O Mundo das Respostas

Nenhum texto alternativo automático disponível.

O MUNDO DAS RESPOSTAS
Um de nossos maiores desafios como seres humanos é que estamos constantemente procurando respostas em um mundo de problemas.

Todos os problemas em nossa vida têm origem em nossa realidade física. Podemos encontrar alivio temporário para os problemas do mundo físico, mas as reais soluções se encontram no mundo da espiritualidade.

Para acessar essa energia celestial, temos que ir além dos limites dos nossos cinco sentidos. É por esse motivo que muitas pessoas encontram conforto na oração, obtém respostas ao meditar profundamente ou recebem melhor orientação quando utilizam o sexto sentido ou a intuição.


Se você se sente empacado em sua vida e precisa de uma solução, experimente abordar a questão de um ângulo diferente, mais espiritual. Pode ser que seja justamente ali que encontrará as respostas que vem procurando.

 

~ Yehuda Berg ~

Afinador de Silêncios

mia.jpg

“Quando me viam, parado e recatado, no meu invisível recanto, eu não estava pasmado.
Estava desempenhado , de alma e corpo ocupados: tecia os delicados fios com que se fabrica a quietude. Eu era um afinador de silêncios.”
(Mia Couto)


Postado por Vera Lúcia no Vale da Lua Cheia em 8/17/2017 10:03:00 PM

Reconhecer sua realeza divina – Eclipse Solar da Lua Nova em Leão em 21 de agosto de 2017

21

RECONHECER SUA REALEZA DIVINA
ECLIPSE SOLAR DA LUA NOVA EM LEÃO,
EM 21 DE AGOSTO, 2017
Por Natalia Alba

“Sejam destemidos na busca daquilo que incendeia sua alma” ~ Jennifer Lee

Bênçãos, meus amados,

Estamos finalmente nos aproximando de nosso Novo Espaço Dimensional/Linha do Tempo, mais elevado, em que alguns de nós vimos transitando, nos ancorando e habitando durante algum tempo. Neste momento único na Criação, conforme vocês já podem saber, somos o foco para muitas civilizações e seres não-físicos, que vêm nos assistindo neste salto quântico, e outros que estão ainda tentando submeter, manipular e controlar o nosso Planeta.

Neste momento, as forças da luz e as forças da escuridão estão disputando o controle do Planeta. Todos nós sabemos que, na verdade, a escolha está em nosso íntimo, para finalmente concluir éons de manipulação e controle energético. A escolha também é sua para se unir com uma força ou outra, porque foi exatamente o livre arbítrio que nos trouxe até este momento de bifurcação.

O eclipse solar da Lua Nova, no crítico grau 28 de Leão, será o catalisador para que todos possamos escolher: seja continuar promovendo o velho, seja avançar para novos horizontes. Esse eclipse agirá como o que desperta a consciência, algo essencial para o coletivo, principalmente para aqueles que decidiram acessar uma oitava mais elevada.

Essas ondas ardentes despertarão a nova consciência, queimarão o velho, e se formos alinhados com sua frequência, poderemos trabalhar na autotransformação, por alquimia interna – obtendo a purificação necessária para o lugar aonde vamos.

No período do eclipse, temos forças opostas nos céus. Porque, sem oposição, nunca poderíamos experimentar todos os aspectos do que somos e do que não somos. Por um lado, temos a Lua em Leão, que diz respeito à capacitação própria e ao acolhimento do aspecto individualizado da Criação, que nós somos.

Leão é um signo muito corajoso, que se ama e se comporta como o ser soberano e capacitado que é, visto que nunca se esquece do seu verdadeiro potencial e de sua herança divina. Os leoninos se mantêm firmes nas próprias crenças, honrando-se e amando-se e a sua verdade acima de tudo.

Uma vez que Leão também rege o coração, é uma oportunidade para que possamos ir além do nosso senso limitado do eu, para o nosso Coração Superior, onde constataremos a sensação de unidade com o Todo.

Por outro lado, temos Aquário em oposição à Lua em Leão. Os aquarianos são humanitários, que estão a serviço não apenas de si mesmo, mas da humanidade. Nosso poder e força interiores podem ser direcionadas para ajudar o Todo, ao mesmo tempo em que podemos ainda preservar o nosso aspecto que é livre e único, vivenciando um aspecto individualizado da Fonte, na Criação.

Assim, o nosso desafio é transcender o eu humano egoico para encontrar a Unicidade – sem perder nosso poder e capacidade de discernimento.

Além disso, temos também um grande trígono de fogo, formado pelo Sol, Lua, Marte e o Nodo Norte em Leão; Saturno em Sagitário e Urano em Áries. Não somente temos as bênçãos das forças de luz trabalhando a nosso favor, como também as forças criativas que, com este grande trígono, estão nos mostrando de onde vêm a verdadeira criatividade, inovação e expansão.

Um espaço interno de amor a si mesmos e ao Todo. Pois Leão nos faz lembrar de que é essencial permanecer firmes em nossa verdade. Por outro lado, o Nodo Norte, que representa o futuro, é uma confirmação do lugar para onde estamos indo, para um novo espaço de consciência mais elevada, cujas frequências já estão sendo fortemente sentidas/integradas.

Para mim, a essência oposta desse eclipse, por estar no grau crítico de Leão, e como a frequência oposta do Sol em Aquário, juntamente àquele que desperta, Urano, em um trígono exato com o eclipse, será fundamental para um despertar planetário em massa.

Porque é nesse momento que cada vez mais almas estão começando a reconhecer-se como Mestres, Curadores e Seres Soberanos da própria experiência de vida e, portanto, deixando para trás uma velha era de escravidão mental e emocional.

Lembrem-se, amados, a liberação é feita diariamente, isso não é fácil, porque é desafiador terminar com eons de manipulação e controle mentais, principalmente em nossas células corpóreas e no plano emocional. Isso não é processo para um único dia.

Transformem-se em seus cuidadores e tenham compaixão por si mesmos, conheçam-se e ao seu corpo, saibam do que precisam a cada momento para se curar, se rejuvenescer e se acolher.

Não se trata de uma corrida, mas apenas com o desejo de evoluir, isso não ocorrerá, porque o trabalho interno deve ser feito continuamente, uma vez que estamos mudando sempre, e, portanto, acolhendo uma frequência nova e mais elevada.

Em um nível físico, algumas das muitas sensações provocadas por nosso processo de integração são: palpitações cardíacas, ansiedade, estresse e até “depressão”.

Se não são assuntos médicos, isso está solicitando-lhes que destruam tudo que ainda os mantém temerosos e que vocês não estão deixando vir à tona. Esses sentimentos ocultos estão enterrados tão profundamente em seu subconsciente e no plano emocional, que vocês terão que trazê-los à luz para poder enfrentá-los e desfazê-los.

Problemas estomacais são uma indicação de liberação celular. As ativações da glândula pineal são frequentes neste período também, porque vamos receber muitas revelações para a nossa jornada, assim como para ajudar os outros.

Se vocês estão experimentando uma mudança interna, que é semelhante à reprogramação de si mesmos ou ao trabalho de purificação, então, devem observar como os seus sentidos superiores/chacras não estão fechados, mas trabalhando de modo diferente. Deixem-nos estar e façam o seu trabalho interno, eles também estão se ajustando a uma frequência mais elevada, desconhecida do seu eu inferior até este momento.

As sensações físicas não são fáceis de se compartilhar, em um nível geral, porque vocês são únicos, e vão saber quais os aspectos de si mesmos que precisam ser liberados. Vai variar dependendo do papel exclusivo de sua alma.

Eu estou segura de que neste momento do seu caminho ascensional, vocês acolheram suas sombras, se familiarizaram com elas, e em vez de temer confrontar o desconhecido, acolheram-no com coragem, compaixão e com o amor que vocês são, que em lugar de separar e julgar, reúne Todos.

Em uma visão planetária, a grande cruz, que ocorre no momento do eclipse, entre Áries, Urano, Vênus, quadratura de Plutão e Júpiter vai se concentrar nos governos e no modo como eles utilizam o seu poder.

Isso pode produzir uma crise no coletivo, mas isso é o que vai desencadear a mudança necessária para uma mudança em massa, que poderia ficar oculta pelos eventos negativos. Novamente, esse é o caos necessário que o Universo utiliza para criar novamente.

Visto que esse eclipse ocorre na estrela fixa, Regulus, no coração de Leão, somos convidados a nos perguntar se estamos colocando o nosso poder, permanecendo firmes nele e curando, criando os desejos de nossa alma e ajudando altruisticamente os demais, ou se estamos distribuindo-o, tornando-nos seres impotentes regidos pelas circunstâncias exteriores.

Vocês são seres independentes, íntegros e corajosos que assumem plena responsabilidade por tudo aquilo que criam? Ou vocês ainda colocam a sua responsabilidade nos outros? Vocês sabem de onde se origina a verdadeira realeza?

Um espaço de união total com o nosso aspecto mais elevado de onde agimos todas as vezes? Vocês estão firmes em suas crenças e as compartilham? Ou vocês as ocultam de si mesmos com as muitas máscaras que o seu eu inferior manifestou – durante todos os seus anos como humanos – devido aos temores e a muitas outras formas de ilusão?

Vocês não se arriscam? Ou optam por novos horizontes, demonstrando aonde quer que vão e a todos que vocês tocam quem realmente vocês são, mantendo-se firmes naquilo que os tornam únicos? E a pergunta mais importante: Como vocês se comportam com aqueles que o seu eu inferior acredita que os magoaram? Como vocês os tratam?

Como vocês reagem ou não, demonstra se permanecem em seu poder. Um ser soberano não reagirá, nem se afastará, nem responderá de qualquer maneira. Por quê? Porque se lembra de que só se caminha na verdade, integridade e auto capacitação, quando a pessoa simplesmente governa o próprio ser e poder, e, portanto, desfaz qualquer coisa que não esteja vibrando no mesmo nível.

Vocês se mantêm firmes nos seus?
Ou vocês ainda escolhem envolver-se com as frequências inferiores?

A verdadeira realeza divina provém da lembrança de nossa Essência Divina interna, não da violência, nem da crença de que somos melhores ou superiores aos demais. Sentir-se régios é quando se percebe que pertencemos à consciência superior e que se isso ocorre, Todos pertencem também, portanto, vocês também os veem como seres poderosos e não como seres inconscientes sem esperança.

Quando isso acontece, o seu ego os tocou novamente. E vocês devem começar a reprogramar-se de novo, porque a nossa mente é como uma máquina, e é somente por nos reprogramar continuamente que podemos nos libertar das antigas crenças.

Anjos disfarçados caminham entre nós. Nunca houve em nosso Planeta uma época em que fôssemos ajudados por tantos Seres de Luz, invisíveis aos olhos humanos, na maioria das vezes, mas Presenças muito reais cuidando de nós, vigiando o nosso caminho ascensional e nos ajudando em tudo que podem neste domínio livre.

Sua tarefa é integrar essas energias, que queimam, desfazem o velho e os ajudam a começar novamente. A sua missão não é pedir perdão, nem confiar em forças externas, pessoas ou circunstâncias. Seu principal objetivo é SER e transmutar o que vocês sentem que não os está servindo mais.

Vocês não estão aqui para simplesmente pedir às forças superiores e aguardar. Vocês foram colocados aqui para se lembrar, ajudar, permanecer firmes em seu divino poder e na verdade que vocês são, e criar qualquer coisa que desejem experimentar.

Quando uma de suas criações não funciona, então, realinhem-se com o verdadeiro desejo de sua alma e tentem novamente. Pois sabemos que vocês são os únicos responsáveis por ressoar ou não.

Este momento, como não há outro na verdade, lhes está sendo oferecido para que se honrem, vejam tudo por onde andaram e o que conseguiram. Este não é um momento para se sentir incapazes de evoluir, confiar no externo, lamentar todos que os deixaram, porque estavam lhes fazendo um favor, acreditem ou não.

Este é um momento único na Criação, dado a vocês para que o acolham, o absorvam e o acessem com plena responsabilidade. Vocês temem isso? Ou finalmente acolherão um Caminho Superior de existir, embora não lhes seja familiar?

A cada momento nos é dada uma dádiva preciosa para despertar, evoluir, curar e ver com clareza o que precisamos para a nossa jornada. Vocês têm um momento especial em suas mãos, para deixar de prestar atenção em quem vocês não são mais, liberar seu antigo eu e acolher um verdadeiro e não recordado self. Vocês não estão deixando nada para trás, porque vocês estão acessando um caminho unificado, onde todos são Um.

Todavia, acolher e agradecer as bênçãos de ser um aspecto individualizado da Fonte, encarnado como X, é maravilhoso e necessário, enquanto continuamos a escalar esta eterna experiência evolutiva.

Aproveitem-na, respeitem quem vocês são, porque se trata de Deus vivendo por seu intermédio. Permitam-se experimentar uma jornada de expansão e autodescoberta infinitas.

Porque, quando vocês enviam ao Universo a sua pura intenção para fazer isso, novas portas se abrem para que escolham uma. Novas linhas do tempo, que eram invisíveis antes para vocês, estarão à disposição, e, com isso, a oportunidade de experimentar uma nova jornada repleta de muitas revelações que os conduzirão, passo a passo, para o lugar a que estiverem destinados.

Não é um momento para que se preocupem com quem estará lá para vocês ou não, isso não lhes diz respeito, refere-se a uma Vontade Superior, e tudo o que vocês precisam é confiar no divino e ter um desejo de abrir o seu coração para vivenciar tudo o que o seu Eu Unificado preparou para vocês.

Os portais estão se abrindo à medida que chegamos mais perto do espaço da quinta dimensão, em que iremos habitar. Interiorizem-se, comuniquem-se com a sua alma, libertem-se de todos os temores e escolham a sua porta/linha do tempo.

Que vocês sempre possam habitar na Presença Iluminada da sua Alma, meus amados, onde a clareza, a paz e o amor infinito estão sempre lá para que vocês os acolham. Feliz eclipse!

Com amor e luz infinitos.

Natalia Alba

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Direitos Autorais: Natalia Alba – http://www.starseedsoul.com/
Tradução de Ivete Brito – adavai@me.com – www.adavai.wordpress.com

O Menor Início

louise-hay

O MENOR INÍCIO
Mensagem de Louise Hay
17 de Agosto de 2017

“O Amor é poderoso – o seu amor e o meu amor”. – Louise Hay

O ponto de poder está no momento presente… aqui e agora em nossas mentes. Não importa quanto tempo nós tivemos padrões negativos, uma doença, um relacionamento conturbado, falta de dinheiro, ou ódio. Podemos começar a fazer uma mudança hoje.

Os pensamentos que mantivemos e as palavras que usamos repetidamente, criaram a nossa vida e experiências até este ponto. No entanto, isto é pensamento do passado, nós já realizamos isto. O que estamos escolhendo pensar e dizer hoje, neste momento, criaremos amanhã e no dia seguinte e na próxima semana, no próximo mês e no próximo ano, e assim por diante.

O ponto de poder está sempre no momento presente. É onde começamos a fazer mudanças. Que ideia libertadora. Podemos começar a abrir mão das antigas tolices. Agora. O menor início fará uma diferença.

“Eu aceito o meu poder.” – Louise Hay

Quando você era um bebê, era pura alegria e amor. Você sabia como era importante, você sentia que era o centro do universo. Você tinha tanta coragem que pedia o que queria e expressava todos os seus sentimentos abertamente. Você se amava totalmente – cada parte do seu corpo, incluindo as suas fezes. Você sabia que era perfeito. E esta é a verdade do seu ser. Todo o resto é tolice aprendida e pode ser ignorado.

Com que frequência dissemos: “É assim que eu sou”. Ou: ‘Isto é assim.” O que estamos realmente dizendo é que isto é o que “acreditamos ser verdade para nós.” Geralmente o que acreditamos é apenas a opinião de outra pessoa que aceitamos e incorporamos em nosso sistema de crenças. Isto se encaixa com outras coisas que acreditamos.

Se nos fosse ensinado quando crianças que o mundo é um lugar assustador, então, tudo o que ouvíssemos, que se encaixasse com esta crença, nós aceitaríamos como verdade para nós – por exemplo: “Não confie em estranhos”. “Não saia à noite.” “As pessoas a enganam”, e assim por diante.

Por outro lado, se nos fosse ensinado no início da vida que o mundo é um lugar seguro e alegre, então, iríamos acreditar em outras coisas, tais como: “O amor está em toda parte.” “As pessoas são muito amigáveis.” “O dinheiro vem para mim facilmente.”

As experiências da vida refletem as nossas crenças.
Raramente nós nos sentamos e questionamos as nossas crenças.

Por exemplo: Eu poderia me questionar: “Por que eu acredito que é difícil aprender? Isto é realmente verdade? É verdade para mim agora?”

Pare por um momento e capture o seu pensamento.
O que você está pensando agora?

Se os pensamentos moldam a sua vida e as suas experiências, você gostaria que este pensamento se tornasse verdade para você? Se for um pensamento de preocupação, de raiva, mágoa ou vingança, como você acha que estes pensamentos voltarão para você?

Se quisermos uma vida alegre, devemos ter pensamentos alegres.
Tudo o que enviarmos mental ou verbalmente, retornará para nós de forma semelhante.

Reserve um pouco de tempo para ouvir as palavras que você diz. Se você ouvir a si mesmo dizendo algo três vezes, anote-o. Isto se tornou um padrão para você. No final de uma semana, veja a lista que você criou e verá como as suas palavras se encaixam com as suas experiências.

Esteja disposto a mudar as suas palavras e pensamentos e observe como muda a sua vida.
A maneira de controlar a sua vida é controlar a sua escolha das palavras e dos pensamentos.
Ninguém pensa em sua mente, além de você.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
www.LouiseHay.com 
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Sincronicidade

apoio

SINCRONICIDADE
O Conselho
Através de Ron Head
11/08/2017

Hoje, vamos discutir um tópico que, para muitos de vocês, será aquilo que chamam de “chapéu velho”. Por favor, leia-o com o entendimento de que ainda há dentre vocês muitos que ainda estão despertando, mais do que há os “avançados”. Pedimos que a palavra avançada seja colocada entre aspas, simplesmente porque significa que você conseguiu despertar um pouco antes do que todos aqueles de vocês em níveis mais altos.

Foi-nos pedido hoje para explicar a grande quantidade de sinais numéricos, pontos de vista hipnogênicos e as sincronicidades que uma certa pessoa tinha visto recentemente. E pensamos que será uma coisa muito boa a se discutir neste momento.

Vejamos os “sinais” numéricos. Sejamos claros que os relógios, as placas de veículos, etc. têm esses números o tempo todo. Não os criamos. O que nós, você, criamos, é o impulso de olhar e notar esses números nos momentos apropriados.

Em outro estado de consciência, você iria olhar o relógio, por exemplo, e não notaria a hora 11:11, ou não notaria o seu significado. Quantos táxis você andou no passado sem notar os números de telefone 444-4444 ou 777-7777 muito grandes pintados neles? Quantos automóveis você realmente leu as placas?

Então, quando uma dessas coisas entra em seu campo de visão, seu Eu Superior simplesmente diz (envia um sentimento) “Ei, olhe!” Agora, você sempre pode interpretar isso como um “Eu Estou Aqui”.

Essa é a mensagem de inicio, até você começar a olhar para algo mais. E é imensamente significativo para uma mensagem de início. Pode ser a primeira vez que um de vocês começa a perceber que você é mais, muito mais do que você foi levado a acreditar.

A próxima “palavra”, no idioma que você pode aprender é “Charlie!”, ou “Fran!”, ou “Bob!”, ou seu próprio nome, sendo chamado no seu ouvido interno. Novamente, interprete isso como, “Eu estou aqui”.

Se você quiser receber mensagens básicas através dos números que você vê, escolha um sistema de interpretação numerológica e fique com ele. Nós ajustaremos adequadamente.

Por esta altura, você deve começar a notar que algumas coisas são inexplicáveis e ​​parecem seguir em ‘seu caminho’, mais do que você percebeu antes. Esta é a terceira “palavra” em seu crescente vocabulário. Isso também significa “Eu estou aqui”, mas agora você deve começar a equiparar o “eu” como o Seu Eu.

Você deve começar a perceber que VOCÊ, como você, está criando a sua vida, passo a passo. Isso ajudaria se você tivesse começado a conversar mentalmente com esta maior parte de você. Ela, ou Ele, não precisa disso. Você precisa disso para ensinar a si mesmo que está sendo ouvido.

Agora, e até agora, isso foi bastante básico. Mas vamos dar um passo adiante. O que lhe dissemos até agora aplica-se a cada um de vocês. E ao que se chama de Humanidade? E o chamado Americano? Ou o Francês? Você vê, você faz parte de muitos campos maiores da consciência.

Você está aprendendo a ver até que ponto você cria sua circunstância. A próxima coisa a entender é que a consciência francesa, a consciência americana e a consciência chinesa, etc. são criadas por seus participantes, e todos criam sua consciência humana, boa e má, como você perceberia. E todos participam da criação do que você chama de Realidade.

E os campos em que você participa prolongam-se muito além disso, mas aguardamos você concluir seu PH.D. Estude para isso!

Por que isso está acontecendo?

Está acontecendo porque seu Eu Maior quer viver com você mais ainda do que você quer que isso aconteça. E sabemos que você quer que isso aconteça. É muito do seu propósito geral para esta vida. Você chama isso de Ascensão.

Então, aqueles números que estávamos discutindo, além de dizer “Estou aqui”, estão dizendo “Bom trabalho!”

Sentimos que isso é suficiente para hoje.
Bênçãos.

O Conselho

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://ronahead.com/
Facebook: https://www.facebook.com/OraclesAndHealers
Traduzido por Adriano Pereira – BlogLuzeVida@gmail.com

Mais mensagens sobre sincronicidade:

SINAIS E SINCRONICIDADE

ATENÇÃO, INTENÇÃO, INTUIÇÃO E SINCRONICIDADE

KRYON – A FORMA COMO A SINCRONICIDADE FUNCIONA

SINCRONICIDADE – OBSERVANDO OS SINAIS E DEIXANDO FLUIR

Permita-se desistir

 

Desista de correr atrás de pessoas que não o incluem em nenhum de seus planos, de se contentar com pouco, de sentir pena de si mesmo, de investir naquilo que não tem futuro. Há desistências que nos salvam.

Dá-se muita importância ao que se consegue, ao que se alcança, ao quanto vencemos na vida. Livros, filmes, reportagens são dedicadas a louvar as virtudes daqueles que venceram, que saíram da pobreza, que se tornaram famosos, pois jamais desistiram de seus sonhos. No entanto, poucos se lembram de que será preciso que desistamos, que abramos mão de muitas coisas e de algumas pessoas, caso queiramos persistir na busca de uma meta. Permita-se desistir.

Desista de correr atrás de pessoas que não o incluem em nenhum de seus planos, que mal se lembram de que você existe, que colocam seu nome no final de qualquer lista. Não se humilhe por quem não consegue enxergar tudo o que você tem a oferecer. Aproxime-se daqueles que sorriem ao ver você chegar, que se dispõem a ouvir o que você tem a dizer, que respondem suas chamadas, suas mensagens, seu olhar.

Desista de investir naquilo que não tem futuro, de gastar energia e tempo elaborando planos que não condizem com o que você é. Não procure carreiras rentáveis, não se perca em meio a gente hipócrita, que sabe o preço dos seus sapatos, mas desconhece a data de seu nascimento. Invista na sua qualidade de vida, nos sonhos que vão ao encontro do que existe dentro de você, do que faz seu coração vibrar.

Desista de se contentar com pouco, com metades, conformando-se com o que poderia – e deveria – ser muito melhor. Não caminhe por travessias menos coloridas, menos iluminadas, menos especiais, por conta de achar que já está bom. Queira mais, queira inteireza, amplitude, bonança afetiva, amor transbordante, gargalhadas de doer o estômago. Deseje preencher a dimensão exata de seus sonhos mais altos, nada menos do que isso.

Desista de sentir pena de si mesmo, de choramingar pelos cantos, correndo os olhos pelas vidas alheias, enquanto desperdiça os momentos que anseiam por preencher a sua jornada. Não inveje, não se compare com o outro, não se esqueça do que e de quem já está com você, enquanto assiste aos acontecimentos que não são seus com sentimento de derrota. Nunca estaremos derrotados, enquanto vida houver, enquanto pudermos levantar a cada manhã, com tudo ali à nossa frente nos esperando.

Nem sempre estaremos bem, nem sempre poderemos contar com as pessoas, nem sempre conseguiremos conter as lágrimas que insistem em cair. Enfrentaremos dias e noites sem fim, sem luz, momentos de dor e desalento. Teremos perdas inconsoláveis, decepções doloridas, escuridões em que não conseguiremos ver saída. No entanto, caso tenhamos desistido de sofrer por tudo o que era inútil, estaremos fortalecidos junto ao amor com reciprocidade, ao consolo sincero e providencial de gente que ficou de verdade. Porque então teremos feito as desistências que salvam.

http://www.contioutra.com/permita-se-desistir/

Adoção – um olhar sobre o êxito ou o fracasso desta missão

O olhar das constelações para a adoção pode ser percebida como dura, e até mesmo controversa. Falar sobre o tema é um desafio pelas suas muitas possibilidades de má interpretação. Por isso, neste nosso artigo de hoje, pedimos para a experiente consteladora e psicóloga do Instituto Ipê Roxo Maria Inês nos falar um pouco desse olhar.

Leia de coração e mente aberta. Com a postura praticada pela Constelação: o olhar para o que é a realidade, sem subterfúgios, nos leva adiante no nosso conhecimento e na nossa experiência de vida.

Ao mesmo tempo, nos colocamos com profundo respeito a todos que se lançam na experiência de adotar e cuidar de uma criança. Reconhecemos os muitos desafios contidos neste campo.

A Constelação e a Adoção

Por Maria Inês Araujo Garcia Silva

Conscientemente, as pessoas buscam acolher crianças através da adoção como um ato de generosidade. Porém, Bert Helinger pontua que pode haver uma outra motivação, inconsciente.

A motivação das pessoas que procuram adoção pode ser uma vontade de compensar algo:  seja porque não se pôde ter filhos, seja porque não se consegue suportar ver o abandono que estas crianças sofreram causando tanta dor.

Motivos reais que sim, acolhem milhares de crianças.

Mas o pensamento para qual Hellinger nos chama atenção aqui é: Quando adoto uma criança, por exemplo, porque não posso ter filhos, quem necessita de quem? 

Muitas vezes vemos a adoção como uma atitude altruísta e benevolente diante o abandono de crianças condenadas a crescerem longe de suas famílias. Vê-se na adoção uma solução generosa para estas crianças.

Mas será que é somente isso?

O que de verdade faz com que uma adoção dê certo?

Segundo Hellinger, filósofo e psicoterapeuta alemão, precursor das constelações familiares, para que uma adoção dê certo, é necessário se respeitar as 3 leis do amor.

Isto significa que os pais biológicos sempre serão os verdadeiros pais das crianças e a herança familiar desta criança será representada através deste vínculo permanente e indissolúvel que garante à criança adotada seu direito ao pertencimento à esta família de origem.

Se você decide adotar uma criança, é importante que você olhe para os pais biológicos desta criança primeiro com respeito ao destino deles, depois com gratidão, pois a dificuldade deles no exercício do papel de pais e mães como cuidadores foi o que possibilitou que esta vida que hoje você cuida e ama, viesse e você pudesse viver esta experiência.

Questiona-se muitas vezes, quem precisa de quem em um processo de adoção.

A criança precisa dos pais adotivos ou os pais adotivos da criança que não puderam ter filhos biologicamente? Não há dúvida que crianças precisam do carinho e do cuidado que recebem em seus lares adotivos. E que bom que existe essa possibilidade. Mas apontamos aqui motivações que podem estar agindo sobre o movimento de quem adota, e que não percebe essas outras forças que podem estar dificultando a adaptação da criança ao seu novo lar.

Quando observamos a esta dinâmica, percebemos que para que nós adultos possamos criar adequadamente uma criança, devemos saber que nós cuidamos, e que as crianças devem ser cuidadas.

As crianças necessitam, não os adultos.

Aí já se instala uma transgressão da ordem e do equilíbrio pois como pais, somos grandes e ofertamos aos filhos tudo que eles necessitam, para depois liberá-los em amor. Mas se estabeleço o vínculo inicial por uma carência, aí a criança torna-se a grande, aquela que suprirá sua necessidade e isto já interfere em seu processo evolutivo de seguir seu próprio destino.

Sente-se grande quando é pequena, dá ao invés de receber e isto afeta seu equilíbrio.

A adoção para dar certo precisa que os pais que criam, como adultos, que se reconheça:

  • Os pais biológicos sempre serão os verdadeiros pais;
  • O respeito aos pais biológicos da criança e de seu destino;
  • Reconheça que você cuida da criança deles para eles;
  • Ensine a criança a respeitar sua história;
  • Agradeça aos pais biológicos desta criança a oportunidade de cuidar desta vida até o momento que ela necessitar.

Mesmo que você tenha adotado a criança por circunstâncias diferentes, que não seja porque não pode ter filhos, se respeitar estas leis básicas, existirá êxito.

Ao adotarmos uma criança, devemos lhe oferecer o melhor. E com certeza não há nada melhor que conferir valor à sua história.


“A adoção é um ato de grande amor” – Por Ana Garlet

Hellinger nos fala que, quando alguém adota uma criança como uma ação de cuidar dela porque seus pais que a geraram por algum motivo não puderem fazê-lo, a adoção tem todas as chances de ser um encontro de amor e desenvolvimento.

Ele diz que ela dará certo se aqueles que adotam a criança conseguem nutrir em seu coração a gratidão e o respeito pelos pais biológicos, pois eles, de alguma forma, fazem parte da criança, fazem parte da história da vida daquela criança. Quando o vi falar sobre este tema em um seminário, ele se dirigia aos pais adotivos dizendo que sempre pudessem reverenciar os pais da criança, que não puderam ficar com ela (para ele, quando isso acontece é sempre motivado por questões sistêmicas de muitas gerações).

Assim, quando os pais adotivos nutrem respeito e consideração pelos pais biológicos, seja qual for o destino deles, a criança também pode ficar em paz com seu próprio destino, pois se sente segura com os pais que agora cuidam dela. A adoção é sim um ato de amor.

Acompanhei alguns casos de adoção com dificuldades e, na maioria deles, no pano de fundo que a criança inconscientemente trazia, era que os pais biológicos não eram respeitados e algumas vezes isso era dito para a criança. Mas, é claro, esta é a apenas uma pequena amostra que tenho, da experiência que eu vivi… Cada história, cada ser, cada acontecimento é único.

O que vivenciei em constelações que deixou a criança que foi adotada ficar bem, foi ela conseguir concordar com o destino de seus pais biológicos (que não foi possível a eles fazerem diferente) e tomar, receber, dizer SIM aos pais que agora a cuidam e amam. Elas tem força quando o fazem desta forma.”


Leslie: Uma criança a ser adotada

Para ajudar a ilustrar como é olhar da Constelação Familiar de Bert Hellinger para a adoção, vamos transcrever aqui um caso descrito no livro de Bert Hellinger “A Simetria Oculta do amor”, da Editora Cultrix. (Este livro pode ser comprado no site da editora clicando aqui)

Aqui é possível perceber como Bert Hellinger conduz o atendimento de um caso de adoção e as muitas características que permeiam os sistemas nestes acontecimento.

Para os que ainda não participaram de um atendimento em Constelação, é possível perceber também como funciona um workshop e o trabalhos dos envolvidos. Leia abaixo e compreenda mais um pouco deste valioso trabalho.

Descrição do caso: Leslie participou de um grande seminário para crianças adotadas, pais adotivos e pais que entregaram filhos para adoção. Seu caso explicita algumas complicações inesperadas que a adoção apresenta e mostra como obter boas soluções para situações difíceis.

Hellinger: Como poderemos ajudá-la?

Leslie: Tenho dificuldades de relacionamento e estou sempre doente. Creio que isso se prende ao meu constante desejo de me sentir em casa em algum lugar. Fui levada da maternidade pelos meus pais adotivos quando tinha apenas 14 dias. Acho que estou tentando restabelecer o contato original.

Hellinger: De que doenças sofre?

Leslie: Quando criança, eu estava constantemente com amigdalite. Hoje, tenho várias doenças psicossomáticas, a que chamo de “autoesquecimento”.

Hellinger: Que quer que eu faça?

Leslie: Li o seu livro e pensei: “É isso justamente o que eu quero fazer.” Por isso estou aqui, ansiosa por esclarecer tudo ou, ao menos, obter uma nova perspectiva.

Hellinger: É casada?

Leslie: Separada.

Hellinger: Filhos?

Leslie: Um filho de 13 anos.

Hellinger: Com quem ele mora?

Leslie: Com um e outro. Depende.

Hellinger: O que você sabe dos seus pais biológicos?

Leslie: Absolutamente nada, além dos nomes. Talvez pudesse ter descoberto o endereço deles, mas eu não quis fazer isso.

Hellinger: Que lhe contaram sobre a adoção? Quem sugeriu essa medida?

Leslie: Até onde meus pais adotivos estão informados, quem a sugeriu foi minha mãe, por causa da pobreza.

Hellinger: E quanto a seu pai?

Leslie: Não sei. Foi só isso que me contaram.

Hellinger: Vamos então montar o seguinte sistema: seu pai, sua mãe, você e seus pais adotivos. Sabe como se faz?

Leslie: Mais ou menos. Estou um tanto confusa.

Hellinger: Você escolhe pessoas — quem quiser — para representar o seu pai, a sua mãe, você mesma e seus pais adotivos. A propósito, seus pais adotivos têm filhos?

Leslie: Não, não puderam ter. (Ela escolhe os representantes.)

Hellinger (para Leslie): Muito bem, agora encaminhe os representantes para seus lugares, relacionando-os uns com os outros. Concentre-se e faça isso com a consciência de estar plenamente lúcida. A constelação surgirá por si mesma à medida que você for instalando os representantes.

(Aos representantes)Vocês também se concentrem, prestando atenção às mudanças de sentimentos e sensações enquanto ela os estiver movimentando.

Hellinger (aos representantes) : Vou então perguntar-lhes o que está acontecendo e vocês irão me transmitir, o mais exatamente que puderem, qual a sua experiência. Que está acontecendo com a mãe?

Mãe: Sinto o pai afastando-se da constelação e estou sendo pressionada a segui-lo. A princípio, julguei que a filha iria aproximar-se, mas ela parou.

Hellinger: E o pai?

Pai: Sinto-me profundamente triste. Com um aperto no estômago. Sinto-me perdido aqui, muito triste.

Hellinger (para o representante de Leslie): Que acontece com a filha?

Representante de Leslie: Depois que os pais adotivos entraram, sinto-me bem melhor. Mas continuo um pouco confusa.

Hellinger: Que acontece com a mãe adotiva?

Mãe Adotiva: Meu coração batia forte, antes de ser colocada aqui. Agora es tou segura e posso ver a menina. Sinto também a diferença entre nós. A presença do pai adotivo me perturba, embora eu não possa vê-lo.

Hellinger: Refere-se ao seu marido?

Mãe Adotiva: Sim.

Hellinger: Que acontece com o pai adotivo?

Pai Adotivo: Sinto-me um pouco sozinho aqui, e também meio triste. Não tenho muito contato com a minha família. Estou num canto, o que me dá certa segurança, mas solitário. (Hellinger desloca a mãe adotiva para junto do marido.)

Hellinger: E agora?

Mãe Adotiva: Melhorou.

Pai Adotivo: A sensação desagradável de isolamento e solidão desapareceu. Sim, melhorou. Sinto-me confortado e amparado.

Hellinger (ao representante de Leslie): Que mudou para você?

Representante de Leslie: Ficou mais difícil. Havia um grande vazio à minha direita e à minha esquerda. Eu estava melhor depois que os pais adotivos entraram, mas agora o vazio voltou. (Hellinger faz com que ela encare um por um.)

Hellinger: E agora, como está?

Representante de Leslie: Melhor. Eu não sentia nada pelos meus pais, mas agora pelo menos posso vê-los.

Hellinger (para a mãe): O que mudou para a mãe?

Mãe: Quanto mais permaneço aqui, mais percebo que quero voltar-me para a menina e contemplá-la. Agora ela está mais à vista, porém mais longe. Quero ir para perto dela e virar-me.

Hellinger: Pois então vire-se para se sentir melhor.

(Para o pai): E quanto ao pai?

Pai: Sinto um peso enorme, como se alguém me houvesse abandonado.

Hellinger: Vire-se e fique perto da mãe.

Hellinger (para o representante de Leslie): E agora, como se sente?

Representante de Leslie (em tom comovido): Quero ir para junto dela.

Hellinger: Então vá. (O representante de Leslie aproxima-se da mãe, abraça-a e soluça incontrolavelmente.)

Hellinger (espera que se soltem): Agora vou colocar Leslie no seu devido lugar.

(Para Leslie): Vá para perto de sua mãe. (Leslie obedece prontamente e estreita-a nos braços.)

(Para o pai, enquanto mãe e filha estão abraçadas): Que está acontecendo com você?

Pai: Ainda me sinto sozinho e perdido. Acho melhor ir embora. Não estou integrado aqui.

Hellinger: Então volte-se e dê um passo à frente.

Hellinger (para o pai): E agora?

Pai: Sinto-me mais leve aqui.

Hellinger (para Leslie, enquanto ela se afasta lentamente da mãe): Olhe sua mãe nos olhos e chame-a de “mamãe”.

Leslie (sufocando as lágrimas): Mamãe.

Hellinger: “Mamãe, por favor!”

Leslie: Mamãe, por favor!

Mãe: Não compreendo nada. Tudo está acontecendo muito rápido, mas devo acolhê-la. Sinto-me oprimida.

Hellinger: Diga-lhe: “Sinto muito.”

Mãe: Sinto muito.

Hellinger (para Leslie): Diga-lhe: “Por favor, olhe-me como sua filha.”

Leslie: Por favor, olhe-me como sua filha.

Hellinger: “Por favor, mamãe.”

Leslie: Por favor, mamãe. (Mãe e filha se abraçam novamente. Leslie não consegue refrear os soluços.)

Hellinger: “Por favor, mamãe, por favor.”

Leslie: Por favor.

Hellinger (para Leslie, já mais calma): Respire profundamente. É como se você acolhesse sua mãe no coração. Profunda e calmamente.

(Para a mãe adotiva): E quanto à mãe adotiva?

Mãe Adotiva: A princípio, tive vontade de abraçar fortemente minha filha adotiva. Sentia-me impelida para ela, mas não conseguia mover-me porque ela estava em outro lugar. Ao mesmo tempo, senti o toque leve de meu marido, o que me tranquilizou muito. Depois percebi que minha filha adotiva encontrara realmente sua mãe natural e ficara feliz. Eu também fiquei feliz por isso.

Hellinger: E o pai adotivo?

Pai Adotivo: É gratificante notar que alguma coisa se encaixou. Isso me toca profundamente. Também sinto algo que não está claro pelo pai de Leslie. É como se eu carregasse um peso, uma responsabilidade que não me cabe.

Hellinger: E a mãe, como se sente agora?

Mãe: Muito bem.

Hellinger (para Leslie, que se desprendeu da mãe): Olhe para ela e diga-lhe: “Recebo-a como minha mãe.”

Leslie: Recebo-a como minha mãe. (Mãe e filha se abraçam de novo, com naturalidade e simplicidade.)

Hellinger (para a mãe): Agora você pode tomar-lhe a mão e entregá-la aos pais adotivos. Incline-se diante deles da maneira que achar correta e diga-lhes: “Obrigada.”

Mãe (fazendo profunda reverência): Obrigada.

Hellinger: “Obrigada por cuidarem de minha filha.”

Mãe: Obrigada por cuidarem de minha filha.

Hellinger: “E por lhe darem o que ela necessitava.”

Mãe: E por lhe darem o que ela necessitava.

Hellinger: “Aprecio-os muito por fazerem isso.”

Mãe: Aprecio-os muito por fazerem isso.

Hellinger (para Leslie): Como se sente?

Leslie: Maravilhosa. Eles realmente me deram muita coisa.

Hellinger: Olhe para eles e diga-lhes “Obrigada” também.

Leslie (fazendo espontaneamente uma profunda reverência diante dos pais adotivos) :Obrigada.

Hellinger (para a mãe adotiva): E quanto a você?

Mãe Adotiva: Sinto-me bem. Mas ainda desejo tomar minha filha adotiva nos braços e apertá-la contra mim.

Hellinger: Não vejo nenhum obstáculo a isso. (Leslie e a mãe adotiva se abraçam ternamente. Em seguida, Leslie abraça também o pai adotivo.)

Hellinger (para o pai, enquanto Leslie abraça o pai adotivo): Como está?

Pai: Não muito bem. Ainda sinto um peso tremendo nos ombros e aquele aperto no estômago. Não tenho ligação nenhuma com os outros.

Hellinger: Vire-se e encare-os. (Hellinger coloca Leslie perto da mãe adotiva e a mãe natural a certa distância, à esquerda.)

Hellinger (para Leslie): Olhe para o seu pai e tente dizer-lhe: “Recebo-o como meu pai.”

Leslie: Isso não parece correto.

Hellinger: É o primeiro passo. Tente. Olhe-o e diga-lhe “Recebo-o como meu pai.” (A mãe adotiva dá-lhe uma palmadinha nas costas para encorajá-la.)

Leslie (estancando as lágrimas enquanto o pai inclina a cabeça) : Recebo-o como meu pai.

Hellinger: “Por favor, abençoe-me como sua filha.”

Leslie: Por favor, abençoe-me.

Hellinger: Como se sente o pai? Pai: Gostaria de sair correndo daqui. Não posso ficar por mais tempo.

Hellinger (para Leslie): Tente repetir mais uma vez: “Recebo-o como meu pai.”

Leslie: Recebo-o como meu pai.

Hellinger: “E aprecio o que me deu.”

Leslie: E aprecio o que me deu.

Hellinger: “E amorosamente deixo-o seguir o seu caminho.”

Leslie: E amorosamente deixo-o seguir o seu caminho. (Leslie começa a chorar; o pai inclina a cabeça e chora também.)

Hellinger: Vá até ele. (Leslie aproxima-se do pai e ambos se abraçam. O pai soluça.)

Hellinger (ao pai): Respire profundamente, que a dor desaparecerá. Inspire e expire profundamente.

(Para Leslie): Como se sente com seu pai?

Leslie: Sinto-me como se devesse ser a mais forte aqui.

Hellinger: Sim, é isso mesmo. Volte para seu lugar, ao lado da mãe adotiva. (Ela se coloca ao lado da mãe adotiva e ambas se dão as mãos.)

Hellinger (para o pai): Pegue a mão da mãe de Leslie e dirijam-se para os pais adotivos. Fiquem diante deles.

(Para os pais biológicos): Façam-lhes uma reverência e agradeçam-lhes. (Eles se curvam com respeito e olham para os pais adotivos.)

Mãe: Obrigada.

Pai: Obrigado.

Hellinger: Como se sentem os pais adotivos?

Pai Adotivo: Para mim, melhorou. Posso aceitar a gratidão deles.

Mãe Adotiva: Sim, melhorou. Estou feliz por ter minha filha adotiva bem perto de mim.

Hellinger: E você, como está?

Leslie: Quero meus irmãos e irmãs.

Hellinger: Isso será o próximo passo. Poderá procurá-los, bem como a todos os outros membros de sua família: seus avós, por exemplo. Acha que sua mãe adotiva irá apoiá-la se fizer isso?

Leslie: Não completamente, mas tentará.

Hellinger (para a mãe adotiva) : Diga-lhe “Permito que faça isso.”

Mãe Adotiva: Permito que faça isso.

Hellinger: “E vou ajudá-la”

Mãe Adotiva: E vou ajudá-la.

Hellinger (para o grupo): Um filho não pode fazer uma coisa dessas sem permissão. Um filho precisa da permissão e do apoio dos pais adotivos. (Leslie e os representantes se sentam.)

Adoção – um olhar sobre o êxito ou o fracasso desta missão