“Uma pessoa ruim nunca será um bom profissional”

“Uma pessoa ruim nunca será um bom profissional”, afirmou o pai das inteligências múltiplas, Howard Gardner, em uma entrevista concedida ao jornal espanhol La Vanguardia.

Essa entrevista trouxe reflexões muito interessantes e, com isso, nos deu a possibilidade de amadurecer uma ideia que é o reflexo de uma verdade arrasadora. Somente as pessoas boas podem vir a ser excelentes profissionais. As pessoas ruins, por sua vez, nunca chegarão a isto, mesmo sendo verdade que possam alcançar grande perícia técnica.

Isto nos leva a pensar na possibilidade de classificar as pessoas em boas e más. Realmente esta diferenciação parece fictícia, pois os seres humanos não são uma dicotomia, mas sim uma amálgama de qualidades.

Estas qualidades, obviamente, podem ser entendidas como boas ou ruins. Quando colocamos na balança a combinação delas, talvez pese mais a parte obscura do que a brilhante; esse é justamente o sentido da frase que encabeça o artigo.
-Howard Gardner-

A bondade e o equilíbrio, a base do nosso profissionalismo

É preciso haver um equilíbrio entre o compromisso, a ética e a excelência para chegar a ser um bom profissional. Digamos que para “ser bom de verdade” é preciso colocar a alma, emoções, sentimentos e afinco ao próprio trabalho. Neste sentido, este fragmento da entrevista de Howard Gardner não tem desperdício, pois reflete a tremenda sensatez com a qual se adequa às suas palavras:

-Entrevistador: Por que existem excelentes profissionais que são pessoas ruins?

-Howard: Descobrimos que essas pessoas não existem. Na verdade, as pessoas ruins não podem ser profissionais excelentes. Nunca chegam a ser. Talvez possam ter uma perícia técnica, mas não são excelentes.

-E: Eu tenho em mente algumas exceções…

-H: O que comprovamos é que os melhores profissionais são sempre ECE: excelentes, comprometidos e éticos.

-E: Você não pode ser excelente profissional, mas um bicho ruim como pessoa?

-H: Não, porque você não alcança a excelência se não for mais além de satisfazer o seu ego, sua ambição ou sua avareza. Se você não se comprometer, portanto, com objetivos que vão mais além das suas necessidades para servir as de todos. E isso exige ética.

-E: Para se tornar rico, com frequência incomoda.

-H: Sem princípios éticos você pode chegar a ser rico, sim, ou tecnicamente bom, mas não excelente.

-E: É reconfortante saber disto.

-H: Hoje em dia nem tanto, porque também descobrimos que os jovens aceitam a necessidade de ética, mas não no início da carreira, pois acham que sem dar cotoveladas não irão triunfar. Enxergam a ética como o luxo de quem já alcançou o sucesso.

A importância de ser, acima de tudo, uma alma humana

“Conheça todas as teorias. Domine todas as técnicas, mas quando tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana”. Estas são palavras do emblemático psicanalista Carl Gustav Jung, palavras que escondem um realidade certeira.

É importante que antes de profissionais, sejamos pessoas. É isso que traz equilíbrio no desenvolvimento das nossas qualidades profissionais. Não podemos nos desligar de nós mesmos; ou seja, de certa forma não podemos dissociar nossas vidas interiores das nossas vidas profissionais.

Falamos de essência, dessas qualidades que nos ajudam a não nos perdermos entre as pessoas, a nos conhecermos e desconhecermos, a transformar-nos através das lições, a ter um coração belo, a melhorar a cada dia e a nos contemplarmos como um arco-íris.

Porque, além disso, se há uma coisa que é preciso ter em mente é que as pessoas às vezes são branco, outras vezes preto, e às vezes mil cores. Equilibrando a balança em direção ao que é positivo conseguiremos alcançar a excelência nas nossas profissões, assim como nos diferentes âmbitos das nossas vidas.

http://www.revistapazes.com/uma-pessoa-ruim-nunca-sera-um-bom-profissional/

9 Sinais de que você se desconectou de si mesmo.

1

Por Gustavo Tanaka

Eu fiquei vários dias sem escrever. No começo eu achei que fosse apenas uns dias de falta de criatividade. Mas depois essa falta de criatividade começou a me incomodar. Não passava. Eu tinha vontade de escrever, mas não estava conseguindo ordenar minhas ideias. Aí eu vi que era um pouco mais sério.

Eu comecei a reler coisas que tinha escrito. Vi que nem me lembrava mais dessas palavras que saíram de dentro de mim. Então eu entendi. Eu havia me desconectado de mim mesmo. Aí eu comecei a olhar para trás e observar como haviam sido meus dias anteriores. Era óbvio. Eu havia me desconectado de mim mesmo e tinha vários sinais que eu poderia ter pescado.

9 Sinais de que você se desconectou de si mesmo
Compartilho aqui alguns desses sinais que mostram que você se desconectou de si mesmo.

1- Você oscila muito o humor

Eu mesclo momentos de muita euforia e de sentimentos de amor e pensamentos elevados, com momentos de dor, sofrimento e pensamentos negativos.

É como se eu perdesse um pouco o controle sobre aquela paz que vem nos momentos em que estou conectado e ela se dissipasse com facilidade. Quando eu me desconecto, o ambiente externo me influencia muito mais.

 

2- Você lembra menos dos sonhos

Pra mim esse é um dos indicadores mais óbvios. Quando fico algumas noites sem lembrar dos meus sonhos, sei que estou menos conectado. Quanto mais conectado comigo mesmo eu estou, mais clareza eu tenho dos sonhos quando acordo e mais vezes tenho sonhos lúcidos.

Os sonhos não estão aí por acaso. Eles podem ser a chave para você se lembrar do que precisa fazer e a chave para inspiração para mudar sua vida. Dê mais atenção aos sonhos. Tente se lembrar sempre do que sonhou. Anote os sonhos pela manhã. Perceba como eles são influenciados pelas rotinas que você está levando.

3- Você tem dificuldade para meditar

Quando eu to bem, é muito fácil meditar. Quando estou em paz e completamente conectado, eu tenho vontade de meditar por vários minutos e várias vezes ao dia. Mas é justamente quando temos mais dificuldade de meditar que mais precisamos.

Dizem que Gandhi em um sua viagem de peregrinação pela libertação da Índia meditava quando foi interrompido por um de seus assessores. “Gandhi, precisamos ir. Temos muitos compromissos” E Gandhi respondeu: “Eu preciso de uma hora para meditar”

“Impossível, não temos uma hora para você meditar” “Ok, agora eu preciso de duas horas para meditar” Quando a gente menos medita é quando mais precisamos meditar. Se você está com dificuldade para meditar, talvez precise dar mais atenção a isso. Esse é um bom termômetro para saber quão desconectado você está.

4- Você fica acelerado

Estar acelerado é estar desconectado do momento presente. Eu me acelero quando entro num ritmo de muitos pensamentos ao mesmo tempo. E eu me acelero quando acredito na falsa noção de que estou atrasado e que as coisas têm que acontecer mais rápido e que não vai dar tempo de fazer tudo o que quero, e que vou perder oportunidades, e que não posso parar e que não vou dar conta, e que tudo vai dar errado….ahhhh Às vezes é legal acelerar.

É bom entrar num ritmo de produtividade e fluxo de ideias. Mas não viver acelerado. Não todos os dias. Isso traz ansiedade. Ansiedade é falta de presença.

5- Você se desentende mais com as pessoas

Quando eu me desconecto, eu pareço entender menos as pessoas. A comunicação fica menos clara. Eu sinto que perco um pouco do poder de empatia. De entender qual é a necessidade da pessoa naquele momento. Os seres humanos são muito complexos.

Por trás das máscaras que usam e por trás de comportamentos automáticos de auto defesa, existem pessoas que sofrem e precisam de cuidado. É impossível entender o que uma pessoa precisa sem estar conectado. Quando você está conectado consigo mesmo, é como se conseguisse capturar melhor o que o outro precisa.

Como se a alma dele falasse com a sua. Sem necessidade de verbalização. Sem a pessoa precisar dizer. Você simplesmente sabe. E quando você está desconectado, essa conexão não se estabelece. E o que acontece é que você supões coisas, supõe o que acha que está acontecendo com o outro e não se conecta.

Você age com base em suposições e aí acaba se desentendendo. Quanto mais você está se desentendendo com as pessoas, menos conectado você deve estar.

6- Você percebe menos os sinais do universo

O universo está o tempo inteiro dando sinais, nos direcionando. Dizendo para onde devemos ir. Querendo nos colocar em situações que devemos vivenciar, nos conectando com pessoas, ou nos dando dicas de coisas que precisamos prestar atenção. E quando se está desconectado, esses sinais passam despercebidos.

Eles não acontecem de vez em quando. Acontecem o tempo todo. Em praticamente todas as interações. Basta observar com atenção, confiar nesses sinais e segui-los. Quanto mais você segue, mais eles acontecem. As sincronicidades são as ferramentas do universo para te mover em direção ao que precisa fazer.

Quantas sincronicidades você percebeu nos últimos dias?

 

7- Sua intuição falha

Nossa intuição é o nosso principal guia. É o coração que deve nos ajudar nas escolhas e não a mente racional. A mente racional serve apenas para podermos realizar as coisas que o coração direcionou.

O problema é que quando estamos desconectados, a mente racional fica muito mais forte. Quanto mais alto fala a mente racional, mais difícil fica de escutar o coração. E aí a gente acha que está seguindo a intuição, mas na verdade está apenas seguindo a mente racional. Quanto mais conectado você está, mais clara é a diferença entra as duas vozes.

Fica muito fácil saber quando é intuição. E aí a intuição não falha. E quando a intuição está afiada, a vida fica muito legal. É como se você tivesse superpoderes. Superpoderes para adivinhar a resposta certa, para tomar decisões corretamente, para antecipar o que está por vir, para capturar o que está flutuando na nuvem e trazer para o mundo real.

8- Sua saúde fica pior

Você tem vontade de se alimentar de coisas piores. De comer alimentos mais densos, de comidas gordurosas e muito açúcar. Você não tem vontade de fazer exercícios. Você dorme mal e dorme menos. Você tem menos disposição e parece ficar mais cansado.

Talvez esse seja o indicador mais óbvio, mas a gente não olha pra isso direito. Somente quando esses sinais começam a ficar extremamente evidentes é que a gente percebe. Somente quando o corpo começa a gritar. Quando ficamos doentes, quando a pele muda, quando os órgãos parecem não funcionar tão bem.

9- A vida fica em desordem

Quando eu me desconecto, minhas rotinas ficam bagunçadas. Eu acumulo mensagens não lidas, emails não respondidos, correspondências sem abrir. Minhas finanças ficam em desordem e eu perco o controle das minhas contas.

Minha casa fica bagunçada e as vezes até minhas plantinhas sofrem porque eu esqueço de regar. Eu fico confuso, com muita informação na cabeça e pouca coisa sendo realizada. A vida precisa de ordem. Ordem traz clareza. E clareza faz a energia fluir mais livremente. Sem resistência e sem pontos de estanque. Energia parada é o não fluxo.

Esses são sinais que eu observei na minha vida e agora quero prestar mais atenção a eles. A vida está o tempo inteiro nos dando sinais. Nos dizendo se estamos no caminho certo ou se nos desviamos. Aí é só recalcular rota e voltar a se conectar. Quanto mais conectado, mais fácil tudo parece ficar.

Não precisa mudar tudo de uma vez. É uma coisa de cada vez. Um dia de cada vez. Faça seu dia de hoje ficar bom. Tente mudar um pouquinho dessas coisas que estão aqui. Comece a mudar pouco a pouco suas rotinas e logo você vai se sentir conectado novamente… mais rápido que você imagina.

Fonte: Você pode ser feliz

A dificuldade de deixar um(a) ex ir

 

Quando um relacionamento de casal termina, ambos acabam passando por um período de luto. Independentemente dos motivos que levaram à ruptura, às vezes nos vemos incapacitados e não conseguimos deixar à outra pessoa ir.

A dor e o sofrimento dependerão muito do tempo que ficaram juntos. Se foi apenas alguns meses, será muito mais fácil do que se a relação foi uma relação de anos. De qualquer jeito, é importante saber virar a página, ainda que, em algumas ocasiões, não sejamos capazes de fazer isso devido a outro tipo de problema.

Deixe ir para você se permitir seguir

Por que é tão difícil nos desvincularmos dessa pessoa? É porque a amamos tanto? Um relacionamento termina por motivos que ambos sabem, mas, às vezes, é difícil, pois acreditamos que ainda estamos apaixonados. Em alguns casos, inclusive nos forçamos a tentar uma segunda vez, mas os problemas não se resolvem e voltam a aparecer.

O resultado é que nós enfrentamos o segundo término, mais doloroso e pior do que o primeiro. A seguir, queremos compartilhar com vocês alguns motivos com os quais podemos nos identificarmos, quando o assunto é o fim de um relacionamento.

1. Dependência emocional

Muitas são as pessoas que sofrem de dependência emocional, a incapacidade de poder viver sem estar em casal. Às vezes, esse é o resultado de carências afetivas que viemos arrastando desde a infância.
A dependência emocional faz com que não possamos nos separar dessa pessoa. Inclusive, se não temos um parceiro, suplicamos para tapar o buraco criado com outra companhia. Dessa maneira, a pessoa dependente tenta não ficar nunca sozinha.
Nesse tipo de problema, a pessoa não se dá conta de que não ama seu companheiro, apenas necessita dele.

2. Não gostamos de perder

Sim,temos que admitir. Ninguém gosta de perder, pelo menos não a maioria das pessoas. Isso faz com que esse fim e essa desvinculação sejam algo que não está nos nossos planos. Além disso, essa situação piora com a ideia do amor romântico, onde quando a relação termina acreditamos que a vida se vai com ela, que tudo se paralisa, que nada mais pode seguir adiante.

Pensar em você, na verdade dói bastante, ou sua mente o faz a creditar que dói. Às vezes, vemos a situação desde uma perspectiva onde nossas emoções e sentimentos se confundem. Não quero deixar essa pessoa ir porque a amo ou porque me sinto ferida.

3. Sair da zona de conforto

Muitos podem confundi-lo com o medo da solidão, mas isso vai muito além. Temos medo de perder esse estado tão cômodo onde nos encontramos, porque a mudança sempre nos causou pavor.

Se você viveu uma situação com seu parceiro por muito tempo, mudar tudo isso é o que você rejeita. Acredita se sentir seguro em algumas circunstâncias porque teme que tudo pode piorar.

Mas, pense: do que você tem medo?

Às vezes, nossos temores são completamente infundados. Em muitos casos, nos vemos arrastados e obrigados a sair da nossa zona de conforto. Não gostamos disso, mas quando não temos opção, não é uma alternativa. Não tenha medo da mudança, pense que se o seu relacionamento terminou, o melhor é tomar outro caminho.

São muitas as vezes nas quais não queremos deixar ir um ex, porque nos sentimos inseguros para enfrentar a vida sem essa pessoa que tanto esteve ao nosso lado. A isso denominamos egoísmo. Temos que aprender a deixá-lo partir, pois só assim poderemos seguir adiante. Além disso, cometemos um grande erro, fruto da nossa percepção sobre o amor romântico: acreditamos que não há vida depois de terminada a relação.

Uma ruptura no relacionamento não significa que sua vida se acabou, implica em um capítulo da sua vida que terminou. Mas, desde quando um livro termina com um único capítulo? Comece a virar a página e continue escrevendo o livro de sua vida. Ainda restam muitas experiências a viver.

Imagem de capa: Shutterstock/SvetaZi

TEXTO ORIGINAL DE MELHOR COM SAÚDE

http://www.psicologiasdobrasil.com.br/dificuldade-de-deixar-uma-ex-ir/

Muito Prazer, eu sou o seu sintoma

A imagem pode conter: céu, planta, flor e atividades ao ar livre

MUITO PRAZER, EU SOU O SEU SINTOMA

Já pensou se o seu sintoma tivesse a chance de te escrever uma carta? Garanto que seria alguma coisa assim:

“Olá, tenho muitos nomes: dor de joelho, abscesso, dor de estômago, reumatismo, asma, mucosidade, gripe, dor nas costas, ciática, câncer, depressão, enxaqueca, tosse, dor de garganta, insuficiência renal, diabetes, hemorroidas e a lista continua. Ofereci-me como voluntário para o pior trabalho: ser o portador de notícias pouco agradáveis para você.

Você não entende, ninguém me compreende.
Você acha que eu quero lhe incomodar, estragar os seus planos de vida. Todo mundo pensa que desejo atrapalhar, fazer o mal, limitar vocês, e não é assim, isso seria um absurdo.

Eu o sintoma, simplesmente estou tentando lhe falar numa linguagem que você entenda.

Vamos ver, me diga alguma coisa. Você negociaria com terroristas, batendo na porta com uma flor na mão e vestindo uma camiseta com o símbolo da “paz” impresso nas costas? Não, certo?
Então, por que você não entende que eu, o sintoma não posso ser “sutil” e “levinho” quando preciso lhe passar uma mensagem.
Me bate, me odeia, reclama de mim para todas as pessoas, reclama de minha presença no seu corpo mas, não para um minuto para pensar e raciocinar e tentar compreender o motivo de minha presença no seu corpo.
Apenas escuto você dizer: “Cala-te”, “vá embora”, “te odeio”, “maldita a hora que apareces-te”, e muitas frases que me tornam impotente para lhe fazer entender mas, devo me manter firme e constante, porque devo lhe fazer entender a mensagem.

O que você faz? Manda-me dormir com remédios. Manda-me calar com sedativos, me suplica para desaparecer com anti-inflamatórios, quer me apagar com quimioterapia. Tenta dia após dia, me calar.
E me surpreendo de ver que às vezes, até prefere consultar bruxas e adivinhos para de forma “mágica” me fazer sumir do seu corpo.
A minha única intenção é lhe passar uma mensagem, mesmo assim, você me ignora totalmente.

Imagine que sou a sirene do Titanic, aquela que tenta de mil maneiras avisar que tem um iceberg na frente e você vai bater com ele e afundar. Toco e toco durante horas, semanas, meses, durante anos, tentando salvar sua vida, e você reclama que não deixo você dormir, que não deixo você caminhar, que não deixo você trabalhar, ainda assim continua sem me ouvir…

Está compreendendo?
Para você, eu o sintoma, sou “A doença”.
Que absurdo! Não confunda as coisas.
Aí você vai ao médico e paga por tantas consultas.
Gasta um dinheiro que não tem em medicamentos e só para me calar.

Eu não sou a doença, sou o sintoma.
Por que me cala, quando sou o único alarme que está tentando lhe salvar?

A doença “é você”, é “o seu estilo de vida”, são “as suas emoções contidas”, isso que é a doença e nenhum médico aqui no planeta Terra sabe como as combater, a única coisa que eles fazem é me atacar, ou seja, combater o sintoma, me calar, me silenciar, me fazer desaparecer. Tornar-me invisível para você não me enxergar.

É bom se você se sentir incomodado por estar lendo isso, deve ser algo assim como um “golpe na sua inteligência”. Está certo se estiver se sentindo frustrado, mas eu posso conduzir o teu processo muito bem e o entendo. De fato, isso faz parte do meu trabalho, não precisa se preocupar. A boa notícia é que depende de você não precisar mais de mim, depende totalmente de você analisar o que tento lhe dizer, o que tento prevenir.

Quando eu, “o sintoma” apareço na sua vida, não é para lhe cumprimentar, é para lhe avisar que uma emoção contida no seu corpo, deve ser analisada e resolvida para não ficar doente.

Deveria perguntar a si mesmo: “por que apareceu esse sintoma na minha vida”, “que pretende me alertar”? Por que está aparecendo esse sintoma agora?
Que devo mudar em mim?

Se você deixar essas perguntas apenas para sua mente, as respostas não vão levar você além do que já vem acontecendo há anos. Deve perguntar também ao seu inconsciente, ao seu coração, às suas emoções.

Por favor, quando eu aparecer no seu corpo, antes de procurar um médico para me adormecer, analise o que tento lhe dizer, verdadeiramente, por uma vez na vida, gostaria que o meu excelente trabalho fosse reconhecido e, quanto mais rápido tomar consciência do porquê do aparecimento no seu corpo, mais rápido irei embora.

Aos poucos descobrirá que quanto melhor analisar, menos lhe visitarei. Garanto a você que chegará o dia que não me verá nem me sentirá mais. Conforme atingir esse equilíbrio e perfeição como “analisador” de sua vida, de suas emoções, de suas reações, de sua coerência, não precisará mais consultar um médico ou comprar remédios.

Por favor, me deixe sem trabalho.
Ou você acha que eu gosto do que eu faço?

Convido você para refletir sobre o motivo de minha visita, cada vez que eu apareça.
Deixe de me mostrar para os seus amigos e sua família como se eu fosse um troféu.
Estou farto que você diga:
“Então, continuo com diabetes, sou diabético”.
“Não suporto mais a dor no joelho, não consigo caminhar”.
“Aqui estou eu, sempre com enxaqueca”.
Você acha que eu sou um tesouro do qual não pretende se desapegar jamais.
Meu trabalho é vergonhoso e você deveria sentir vergonha de tanto me elogiar na frente dos outros. Toda vez que isso acontece você na verdade, está dizendo: “Olhem que fraco sou, não consigo analisar, nem compreender o meu próprio corpo, as minhas emoções, não vivo coerentemente, reparem, reparem!”.

Por favor, tome consciência, reflita e aja.
Quanto antes o fizer, mais cedo partirei de sua vida!
Atenciosamente,
O sintoma.”

(Autor desconhecido)

A Paz em um mundo irritado

A imagem pode conter: planta, atividades ao ar livre e natureza

Mensagem dos Anjos – 19 Agosto 2017

A PAZ EM UM MUNDO IRRITADO

Volte sempre para a Luz… mesmo em um mundo louco.

Sabemos que muitos de vocês estão profundamente perturbados pela violência que testemunham no mundo. Certamente, desejamos a todos e a cada um de vocês uma experiência amorosa e gentil em suas vidas, e a paz em seus corações, até mesmo quando o mundo não é amoroso.

“Como isto pode acontecer?” , muitos de vocês estão clamando aos céus. “Será que o nosso mundo enlouqueceu?” Sentimos o seu medo. Sentimos a sua dor. Sentimos a sua compaixão. Acima de tudo, sentimos o seu amor.

Reserve um momento. Respire lenta e profundamente.

Imagine que você pode inspirar através do topo de sua cabeça, trazendo a luz pura para baixo, para o seu coração. À medida que esta luz descansa no coração, mantenha a sua respiração por apenas alguns segundos, e sinta a luz preenchê-lo com a paz dos anjos. Expire agora como se esta luz pudesse arrastar qualquer medo ou aborrecimento através das solas dos seus pés.

Inspire luz através da parte superior de sua cabeça. Expanda-a em seu coração. Expire, permitindo que toda a escuridão seja drenada através das solas dos seus pés. Faça isto até que comece a sentir a paz.

Agora que você está tranquilo, vamos falar sobre a violência no mundo. As almas que a provocam estão possuídas pela raiva, pelo ódio e a dor. Elas estão acorrentadas por medos, muitos dos quais foram transmitidos por gerações abusivas.

Algumas são almas que vieram a esta Terra procurando curar os seus próprios medos e ainda não o fizeram. Algumas são almas que indignadamente querem que o mundo veja o seu sofrimento, seu medo e o seu ponto de vista. Elas são as “perdidas” e os “lucíferes”. Acima de tudo, elas precisam de suas preces.

Como você pode orar por alguém que matou, mutilou, feriu ou abusou do outro? Como você pode orar por alguém que não foi amável com você?

Em primeiro lugar, reconcilie-se com o fato de que você não gostará deles. Não há necessidade de gostar de indivíduos odiosos. Nós, no céu, amamos a luz em todas as almas, mas não nos preocupamos com comportamentos que perpetuam a dor e a separação!

No entanto. assim como uma mãe ama incondicionalmente a um filho e vê a sua bondade sob todas as ações não amorosas, nós vemos a bondade, não importa o quanto esteja enterrada: esta vive em todos os corações humanos.

Assim, querido, ore conosco…

Que os desorientados, os feridos, os irritados, os abusados, os possuídos e os irados deste mundo conheçam o amor que vive dentro deles. Cure os seus corações, eleve as suas almas, conforte a criança abusada que vive enterrada e acorrentada em seus corações.

Ajude-os a se arrependerem, a se perdoarem e faça alterações significativas que ajudem a curar os corações de todos. Ajude-os a se libertarem das correntes de seus próprios mal-entendidos e ações errôneas.”

Querida Fonte Divina, eleve estas almas ao seu amor – e tudo dentro de mim também que odeia, que está ferido, abusado, atacado ou não curado – à luz do seu amor.

Obrigado. Você acabou de fazer uma contribuição de amor à raça humana que irá repercutir pela eternidade. Você é uma bênção nesta Terra

Deus o abençoe! Nós o amamos muito.

Os Anjos
Canalizada por Ann Albers

Harmonia

A imagem pode conter: sapatos

Harmonia pode não ser o mais conhecido dos estados de um sentimento, mas é com certeza o mais sutil, o mais profundo e talvez o mais essencial. Harmonia é o respeito trajado de carinho.

É harmonia a barra de chocolate divida no cinema, o copo de sorvete divido no fim de tarde. É harmonia a carícia na mão suada do outro enquanto ele aguarda a resposta daquele teste.
É harmonia a conversa afetuosa ao celular, a brincadeira carinhosa, o humor fácil que se conquista pela intimidade.
É harmonia quando se está distante pensando igual. É a conversa fácil, o escutar atento e o falar suave.
É harmonia entender a preocupação, a piada, o alerta, a explicação, sem que uma só palavra seja dita. É harmonia dividir a pia de louças e fazer guerra de espuma.

É harmonia deitarem-se juntos no silêncio do quarto e entreolharem-se, sem pretensão, sem malícia, apenas por admiração. Carícias na nuca. Beijo na testa. Abraço aconchegante. Mordiscada na orelha. Olhares fixos.

É harmonia correr juntos pra fugir da chuva e perceber que chegaram ensopados ao destino. É esquecer-se de avisar que o GPS havia mandado virar naquela esquerda que passou e ouvir o outro dizer “não se preocupe, ele recalcula!”. É dizer ao outro pra virar à esquerda, mas por um descuido ir pra direita, e os dois caírem na gargalhada.

É harmonia mandar mensagem no meio da madrugada apenas pra dizer: estava sonhando com você. Harmonia, afinal, são aquelas vivências que parecem bobas, as vezes rápidas, mas que carregam a profundidade necessária pra se tornarem memórias permanentes. São detalhes que fazem as “pequeninices” da vida tornarem-se acontecimentos de “frio na barriga”.

Por mais intenso que seja um “gostar”, sem harmonia não há brilhantismo, nem encanto, tão pouco constância. Porque pra todos e pra cada um, sempre chega um tempo de crise. Aquele momento em que a vida se desestabiliza por causa de circunstâncias inesperadamente desconcertantes.

E nesses tempos, em que ficamos por um triz, quem, sinceramente, nos vem em mente como porto seguro para as nossas inseguranças é exatamente aquela pessoa que dividiu os detalhes mais simples e profundos conosco. Que esteve, harmonicamente, ao nosso lado quando não estávamos em condições de oferecer o prazer imediato que costumeiramente se busca como retorno de uma relação.

Em um relacionamento construído com harmonia, ocorrerá que na confusão difusa dos tempos sombrios, bastará um simples “estou aqui do seu lado” para que o mundo volte a fazer algum sentido.Porque é na harmonia que reside as lembranças mais prazerosas, o companheirismo mais reconfortante e os gestos mais gentis. Detalhes que duram a eternidade.

VICTOR ALMEIDA MOREIRA

Dica do Dia

A imagem pode conter: planta

“Quando a situação for boa, desfrute-a.

Quando a situação for ruim, transforme-a.

Quando a situação não puder ser transformada, transforme-se.”

E lembre-se: antes da ordem , o caos.

São apenas fases.

Menu

%d blogueiros gostam disto: