Terra? O que realmente acontece nesses momentos de união entre a sua alma e a sua natureza humana?

Nesses momentos, não existe medo; existe abertura. A voz do medo é substituída por uma confiança profunda e um conhecimento interior do que é bom. E você deseja vivenciar esse sentimento o tempo todo! Sim, pois você sofre quando vive com medo!

Medo é ruim, desconfortável, e seu corpo e alma não são nutridos por pensamentos e sentimentos de medo. Eles são como um veneno que se infiltra sorrateiramente em você, ou um tipo de areia movediça na qual você se atola e, uma vez mergulhado até a cintura, fica ainda mais difícil de se libertar dela.

É preciso entender que a energia do medo, assim como o tipo de pensamento que dela resulta, estão presentes na Terra há muitos e muitos séculos. Eles têm permeado as sociedades humanas como uma nuvem ou névoa ao redor das pessoas, que dificulta ou as impede de se libertarem dessa energia assustadora.

As pessoas procuram segurança, unindo-se em comunidades, mas, sem saber, também se alimentam dos padrões de medo umas das outras. Um indivíduo precisa tomar uma decisão firme e corajosa para conseguir se desconectar e se libertar desse vício e dizer “não” a esse padrão coletivo que tem sido passado de geração a geração.

Mesmo agora, você pode ser envolvido por essa névoa de medo, aquele veneno de pensamentos carregados de medo. Apesar das escolhas positivas que você tem feito durante sua vida, nas quais seguiu a voz do seu coração, a voz da sua alma, mesmo assim o caminho à frente não é tão óbvio e claro, porque há sempre a voz do passado, a voz do medo que pode dominá-lo de vez em quando.

O medo tenta convencê-lo de que você está sendo irresponsável, que o que você gostaria de fazer não pode ser feito, que você não pode ser diferente e que será castigado por isso. E os castigos geralmente vêm dos pais, professores, patrões e outras pessoas em sua vida. Inclusive, em épocas mais remotas, essas punições eram frequentemente bastante brutais. Veja como os dissidentes foram perseguidos no passado como hereges ou gentios. E você carrega consigo esse passado cheio de dor.

Como, então, livrar-se da influência dessa nuvem, desse nevoeiro de pensamentos baseados no medo?

Primeiro você precisa aprender a reconhecer quando está pensando e agindo por medo. Só então é possível liberá-lo, e só então é criada certa distância ou espaço entre você e a ansiedade. Na verdade, você já está bastante acostumado a ser pego pelo medo.

Desde o nascimento, você herda do seu ambiente social, ideias carregadas de medo e desconfiança, de modo que, no começo, você nem percebe que está naquela nuvem ou nevoeiro – pois essa é a sua realidade habitual. E quando os momentos de autodescoberta e despertar ocorrem, você também pode vivenciar uma reação inicial de medo, pois sente que, ao seguir a voz da sua alma e diferir da norma, você está indo contra tudo que lhe foi ensinado a acreditar.

Vejamos, agora, o que se pode fazer a respeito do modo de escolher entre medo e amor, entre o medo e a alma. Imagine, por um momento, esse nevoeiro carregado de vozes de medo, preocupação, aflição e todo tipo de crenças negativas a respeito de si mesmo e do que é possível na vida.

Deixe que isto ocorra espontaneamente, e observe em que aspectos você ainda está envolvido com esse nevoeiro. Simplesmente olhe para seu corpo para ver se há pontos em que o nevoeiro ainda se manifeste. Esses são os pontos em que você coloca rótulos em si mesmo, os quais não são coerentes com a sua alma, com aquelas ideias nas quais você acha correto acreditar

Perceba que às vezes o medo pode usar máscara e parecer muito sábio, virtuoso e responsável, quando, na verdade, continua sendo essencialmente medo. Foi assim que tantas coisas lhe foram ensinadas sob o disfarce de “virtude”:

“Você deve se controlar, você deve amar os outros, você deve fazer seu dever, você deve ser obediente… Inclusive, você não deve se desviar demais do que é normal e nem ser diferente ou agir de maneira insensata, porque fazer essas coisas seria egoísmo, estranho e esquisito – e, certamente, nada agradável!” 

Na sociedade há um tabu sobre a questão de ser diferente, e este tabu é aceito por pessoas que vivem constantemente com ansiedade e cujos pensamentos refletem esse medo!

Você pode, inclusive, imaginar essa névoa de medo como uma entidade realmente viva, uma energia que começou a ter existência própria. Imagine que essa entidade apareça e você a veja à sua frente como um nevoeiro escuro e sombrio, um nevoeiro que quer continuar existindo e se recusa a dissolver-se.

Então, quando alguém se levanta e diz: “Eu não acredito mais nesta irrealidade! Existe um céu azul acima deste nevoeiro, e existe uma outra maneira de pensar”, no mesmo momento essa pessoa recebe uma reação sombria por parte dele. A luz que irradia dessa pessoa provoca uma espécie de resposta sombria dessa entidade, uma intensificação do próprio nevoeiro. E essa pessoa imediatamente se sente só, como um forasteiro.

Outras pessoas se escondem, se apegam ao nevoeiro e não querem ouvir falar nisso, porque abandoná-lo seria a coisa mais assustadora que elas poderiam fazer. Isto é o que o nevoeiro lhes diz. Num certo sentido, ele é uma espécie de hipnotizador que mantém as pessoas sob o seu feitiço; e libertar-se desse feitiço exige muita coragem. Eu gostaria que todos os dias você se elogiasse por sua bravura, quando se atreve a se libertar! Muitas coisas acontecem quando você faz isso.

Olhe de novo dentro de si e ao seu redor e observe onde existem sinais desse nevoeiro. Ele pode se manifestar em certas partes da sua aura ou do seu corpo. Pergunte a essas partes o que está incomodando você ali, ou qual é a mensagem do nevoeiro, e permita que o medo fale.

O que a voz do medo fala para você? Dê uma forma ou um contorno a esse nevoeiro e, ao mesmo tempo, perceba que fenômeno estranho ele é! Na verdade, um nevoeiro não é nada; você pode passar sua mão através dele, portanto ele não é substancial. No entanto este nevoeiro tem tanta influência sobre você, sua consciência e sua visão do mundo!

Agora permita que o Sol brilhe suavemente naquelas partes suas onde o nevoeiro ainda está se agarrando à sua energia. Um raio de sol quente e suave se espalha ao redor do seu campo de energia, fazendo com que o nevoeiro se dissolva gradualmente.

Imagine um Sol pairando sobre a sua cabeça – um Sol intenso, quente, radiante, que reflete a Luz da sua alma. Deixe essa Luz Solar descer sobre você, sobre a sua cabeça, seus ombros, sua aura, e todo o seu ser. Se ainda houver pontos que ofereçam resistência, tudo bem, deixe estar. Isto é aceitável, desde que você esteja consciente disso.

Hoje em dia, cada vez mais pessoas desejam romper com esse velho campo de consciência de medo e opressão. Está ocorrendo uma mudança na consciência coletiva da Terra. Entretanto, cada um passa por esse processo à sua própria maneira. É sempre assim – libertar-se do campo do medo, da névoa do passado, é uma jornada pessoal, que cada um realiza sozinho.

Há momentos, em sua vida, em que você se vê frente a frente com essa energia opressiva do medo, e com os julgamentos negativos sobre si, sobre seus pontos fortes e suas habilidades. O confronto com sua própria ansiedade é um desafio onde você se encontra face a face com aquela escuridão que se tornou parte de você.

É libertador e gratificante quando você conhece pessoas afins, em sua vida, pessoas que percorrem o mesmo caminho que você. No futuro, haverá formas de cooperação possíveis entre vocês, os pioneiros da consciência. Mas entenda que essa confrontação que você tem com o medo em sua vida – com a energia antiga e com o nevoeiro – é uma coisa que você tem que fazer sozinho.

É através do seu “poder solar” – o contato com sua própria alma, e o salto que você se atreve a dar em direção ao novo – que você chega em um mundo novo, um novo nível de consciência.

Quando todos os indivíduos fazem isto por si mesmos, surge um novo campo de consciência, que é cada vez mais livre do medo, e cada vez mais preenchido com alegria, possibilidades e respeito uns pelos outros. O resultado é que mais e mais Luz Solar é criada na Terra. Não procure isto em outras pessoas; você caminha pelo seu próprio túnel estreito e escuro, em direção à sua libertação pessoal.

Neste ponto, eu gostaria de lhe oferecer uma pequena ajuda. Como você reconhece a voz do medo em seu interior? E como pode distinguir entre o que é medo e o que é a voz da sua alma e do amor? A voz do medo é barulhenta, brusca e agitada e geralmente também funciona através do pensamento, através da mente. Você pode perceber o medo no seu corpo como uma tensão, uma falta de relaxamento e entrega.

Seus músculos ficam tensos, sua respiração não é profunda e tranquila, e ocorrem muitos pensamentos alarmantes, que se apresentam como muito espertos e responsáveis. “Não seria melhor eu fazer isto de tal jeito, porque do contrário poderá ocorrer um acidente?” “Tome cuidado, porque isto pode dar errado!”, “Seja cauteloso, afaste-se, controle-se!”.

Todo tipo de opinião e conselho lhe é oferecido sob o disfarce de virtude, mas, na verdade, essa é a voz do medo. O medo paralisa você, e quando pego por ele, você é constantemente bombardeado por alguma coisa que parece vir de fora. Impulsos medrosos agem no seu corpo e começam a dominar seu pensamento.

O pensamento é um recurso valioso, mas quando passa a ser governado pelo medo, ele cria uma espécie de corrente elétrica que começa na sua cabeça e daí percorre seu corpo inteiro, tirando-o do equilíbrio e trazendo tensão e agitação; uma sensação contínua de nervosismo, que você começa a achar normal.

Em muitas pessoas, ocorre um estresse incessante, que elas buscam liberar através do álcool, das drogas ou de qualquer outra coisa que lhes dê uma sensação de alívio dessa pressão – como sono, ou paixões passageiras, ou compulsão pelo trabalho.

A pessoa quer se afastar desses sentimentos perturbadores e tensos, e procura libertação ou distração em coisas externas; procura algo que lhe dê a sensação de tranquilidade ou paz, mesmo que seja uma ilusão e apenas temporária, de tão intenso que é seu sofrimento sob essa corrente de medo.

Você pode reconhecer quando chega no ponto em que sua vida é vivida através do medo. Seu corpo indica medo pela corrente elétrica na sua cabeça – que constantemente dispara pensamentos rápidos – e pelo anseio de assumir o controle da vida com pensamentos, preocupações e irritação. No momento em que você percebe que isto está acontecendo, você consegue se despertar.

Lembre-se que, mesmo quando você está dentro do nevoeiro, ele quer se conservar. Do contrário, antes que o perceba, você poderá passar dias e dias na corrente do medo sem sequer desconfiar de que está preso na ansiedade. O momento em que você compreende isto é um momento muito importante. Trata-se de ir contra esse fluxo de medo e não acreditar nele, não permitir que ele o hipnotize. Trata-se de manter o foco na Luz do seu Sol Interior – aquela sabedoria tranquila, silenciosa que pertence à sua alma.

Perceba que a energia da sua alma, do seu coração, é bem diferente da energia do medo. Como eu disse, você consegue reconhecer o medo por sua barulheira e inquietação característicos. O amor, a voz da sua alma, chega através do silêncio, e é tranquilo e não agitado.

Você pode sentir essa voz emergir do fundo da sua essência, de um lugar sossegado em seu abdome – um conhecimento profundamente sentido que chega a você livre de pressão; um sussurro suave que nunca é alarmante, nem exigente, nem enervante. É mais como um convite ou incentivo para você sentir e enxergar as coisas de forma diferente, e ter confiança para soltar, para deixar ir.

Você pode visualizar a voz da sua alma à sua frente como a imagem de uma borboleta, por exemplo, que voa através do seu corpo, através do seu campo de energia, da sua aura, com suas cores refinadas e asas delicadas. Ou pode imaginá-la como uma fada, ou simplesmente como cores muito suaves.

Pode inclusive ouvi-la como anjos cantando, ou simplesmente senti-la como uma sensação de confiança, esperança e otimismo, mesmo que a voz do próprio medo, ou as vozes de pessoas à sua volta lhe digam algo muito diferente. E a regra básica é: siga a sua sensação de paz até onde sentir a maior paz.

Às vezes você pensa que é mais fácil apegar-se ao medo e ao ego, e, de fato, isto pode lhe dar uma sensação temporária de segurança. Mas, na verdade, você continua muito limitado e reprimido. O verdadeiro descanso e a paz criam muita abertura ao seu redor. Você simplesmente confia e permanece no Agora, mesmo sabendo que não tem nenhuma certeza e não pode prever nada. Você não corre em direção ao futuro; você vive sua vida passo a passo.

Peço-lhe que mantenha este sentimento por um instante. Não pense nem mesmo no que você tem que fazer no futuro; esteja totalmente presente no Agora. Sinta a energia da sua alma, e sinta que você é bom, belo e corajoso, exatamente como você é. Convide sua alma a vir até você, e saiba que ela nunca tem nenhum julgamento a seu respeito e as escolhas que você tem feito. Tudo é sempre aceitável para a sua alma. Ela sempre quer ajuda-lo e encorajá-lo.

Muito obrigado!

Jeshua

© Pamela Kribbe www.jeshua.net
Fonte: http://www.jeshua.net/mornings/mornings28.htm
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com – www.jeshua.net/por

Entendendo a linguagem do corpo

ENTENDENDO A LINGUAGEM DO CORPO
Mensagem de Jeshua
através de Pamela
dezembro de 2018

Queridos amigos, Eu Sou Jeshua.

Apresento-me aqui hoje e amo profundamente cada um de vocês.

Sintam meu amor – ele é totalmente aberto a quem vocês são. Não precisam esconder nada de mim. Vocês são anjos feridos, e eu estou aqui hoje para estender minha mão a cada um de vocês, porque este é um tempo de cura.

As coisas finalmente estão começando a mudar, mas para muda-las em um nível profundo, é preciso dar um mergulho na escuridão. É preciso dirigir-se às feridas que lhes foram infligidas. Façamos isto agora.

Imagine que você está segurando uma tocha de luz. Consegue segurá-la? Consegue aceitar que você é um portador da luz? Uma das maiores tragédias que vejo acontecer na sua vida é você não reconhecer mais sua própria luz.

Você olha para fora de si mesmo, procura autoridades, pessoas que saibam, procura orientação fora de si mesmo. Mas não estou aqui para lhe oferecer este tipo de orientação. Estou aqui para guia-lo a partir do seu próprio interior. Você precisa voltar a familiarizar-se com a sua própria luz.

Você se acostumou tanto a se diminuir, a se fazer insignificante, que agora lhe peço para segurar novamente aquela tocha de luz, em sua imaginação, e observar as qualidades dessa luz. Sinta como essa luz tem um efeito curador sobre você. De todas as ferramentas de cura que você pode receber, esta é a mais poderosa para reconectá-lo com sua própria luz interior.

As tragédias na Terra, as histórias de violência e guerra que este planeta conheceu, todas se devem ao fato de as pessoas terem se desconectado da sua própria luz, do seu próprio sentido de certo e errado, da sua própria intuição.

Deixaram-se abater pelo medo, sempre olhando para fora de si mesmos em busca de segurança. Isto tem que acabar agora! Se uma nova era deve se introduzir neste planeta, tem que ser através de pessoas que possam aceitar sua própria luz e viver por meio dela.

Então, como podem se livrar do medo, das vozes de falsa autoridade que vêm de fora de si mesmos?

Ao assumir este processo de libertação, vocês estão indo contra as energias de uma longa história, portanto são pioneiros e revolucionários. Quando estive na Terra, plantei as sementes desta revolução, e cada um de vocês é um portador destas sementes, que devem germinar neste momento.

Banhe-se na luz da sua tocha. Imagine que essa luz penetra todo seu corpo. Essa luz vem da sua alma e vai relembrá-lo de que você não é simplesmente um ser de carne e osso, mas que desceu à Terra vindo de outro reino. Sinta esse reino agora, pois ele é o seu Lar.

E receba a energia do Lar. Sinta a energia dos seus guias e dos anjos junto a você, pois eles realmente estão a apenas um sopro de distância. Eles desejam elevá-lo para além do peso, da densidade da Terra e, mais do que tudo, desejam elevá-lo para fora do abismo do medo.

Imagine que esta sala se preenche com nossas luzes combinadas. E sinta o quanto a Terra deseja receber esta luz, porque esta luz – a luz de todos vocês – é necessária na Terra. Mas para ser o Trabalhador da Luz que você é, é preciso primeiro voltar-se para suas feridas internas e permitir que seu corpo fale.

O próprio corpo, embora contenha energias tanto masculinas quanto femininas, possui uma energia geral, em relação à alma, que é feminina. O corpo é receptivo – ele recebe as energias da sua alma e da sua personalidade, e reflete de volta para você, não só as qualidades da sua alma, mas também quaisquer distorções que possam ocorrer como resultado da sua personalidade.

Assim como a Terra é uma energia feminina, em comparação com a energia masculina do Sol, o corpo carrega uma energia mais feminina, relativa à energia da sua alma, que está mais próxima do princípio masculino. Mas ambas são igualmente valiosas, e o corpo anseia pela atenção da alma, que é seu verdadeiro guia e aquilo que o inspira.

Na sua sociedade, você se acostumou a abordar e tratar seu corpo por meio da sua mente. E acostumou-se também a abordar a doença com a mente e com a ajuda da medicina, de modo que seu corpo acabou sendo negligenciado.

Para recuperar o relacionamento natural entre alma e corpo, é preciso, em primeiro lugar, aceitar seu corpo, independentemente de sua aparência ou de quaisquer enfermidades que ele possa ter.

Sinta como a luz da sua alma aceita totalmente o seu corpo. Sua alma anseia por unificar-se com seu corpo; e a luz da sua alma anseia por penetrar em todas as células do seu corpo. É nesta fusão de alma e corpo que você se torna um ser humano inspirado – um anjo humano.

Seu corpo é verdadeiramente um instrumento divino. Sinta o devido respeito por ele. Quando conectar a alma ao corpo desta forma, outras possibilidades de cura surgirão. É verdade que é preciso nutrir o corpo no nível físico, e também pode ser sábio aceitar tratamento da medicina convencional para curá-lo, mas existe um nível mais profundo para se lidar com a dor ou os problemas.

O primeiro passo é aceitar o corpo como uma expressão da alma. E depois, é preciso abrir-se e esperar a mensagem que seu corpo está tentando lhe trazer. Como se acostumou a pensar demais, você provavelmente espera que a resposta à causa do seu problema lhe chegue verbalmente, através da mente. Mas o processo de descoberta do verdadeiro motivo e significada de uma doença é muito mais profundo e sutil do que isso.

É preciso tratar a doença como um amigo com quem você se familiariza pouco a pouco e que, gradativamente, vai lhe contando como se sente e que mensagem lhe traz.

Entrar no caminho da doença é sempre entrar em território desconhecido – algo novo deseja penetrar sua consciência, e geralmente é um nível mais profundo de autoestima. Através da dor e do sofrimento, esse nível de autoestima acabará crescendo dentro de você, e lhe exigirá um grau maior de entrega, para que possa receber a mensagem ou resposta da doença.

Portanto, carregar a tocha da sua luz implica em duas coisas: a primeira é o reconhecimento da sua própria grandeza, da sua própria divindade, e de que você é seu próprio mestre, não dependendo de nenhuma autoridade de fora.

E a segunda é saber ajoelhar-se e tornar-se humilde diante das coisas que acontecem na sua vida, abandonando a ideia de que você conhece todas as respostas com sua mente, ou que precisa procurar as respostas com sua mente.

Neste processo de autocura e autoconhecimento, é preciso aceitar que existe algo mais vasto do que você, e que essa vastidão que deseja revelar-se a você, na realidade, é o espírito.

Então peço-lhe que assuma a sua luz, mas, ao mesmo tempo, esteja aberto à energia maior que deseja guiá-lo. Este poder maior não é uma autoridade, ela é plena de alegria e leveza. E o espírito deseja estar com você; deseja fluir através de você, enquanto você está sendo um ser humano na Terra.

Obrigado a todos vocês por estarem aqui hoje.
Estou profundamente conectado com todos.
Obrigado.

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO 
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
© Pamela Kribbe / www.jeshua.net 
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com / www.jeshua.net/por 

Curve-se intimamente para si mesmo

CURVE-SE INTIMAMENTE PARA SI MESMO
Mensagem de Jeshua (Jesus)
canalizada por Pamela Kribbe
dezembro de 2018

Queridos amigos, belos filhos da humanidade

Eu Sou Jeshua, seu irmão e amigo. Estou com vocês e seguro suas mãos. Eu também percorri a senda onde vocês se encontram e conheci as profundezas do desespero, da tristeza intensa e saudades do Lar. Conheço vocês internamente, porque são meus entes queridos, minha família. Eu os acolho aqui e agora.

Vocês são os portadores de um comando sagrado: espalhar, aqui na Terra, a luz do Céu e o sentimento de amor do Lar. Em primeiro lugar, para si mesmos, de modo a aliviar sua carga interna através do amor, da ternura e humildade para consigo mesmos.

Peço a cada um de vocês que se curve intimamente para si mesmo, de modo a dar forma, aqui, à luz da sua alma. Você consegue fazer isto? Consegue juntar suas mãos diante do seu próprio coração, na conhecida saudação oriental (Namastê), e curvar-se para si mesmo? E por que lhe peço isto? Por que você não se curva para si mesmo com frequência ou por vontade própria.

Curvar-se para si mesmo significa aceitar-se completamente como você é agora – sendo você mesmo totalmente e desapegando-se de tudo o mais, com uma suave expiração. Ser completo no momento é a verdadeira humildade, mas isto não é tudo.

Nessa humildade, na ação de curvar-se a si mesmo, reside a confiança de que existe um ser-semente perfeito dentro de você, que não deseja nada além de se abrir, florescer e crescer. O que alimenta esse ser-semente? O que o faz abrir-se em flor e se desenvolver? O que mais o alimenta são a sua atenção silenciosa, seu apreço e carinho.

Dê um passo para trás e veja-se como o ser grandioso e especial que você é. Internamente, estenda-lhe as mãos com admiração, como se estivesse se aproximando de algo verdadeiramente precioso. Você poderá vê-lo como uma criança ou como a semente de uma planta, ou talvez, como um grupo de cores ou energia. Mas o que você está vendo, de fato, é o ser-alma que você é.

A alma desperta gradativamente através de vastas correntes de tempo e espaço. Da alma fluem diferentes raios de luz, que tocam e visitam a Terra, e estes são as suas encarnações neste planeta. De cada encarnação, a alma toma algumas coisas para si mesma: experiências, conhecimento, sabedoria e, inclusive, dor e incompreensão. E precisa digerir tudo isso.

A alma encontra-se em um processo constante de transformação, de crescimento, que se torna cada vez mais exuberante. A semente germina, e o resultado é um milagre, um ser de beleza e esplendor que cresce infinitamente mais grandioso no cosmos.

Ao crescer e florescer, a luz se propaga como uma manifestação única, porque nenhuma alma é igual a outra. Cada alma espalha a luz do universo, a luz de Deus, de forma pessoal. Você está agora em uma das muitas encarnações da sua alma. Você é como um raio de sol conectado à sua alma, e como está conectado com sua alma, também se mantém conectado com outros raios de encarnação da sua alma.

Na encarnação em que você se encontra neste momento, algo especial está em andamento, algo milagroso… a energia da Terra está começando a mudar. As pessoas estão encontrando mais e melhor acesso à realidade interior e às suas almas.

O véu – como vocês o chamam – entre o outro lado e a vida cotidiana está se tornando mais fino e transparente. As pessoas estão buscando e tentando encontrar sentido e significado em suas vidas. A própria Terra, e os corpos celestes ao redor dela, mudam com essa busca, e assim se tornam mais permeáveis e acessíveis às vibrações superiores e verdades essenciais.

Você está entre os que desejam absorver tudo isso e trazer para Terra o conhecimento da sua alma e sua conexão com o Uno – aquele que conecta todas as almas. Você tem sede dessa conexão, e esta vida é muito apropriada para isso.

A vida na Terra, como um todo, deseja agora avançar em direção a uma vibração diferente e tornar-se radiante no nível da alma, e com a leveza, a harmonia e a inspiração que a acompanham.

Vocês são os receptores, os canais dessa nova energia que está nascendo agora na Terra. Quando cada um de vocês recebe a energia de sua alma, a informação é liberada, e junto com essa liberação muitas vezes surgem velhas cargas emocionais de vidas anteriores – como vocês as chamam – de outras encarnações, outros raios do sol que é a alma.

Isto acontece por um motivo. Ao se familiarizar com essas cargas emocionais e conscientemente as redimir e transformar, você traz paz para sua alma. Muitas vezes, você vê a alma como superior à sua pequena personalidade, mas a verdade é que a alma aprende, se desenvolve e começa a florescer através da interação com suas encarnações, com você.

Portanto, não subestime o significado da sua vida aqui e agora na Terra. Você faz diferença para a sua alma. Ao viver com abertura e consciência, e curvar-se à realidade de quem você é, você enriquece sua alma no nível mais profundo.

Quero falar agora sobre essas emoções pesadas, sobre a dor e dúvidas profundas, em parte trazidas de outras encarnações, que irrompem em você neste momento e, simultaneamente, surgem em muitas outras pessoas.

Este processo não é apenas individual – é também um processo coletivo e tem grande significado, não só para você, mas para toda a consciência coletiva da Terra. E afeta, inclusive, seres não-humanos e a natureza em geral.

Potencialmente, você é um profundo transformador da velha energia, e algumas vezes tem que lidar com violentas cargas emocionais antigas, que o confundem. Com sua mente humana, você não consegue nem sequer imaginar, quanto mais ter uma visão geral apropriada de tudo que deseja libertar-se dentro de você, para ser curado.

Camadas muito profundas de velhas dores e saudades do lar estão agora vindo à luz, não somente em você, mas, ao mesmo tempo, em outros com os quais você está conectado.

Quer queira ou não, quer compreenda isto ou não, você não é somente a “parteira” de si mesmo, mas simultaneamente, de todo movimento que deseja se revelar neste momento. Para desempenhar esta função de parteira, você precisa possuir o poder da autoconsciência.

Ao mesmo tempo, parte do trauma mais profundo de ser um humano é estar privado da força da autoconsciência, é ter se tornado alienado do seu conhecimento original mais profundo, do seu instinto de sabedoria e verdade.

A impotência profunda que reside nas pessoas é o maior obstáculo que elas têm para receber e transmitir a nova energia na Terra. As pessoas se tornaram totalmente desanimadas em sua crença em si mesmas. Sinta este desânimo por um instante.

Sinta, em si mesmo, a “necessidade” de ser nutrido por fontes externas, através de outras pessoas, através do conhecimento e sabedoria de “especialistas”, cujas respostas lhe parecem muito corretas e bem fundamentadas. Esta necessidade também se faz presente nos seus relacionamentos.

Quantas vezes você procura reconhecimento fora de si mesmo, pela sensação de lhe ser permitido estar aí? O vazio interno é tão profundo na maioria das pessoas, que elas não se dão conta da busca constante por afirmação de fora. Sinta esse vazio em você – estar consciente disto é um sinal de força.

Imagine que você é um poço onde alguém cai – um vazio solitário, rodeado de paredes cinzentas, sem nenhum meio de conexão, segurança e calor. Quase todo ser humano na Terra tem um vazio interior como esse.

Veja essa imagem em si mesmo – você mesmo sendo essa pessoa que cai nesse poço que você é. Observe o desespero nos olhos dela. Veja-a tateando por todos os lados em busca de ajuda externa. Como foi que você acabou se afastando tanto do seu conhecimento interior, da sua coragem e fortaleza internas?

A resposta encontra-se na história da Terra. Houve uma interação entre poder e impotência. Havia, e ainda há, uma força na Terra que não vem da Luz, mas que se alimenta da dor dos outros e se sente crescer através do poder e do controle.

Em um nível profundo, todos os seres humanos foram afetados por esse poder que você pode chamar de “ruim” ou “o mal”, no sentido de que é uma força que você rejeita porque ela quer torná-lo pequeno e fraco.

Você pode ver esse poder e essa força ativos, no passado, na política, na religião e em todas as esferas da sociedade. Esse poder – e as exigências, preconceitos e tabus que o acompanham – internalizou-se nas pessoas que absorveram essa energia e começaram a pensar e agir do mesmo modo.

Essa força sombria, da qual agora falo, também é uma parte de Deus, por mais contraditório que isto possa parecer. É uma parte que se perdeu, se desconectou e caiu num vazio profundo, onde a luta pelo poder parece ser o único caminho para fora dele.

Perceba que cada alma, cada ser vivo, já conheceu, dentro de si mesmo, esta luta pelo poder e, inclusive, exercitou-a. Você já desempenhou os dois papéis – tanto o de ofensor quanto o de vítima. O jogo de sombra e luz faz parte do universo.

Agora é hora de mudar. Um jogo de energias pode criar uma espiral ascendente ou descendente. Em uma espiral ascendente, a escuridão e a negatividade podem se tornar um mecanismo de crescimento e, portanto, ter significado. Mas, em uma espiral descendente, há falta de significado, e o sofrimento e a dor podem lançar uma sombra profunda, que não é mais produtiva e que lança uma mortalha sufocante sobre as pessoas.

Isto aconteceu na Terra, mas agora é hora de inverter a espiral e lhe dar um impulso para cima. A Terra pede por isto, porque não pode mais suportar a camada sufocante de negatividade, com sua poluição e asfixia. E a humanidade não pode mais suportá-lo, porque há muito sofrimento.

Portanto, do âmago da humanidade, soa o chamado para a mudança, a cura e a virada em direção à luz. Você está entre aqueles que ouviram este chamado em seu ser, por isto é importante que perceba quem você é e com que forças e jogos de poder você está lidando.

Algumas vezes você pensa levianamente demais sobre isso; e outras vezes, com seriedade demais. Você leva isso com muita leviandade quando está impaciente e quer forçar seu próprio caminho para a luz; quer ir mais depressa do que consegue dar conta.

Nesses momentos, você não se curva para si mesmo – pelo contrário – você luta contra si mesmo, pensando que as coisas têm que ser diferentes. Nesse caso, não é seu coração que fala, mas é a sua vontade que expressa uma necessidade de controle e poder.

É preciso que você se ponha de lado e leve em consideração a extensão dos processos de cura pelos quais você está passando. Só então seu coração pode atingir as profundezas do seu ser e, desta forma, retornar à luz.

Por outro lado, às vezes você vivencia este processo como algo pesado demais; você ameaça sucumbir às suas próprias sensações de sufocamento, de aperto no peito, desespero e solidão aqui na Terra.

Esses são momentos em que eu e todos os guias ao seu redor desejamos estar muito perto para apoiá-lo, porque desejamos contar-lhe o quanto você é querido e como você pode estar aberto para a luz.

Sua alma está muito próxima. Assim, lhe é solicitado que tenha respeito por tudo o que vive em você, mesmo que muito disso seja pesado; que veja esta vida como uma vida de cura e integração, e que permita que seus processos internos se desenvolvam no ritmo que você precisa para ser capaz de manter-se em equilíbrio.

Perceba como este processo interno é importante. Muitas vezes você olha para o lado externo da vida e vê o tipo de conquistas que algumas pessoas realizam na sociedade, e a forma visível que elas tomam, que é tão importante no seu mundo.

Mas muito mais importante é o que está se passando dentro do seu coração, seus sentimentos, sua mente. Então veja se consegue realmente criar espaço dentro de si para essas velhas cargas e energias emocionais – às vezes de vidas muito antigas – que querem vir à luz, aqui e agora.

Você está frequentemente “movendo montanhas”, mas como os resultados não são imediatamente visíveis externamente, você não valoriza o que está fazendo. Honre a si mesmo, veja a grandiosidade do que você está fazendo!

Respeite seu processo interno. E quando este se tornar pesado demais, e aquelas velhas cargas emocionais que vêm à tona tornarem-se muito sufocantes, recolha-se no âmago do seu ser. Sinta aquele poder eterno e imperecível, e lembre-se de quem você realmente é.

Embora esteja agora aqui na Terra em um corpo de carne e osso, você é essencialmente livre – totalmente livre! Você é um ser de luz livre; você pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo.

É possível que, ocasionalmente, você anseie por um mundo diferente e queria conectar-se com os reinos internos de luz, de onde veio. E, de vez em quando, você possa afastar-se deste mundo e enxergar profundamente dentro de si mesmo, que você não pertence a este lugar, no sentido de que não faz parte das energias pesadas que aqui prevalecem.

Deste modo, você entra e sai deste mundo. Você participa dele, digere e transforma antigas cargas emocionais dos velhos tempos, mas pode também retirar-se para a luz, para a sua descontração, alegria e liberdade. Perceba como você é uma ponte entre a escuridão e a luz. Este é o verdadeiro sentido de ser humano.

Sinta sua grandiosidade no que você faz. É isto que desejo enfatizar hoje. Você é um professor deste novo tempo; você constrói a ponte. Reconheça a si mesmo!!! Não se esconda atrás de falsa modéstia ou humildade. Mostre sua grandeza! Mostre quem você realmente é.

Deixe a luz da sua alma irradiar agora. A cada respiração, você se solta e torna-se ainda mais aberto para a luz da sua alma. Sinta esse sol irradiar.

E agora perceba como tudo se torna luminoso neste lugar porque todos vocês estão reunidos aqui. Esta luz imperecível é o que vocês são. É por isto que os saúdo como irmãos e irmãs; é por isto que acredito em vocês como os pioneiros de um novo tempo na Terra.

Muito obrigado pela sua atenção.

Jeshua

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO 
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
© Pamela Kribbe – www.jeshua.net
Tradução de Vera L C Correa – www.jesnhua.net/por

O Tabu contra a individualidade – Maria Madalena

O TABU CONTRA A INDIVIDUALIDADE
Mensagem de Maria Madalena
canalizada por Pamela Kribbe,
em setembro de 2018

Eu Sou Maria Madalena e saúdo todos vocês a partir do meu coração. Estou com vocês, e quero que cada um saiba que está envolvido em constante ajuda e orientação. Na dimensão acima da terrena, existem espíritos afins, almas que o amam de uma forma profundamente pessoal e não apenas abstrata. São espíritos que o conhecem e com os quais você já esteve, em outros tempos e lugares.

Ao encarnar, você dá um salto de fé, porque faz isto sozinho. Entretanto, permanece conectado com um grupo de amigos do outro lado. Alguns deles são mais adiantados do que você e orientam seu caminho de vida com uma visão mais ampla do que você é capaz de ter; eles são os que você chama de seus guias.

Mas existem também outros seres que têm afinidade com você e estão perto de você – familiares ou amigos seus. Sinta a presença deles, mesmo não sabendo quem eles são, mas saiba que você é visto e ouvido. Há um respeito por você, pelo que é preciso para se lançar nestas profundezas.

A vida na Terra – cada uma de suas vidas na Terra – é uma contribuição importante e valiosa para o caminho da sua alma; inclusive as experiências negativas. Uma dor que você vivencia agora, neste momento, é como uma pedra que cai na água e provoca muitas ondulações na superfície.

O efeito de uma experiência dolorosa ou traumática cria ondulações ao longo do tempo. Você as vivenciará novamente em outras épocas e outros lugares. Como resultado, chegará a entender totalmente as experiências passadas e a valorizá-las. E ao fazer isto, enviará cura para aquele ponto de dor na sua história.

Todos os pontos do tempo – todos os momentos do agora na vida e jornada da sua alma – estão unidos e afetam uns aos outros. Assim, ao voltar no tempo para uma vida passada, você ativa outros pontos no tempo, outros momentos. Você cria uma corrente que vai nas duas direções: do passado para o presente e do presente para o passado.

E ao fazer isto, você se enriquece; começa a entender cada vez melhor que você é muito mais do que esta pessoa, masculina ou feminina, jovem ou velha, neste momento particular da história, neste agora. Esta pessoa, que você é agora, é apenas um dos portais para a sua alma; existem muitos outros portais possíveis.

Sinta como a sua alma é imensamente rica e como são numerosas as experiências que ela tem acumulado. Todas estas experiências são peças de um quebra-cabeça que faz parte do grande Todo.

Peço-lhe que tenha respeito pela grandiosidade que você é; você nem consegue abarcá-la com sua mente humana. Diga “sim” para a sua alma, do fundo do seu coração. Sinta que aí, no seu coração, existe uma sabedoria que sua mente humana não consegue compreender plenamente, mas que sustenta e apoia tudo o que você é e que dá sentido a cada peça individualizada do quebra-cabeça.

Existe um tempo e um lugar para tudo. Às vezes você tem que passar por experiências intensas sem entender por quê, e só mais tarde é que chega a compreender seu valor. Peço-lhe que honre e respeite a si mesmo, porque você teve a coragem de mergulhar nas profundezas, com os olhos vendados.

Você disse “sim” para a vida aqui na Terra – agora diga “sim” para si mesmo. E também diga “sim” para toda a dor, as experiências negativas, o medo e a dúvida que você sente – tudo isto faz parte da experiência humana.

Não rejeite as experiências negativas, pois isto lhe causaria uma luta contra si mesmo que dispersaria sua energia e o afastaria mais do Lar. Simplesmente aceite o que você é, incluindo os medos e dúvidas.

Vou levá-lo agora para o começo da sua vida. Venha comigo para a sua infância e, por um momento, imagine que seu corpo vai se tornando mais jovem e menor. Veja o que acontece quando você cruza a fronteira da puberdade e vai mais para trás no tempo. Perceba como o gênero é menos importante quando você entra na infância, quando está com menos de dez anos.

Lembre-se como não era tão definido pelo que estava gravado em você sobre ser homem ou mulher. Lembre-se da sua inocência e volte mais um pouco no tempo… até o ponto que ultrapassa a fase em que aprendeu uma linguagem, conceitos, rótulos, avaliações e julgamento.

Ao voltar completamente para a sua primeira infância, sua consciência se torna mais aberta, mais receptiva. Ela não julga, ela simplesmente absorve impressões. Tente sentir novamente essa abertura de consciência em relação ao mundo à sua volta. É como se você tivesse acabado de chegar do céu, ainda não tão definido pelas influências da dimensão terrena. Você ainda retém muito da abertura do alcance da sua alma.

Ao voltar agora do presente para aquele passado, você pode exercer influência nesse tempo, em quem você era naquela época. Imagine que você, na sua condição atual, se curve para aquele bebezinho que você era então.

Veja que idade lhe vem à mente como um momento apropriado. Sinta especialmente a percepção que você tinha e sua conexão com a dimensão da sua alma. Você ainda era meio estranho à vida na Terra; ainda possuía o frescor, a pureza e abertura de um recém-chegado

Vá até essa criança, em sua forma atual, e observe-a com olhar de admiração. Veja as energias celestes nela presentes. Ajoelhe-se diante dessa criança que você foi e pergunte-lhe: “O que você veio fazer aqui?” O que você trouxe da dimensão além da Terra… algo realmente essencial para você?”

Diga-lhe: “Eu lhe ajudarei com isso; vim do futuro para apoiá-la e orientá-la nessa tarefa.”

Observe se a criança consegue ver e sentir você. Ou toque-a suavemente e fite-a nos olhos. E se sentir o poder verdadeiro e a contribuição original dessa criança, coloque a mão em seu ombro e diga-lhe: “Eu a protegerei, apoiarei e garantirei que você tenha sucesso em sua meta.”

Ao fazer isto, sinta seu próprio poder, seu conhecimento da vida terrena, sua experiência acumulada ao longo dos vários anos do seu passado. Sinta a sabedoria do seu eu presente e envie tudo isso de volta para essa criança.

E ao oferecer sua sabedoria e experiência de vida para ela, você também receberá algo dela em troca. Receberá a originalidade, a espontaneidade, a autenticidade e verdade dessa criança, que fluem diretamente para dentro do seu coração. Sinta novamente, em seu coração, esta energia que é correta para você – a energia da sua alma.

Invoque, então, a força e a sabedoria que se acumularam dentro de você, que você possui agora, nesta vida. Isto se transforma num escudo de proteção ao redor do seu coração.

Sua criança interior traz consigo a sabedoria da dimensão da alma: a pureza, a originalidade, a inocência, mas também a vulnerabilidade. Ela precisa da sua sabedoria terrena, da sua experiência de vida, para ser capaz de se desenvolver, para poder permitir que sua luz brilhe aqui.

Quero agora lhe contar uma coisa sobre a história humana; sobre o motivo de ter se tornado tão difícil, para a sua própria alma, descer à sua vida terrena e entrar energeticamente no seu abdome – do coração, a sede da alma, para o abdome, sede do eu e personalidade terrenos.

Na história da Terra, existe um tabu contra a individualidade. Existem forças em ação – que têm se manifestado fortemente, especialmente nas principais religiões – que estão voltadas para a eliminação e repressão da individualidade. Existem grandes correntes de medo na atmosfera coletiva da Terra, e muito desse medo é o resultado da disparidade entre o poderoso e o impotente.

Os que estão no poder querem ser obedecidos pelos que estão abaixo deles. Portanto, estão muito atentos à individualidade, à originalidade daqueles que são diferentes, porque estes têm vontade própria. Os que estão no poder não suportam o livre desenvolvimento do indivíduo. Em resumo, o poderoso contra o impotente tem sido a história da humanidade há séculos.

Esta talvez seja uma imagem um tanto exagerada, mas estou usando-a para esclarecer uma questão. O poder vem sendo exercido sobre as pessoas por meio de pontos de vista particulares sobre a essência do que é ser um humano; como, por exemplo, que, em essência, os seres humanos são pecadores, maus, inferiores e indignos.

Estes pontos de vista afirmam que apenas através de algo externo ao ser humano, este pode ser salvo do pecado e da dívida que lhe são inatos. E o que pode salvar os seres humanos é uma autoridade superior a eles; um Deus, por exemplo, que prescreve regras.

E, também, que existem certos humanos representantes desse Deus, que têm acesso especial a essas regras – uma elite que possui um conhecimento privilegiado da moralidade.

Este conceito tem sido imposto às pessoas, e a razão pela qual elas permitiram que isto acontecesse é que o medo foi plantado nelas, em primeiro lugar. Um medo real pela sobrevivência: medo da fome, da morte, da doença, da violência, que criaram impressões profundas na história humana.

Mas agora um novo capítulo está irrompendo na Terra, no qual uma energia oposta está nascendo. Não é uma energia na qual a individualidade é negada, enfatizando a adaptação e conformismo, mas uma energia em que a individualidade é corretamente valorizada e assim também o é a energia original da alma.

A razão pela qual a vida na Terra “saiu dos eixos” de muitas formas – tornando-se violenta, tanto entre pessoas, quanto em relação à natureza – é que se perdeu a conexão com a alma; o coração se fechou e o medo passou a reinar.

Sinta o peso dessa história. Embora sua influência esteja diminuindo, ela ainda tem um impacto na maneira como as pessoas pensam e sentem. Entrar em contato com sua alma e realmente acreditar em suas habilidades e talentos individuais, ainda não é a coisa óbvia e habitual a se fazer. Colocar-se atrás de si mesmo e dizer “sim” ao seu eu original exige uma força interior profunda.

Você é um dos que estão criando uma abertura que recriará o acesso à dimensão da alma. Isto significa que você também se tornou extremamente sensível: seu coração está aberto e você aprendeu a acessar suas emoções e intuição, em vez de agir com base nas vozes de medo e coerção que vêm da sua cabeça.

Você criou essa abertura a partir do seu interior, e não somente nesta vida, mas também em vidas passadas. Você é um trabalhador da luz, um trabalhador consciente; e agora chegou o momento desta luz, esta abertura que você criou – algumas vezes pela necessidade de uma vida de reclusão – ser semeada e poder germinar na Terra entre as pessoas em toda a sociedade.

Fazer isto pode lhe trazer de volta antigos temores: lembranças de quando esteve dominado pelo medo e abuso de poder. Neste sentido, você está dando os primeiros passos em um novo terreno, no qual eles agora podem criar raízes.

Quando você se baseia apenas na sua alma, quando fala e age a partir dessa fonte, isto pode provocar um redemoinho de medo e dúvida em seu interior… até mesmo, medo mortal.

Então torna-se necessário falar a partir do poder do seu abdome, que é o verdadeiro resultado da descida da energia da sua alma. Falar não apenas a partir da energia que vem do seu coração, mas também da energia que está no âmago do seu ser terreno, na sua fisicalidade como homem ou mulher.

Quero explicar algumas coisas sobre esta energia. A energia no seu abdome – essa energia primária – quando está em equilíbrio, é uma energia muito bem aterrada.

Quando você está totalmente presente com sua consciência no seu abdome, você está bem ancorado na Terra; você se sente sólido; sente que pode ser quem realmente é; e assim se sente seguro, respeitado. A partir dessa base, você ouve as mensagens do seu coração, da sua alma, e integra essas mensagens.

Mas, muitas vezes acontece de você receber mensagens da sua alma ou da sua intuição e não saber como permanecer bem aterrado. É como se o acesso ao seu próprio abdome lhe tivesse sido negado; e isto tem muito a ver com a história na qual você não foi autorizado a pensar e agir por si mesmo, ou a se afastar das normas e ser diferente.

É exatamente aqui que a energia masculina, a força masculina, se faz necessária para libertá-lo da tradição, para dizer “não” ao que se espera de você e se recusar a se adaptar a um molde.

Sentir-se livre para agir fora das regras, para explorar e investigar, é onde a energia masculina o ajuda a se aprofundar mais no seu abdome. É assim que ela se põe em ação para ajudar a luz original da sua alma: a energia masculina cria espaço para você.

A energia masculina é extremamente importante; perceba que ela o serve quando é uma energia masculina bem ancorada. Ao longo do passado, houve uma energia masculina que exercitou o autoritarismo e a coerção, implantando medo nas pessoas. Esta é uma energia masculina não-aterrada, uma energia desconectada, que se sente deslocada, exilada e, portanto, quer regular e controlar a vida.

Mas a verdadeira energia masculina é como um escudo, uma proteção poderosa para a energia do seu coração. E quando ela está presente, você consegue descer mais profundamente da sua alma para seu abdome. E então você se sente sustentado pela própria Terra.

Sinta o ritmo que se ajusta ao seu caminho de vida. Ser verdadeiramente intuitivo tem a ver com perceber o ritmo da vida. “O que é bom para mim? Do que eu realmente preciso?” Isto é uma coisa que você não pode sentir apenas com seu coração. Isto exige um alinhamento quase físico, instintivo, no nível do seu abdome; ou seja, estar ancorado na Terra e, a partir daí, tomar suas decisões.

Para concluir, peço-lhe que imagine que a criança, que você viu no começo, está presente agora no seu abdome, com sua energia aberta e espontânea, fazendo, assim, uma conexão direta com seu coração e alma. E, ao mesmo tempo, sinta um sólido escudo de proteção ao seu redor.

Isto cria espaço para a criança, de modo que ela não se esqueça de si mesma e se deixe absorver por estímulos e influências do exterior, como velhas ideias, antigos conceitos de moral, e de como as coisas costumavam ser. O escudo dentro de você é a energia masculina que diz “não” a essas influências, enquanto, ao mesmo tempo, ouve atentamente a sua própria fonte de sabedoria.

Sinta a proteção intensa de uma energia masculina aterrada, nas suas costas e cóccix, nas suas pernas e pés, nos seus braços e mãos. Agora a criança pode se enraizar em você e crescer protegida, de modo a desenvolver a energia natural da sua própria alma. Perceba como ela começa a se animar, a recobrar a vontade de viver, sob essa proteção, e a brincar dentro do seu abdome.

Você é um portador do archote desta nova era. Proteja-se, de modo a poder permitir que a luz flua e você possa espalhar as sementes deste novo tempo. E assim concretizará o objetivo da sua vida.

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO 
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
© Pamela Kribbe – www.jeshua.net – www.jeshua.net/por 
Fonte: http://www.jeshua.net/home/home13.htm
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com